Вы находитесь на странице: 1из 15

A Prática Educativa

Como ensinar

Antoni Zabala

Capítulo 6 – A organização dos conteúdos


A organização dos conteúdos

 Organização de conteúdos
As relações e a forma de vincular os diferentes conteúdos de aprendizagem que formam as unidades
didáticas.

 Quais os critérios que se utilizam para organizar os conteúdos de cada unidade didática?
No sistema tradicional as disciplinas, ou cadeiras escolares, a forma de selecionar, distribuir e
organizar os conteúdos de aprendizagem tiveram uma dependência clara da lógica formal.

Sincretismo e globalização - Proposta de organização de conteúdos que, aparentemente, prescindem


de compartimentação disciplinar, desenvolvendo, inclusive, métodos extremamente elaborados em
que os critérios de organização dos conteúdos não estão condicionados por sua natureza disciplinar
Como podem ser organizados os conteúdos?
Que referencial pode ser utilizado?

 Os conteúdos podem ser classificados conforme sua natureza:


Multidisciplinares, interdisciplinares, pluridisciplinares, metadisciplinares,etc.
Nestas propostas, as disciplinas justificam os conteúdos próprios de aprendizagem
e, portanto, nunca perdem sua identidade como matéria diferenciada.

 O alvo e o referencial organizador


É o aluno e suas necessidades educativas gerais. Uma educação centrada no aluno
nunca é uma posição contraposta ou excludente, mas somatória.
As disciplinas como organizadoras dos conteúdos:
diferentes graus de relação

 Diferentes formas de relacionar as disciplinas:

Multidisciplinaridade – É a organização de conteúdos mais tradicional.


Os conteúdos escolares são apresentados por matérias independentes umas
das outras.
Interdisciplinaridade – É a interação entre duas ou mais disciplina, que
pode ir desde a simples comunicação de idéias até a integração recíproca
dos conceitos fundamentais e da teoria do conhecimento, da metodologia e
dos dados da pesquisa.
Transdisciplinaridade –É o grau máximo de relações entre as disciplinas,
daí que supõe uma integração global de um sistema totalizador.
Métodos globalizados

 Organizam os conteúdos de forma transdisciplinar, sua perspectiva se centra exclusivamente no


aluno e em suas necessidades educacionais.

 Os conteúdos que são trabalhados procedem de diferentes disciplinas, apesar de que o nexo que há
entre elas não segue nenhuma lógica disciplinar.

 Historicamente os métodos globalizados nascem quando o aluno se transforma em protagonista do


ensino.

 Objetivo da educação é favorecer uma compreensão mais profunda da realidade através da análise.
Centros de interesse de Decroly
 Ovide Decroly (1871-1932)
“Para a vida mediante a vida” – Com este tema, aplica um método
baseado na comprovação do fato de que as pessoas interessa satisfazer as
próprias necessidades naturais.

Meio
Menino/menina, família,
escola,sociedade,animais,plantas,
a terra com seus elementos
e os astros.

Geografia História Ciências Naturais


Sequência de ensino/aprendizagem

 Observação
Define-se como o conjunto de atividades que tem por finalidade por os
alunos em contato direto com as coisas, os seres, os fatos e os
acontecimentos.

 Associação
Através dos exercício de associação, os meninos e meninas relacionam o
que observaram com outras ideias.

 Expressão
A expressão pode ser concreta ou abstrata.
Justificativa
 A criança é o ponto de partida do método
“A criança não é o queremos que seja, mas o que pode ser.”

 O respeito à personalidade do aluno


“A educação tem que ser para a vida e baseada na vida.”

 A alavanca eficaz de toda aprendizagem é o interesse


Não qualquer interesse, porém o profundo, nascido das necessidades.

 A vida como educadora


A eficácia do meio é decisiva.

 Os meninos e as meninas são seres sociais


A escola deve ser concebida de maneira que potencialize o desenvolvimento.
O método de projetos de Kilpatrick
 Surgiu no início do século XX, a partir de trabalhos de John Dewey e
William Kilpatrick e, desde sua origem, recebeu denominações variadas,
tais como: projetos de trabalho, metodologia de projetos, metodologia de
aprendizagem por projetos, pedagogia de projetos, etc.

 O ponto de partida do método


Interesse e o esforço. O professor terá que aproveitar as energias individuais
para atingir um objetivo concreto.

 Projeto é uma “atividade previamente determinada”

Motivação Ato problemático


Sequência de ensino/aprendizagem

 Intenção
Debate sobre os diferentes projetos propostos.

 Preparação
É o momento de definir com a máxima precisão o projeto que se quer
realizar.

 Execução
Uma vez definido o projeto, os meios e o processo a ser seguido.

 Avaliação
Momento de comprovar a eficácia e a validade do produto realizado.
Justificativa
 Possibilita a atividade coletiva com um propósito real e dentro de um
ambiente natural.

 Vincula as atividades escolares à vida real, buscando que se pareçam ao


máximo.

 Torna o trabalho escolar algo autenticamente educativo, já que os próprios


alunos o elaboram.

 Favorece a concepção da realidade como fato problemático, que é preciso


resolver.
O método do estudo do meio

 Freinet é quem estrutura o método, a partir de 1924, sua teoria pedagógica


se baseia nas técnicas didáticas no “tateio experimental” que a criança
realiza constantemente.

 Busca transformar a escola numa instituição em que o aluno ponha toda a


sua bagagem cultural ao alcance dos demais.

 Do contato com o meio, de seu interesse, surgirá a motivação pelo estudo


dos múltiplos problemas que se apresentam na realidade.
Sequência de ensino/aprendizagem

 Motivação;
 Explicitação das perguntas ou problemas;
 Respostas intuitivas ou hipóteses;
 Determinação de instrumentos para busca de informações;
 Esboço das fontes de informação e planejamento da investigação;
 Coleta de dados;
 Seleção e classificação dos dados;
 Conclusões;
 Generalização;
 Expressão e comunicação.
Justificativa
 O essencial é que a aprendizagem científica da realidade sempre parta da
experiência.

 O espírito científico é essencial no “hábito democrático”.

 Uma mente passiva, inerte, conformista, não pode constituir uma


personalidade democrática.

 Formar cidadãos e cidadãs críticos, responsáveis e com instrumentos para


intervir na realidade que os rodeia.
Os projetos de trabalho globais
 É uma resposta à necessidade de organizar os conteúdos escolares, cria situações
de trabalho nas quais meninos e meninas se inicem na aprendizagem de certos
procedimentos que os ajudem a organizar, compreender e assimilar uma
informação.

Produto final

Realização de um dossiê ou monografia