You are on page 1of 15

O Modelo de Auto - Avaliação

das Bibliotecas Escolares em


contexto
de Escola / Agrupamento

“Diz-me e eu esquecerei
Ensina-me e eu lembrar-me-ei,
Envolve-me e eu aprenderei.”

(Provérbio chinês)

Gracinda Moreira
Novembro de 2009
Importância e necessidade de implementação
do MABE?

Importância Substantiva pelo valor do MABE,na


construção da melhoria:

“A avaliação é um instrumento de Melhoria da


qualidade”. (In Modelo de Relatório de AA)

Necessidade Assumida de saber e divulgar:


O papel e a mais valia representada
pela BE.

Gracinda Moreira
Novembro 2009
O Modelo de Auto-Avaliação das
Bibliotecas Escolares em contexto de
Escola/Agrupamento

• O papel e mais valias da auto-avaliação da


BE;

• O processo e o necessário envolvimento da


escola/ agrupamento;

• A relação com o processo de planeamento;

• A integração dos resultados na


Auto-Avaliação da escola.

Gracinda Moreira
Novembro 2009
O modelo de Auto-Avaliação da BE
na escola/agrupamento

O papel e mais valias da auto-avaliação da BE

Gracinda Moreira
Novembro 2009
BE: Sistema integrado e aberto à influencia de
outros sistemas

Gracinda Moreira
Novembro 2009
Duas escolas no mesmo contexto situacional, integradas no mesmo sistema educativo

Terão posições e resultados diferentes

Atitude e reconhecimento do órgãoCultura


directivo
de escola, estilos implicados no processo ensino

Currículo, valores, modelos e práticas

Gracinda Moreira
Novembro 2009
Condicionantes do sucesso da BE

Reconhecimento
Estrutura Interna: condições do órgão directivo
físicas, equipamento
Currículo, valores, modelos e práticas
recursos

Aplicação do MABE

Gracinda Moreira
Novembro 2009
Ligação entre a BE e a Escola

BE Escola Sucesso Educativo

Núcleo de trabalho e aprendizagem. Meta do PEE

Gracinda Moreira
Novembro 2009
Mais valias da auto-avaliação da BE

«…as bibliotecas escolares podem contribuir


positivamente para o ensino e a aprendizagem,
podendo estabelecer-se uma relação entre a
qualidade do trabalho da e com a BE e os
resultados escolares dos alunos.»

In Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca


Escolar

Gracinda Moreira
Novembro 2009
Porquê fazer-se auto-avaliação da BE?

A AVALIAÇÃO
PROCESSO EXTERNA NÃO É
SUPORTE DA CONSTANTE SUFICIENTE
APRENDIZAGEM PARA
SUPRIR AS
NECESSIDADES
DA ESCOLA

IDENTIFICAÇÃO DE
PRIORIDADES

AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS

Gracinda Moreira
Novembro 2009
Papel tradicional da BE Papel actual da BE
•Informação •Construção do conhecimento
• •Avaliada pelo impacto na aprendizagem e na aquisição d
•Avaliada pela quantidade
•Avaliação encarada como necessária e formativa
da colecção

•Avaliação negligenciada

Maior desafio da BE

Saber gerir a MUDANÇA


Necessidade de implementar a Mudança
cnológicas e digitais, novos espaços de aprendizagem, TIC e Interne

ão de mais Valor da BE, através de uma acção integradora de objec

Ligação ao currículo e ao sucesso dos alunos


Papel do PB neste clima de mudança

•Interventivo no processo formativo e curricular dos


alunos

• Colaborativo: trabalhar e trabalhar com no
desenvolvimento das diferentes literacias

•Activo no funcionamento e resultados da escola

•Constante indagação das práticas de gestão

•Mostra o valor da BE através da demonstração de
evidências

•Demonstra o impacto da BE na aprendizagem dos
alunos

Gracinda Moreira
Novembro 2009
O modelo de Auto-Avaliação da BE
na escola/agrupamento

O processo e o necessário
envolvimento da
escola/ agrupamento

Gracinda Moreira
Novembro 2009
O processo e o necessário envolvimento
da escola/agrupamento
•Envolvimento de todos os “actores”

•Reconhecimento da utilidade do processo

•Enquadrado no contexto da escola tendo em
conta os diferentes clusters.

•Escolha do domínio determinada pelas
prioridades da escola

•Realizado com ética.
“O desvendar da verdade deve ser isento…) a viciação de
dados inquinará o processo, cuja mais-valia primeira é a
melhoria organizacional.”
In Texto da sessão