You are on page 1of 36

PELE

HISTOLOGIA
Histologia
A pele tem três camadas, a epiderme, a derme e o tecido adiposo
subcutâneo (tecnicamente externo à pele mas relacionado
funcionalmente).

Há ainda vários orgãos anexos, como

folículos pilosos,
glândulas sudoríparas e sebáceas
e unhas;
ou penas, escamas, cascos e cornos (nos animais).
PELE

NEOPLASIAS
Epidemiologia

O número de casos novos de câncer de pele não melanoma estimados


para o Brasil em 2006 é de

# 55.480 casos em homens e


# 61.160 em mulheres,
de acordo com as Estimativas de Incidência de Câncer publicadas
pelo INCA.

Estes valores correspondem a um risco estimado de

# 62 casos novos a cada 100 mil homens e


#60 para cada 100 mil mulheres.
O câncer de pele não melanoma é o mais incidente em homens
em todas as regiões do Brasil, com um risco estimado de

89/100.000 na região Sul,


70/100.000 na região Sudeste,
52/100.000 na região Centro-Oeste,
44/100.000 na região Nordeste e
30/100.000 na região Norte.

Nas mulheres é o mais freqüente nas regiões

Sul (93/100.000),
Centro-Oeste (73/100.000),
Nordeste (50/100.000) e
Norte (32/100.000); enquanto que, na região
Sudeste (69/100.000) o mesmo é o segundo mais freqüente
FATORES DE RISCO PARA CÂNCER DA PELE.

• Pele de cor clara.

• História Familiar de Câncer da Pele.

• História pessoal de Câncer da Pele.

• Exposição crônica ao sol.

• História de queimaduras solares severas na infância e


adolescência.

• Certos tipos de sinais e grande número de sinais.

• Sardas são indicadores de sensibilidade e de dano solar.


Risco aumentado

trabalham ao ar livre

têm pele e/ou olhos claros

queimam-se facilmente com formação de bolhas

tem antecedentes de CA de pele na família


Sinais mais comuns de câncer de pele:

Lesões que não cicatrizam sejam na pele ou mucosas

Mancha ou pinta, mesmo que de nascença que modifique de cor,


tamanho, espessura ou bordos, ou apresentem coceira, dor,
sangramento

Qualquer Verrugas e "espinhas" de pele, que sejam persistentes,


aumentem de volume, cocem, doam ou sangrem com facilidade.

Manchas escuras (pintas) que se tornem mais pretas, bordos irregulares,


elevadas, que sangrem com facilidade.
SINAIS DE ALERTA

Lesão da pele que aumenta de tamanho ou que tem aspecto de


uma pérola, translúcida (semitransparente), marrom, vermelha, rósea ou multicolorida.

• Sinal que mostra mudanças na coloração e /ou na textura,


que se torna de bordas de formato irregulares, aumenta de tamanho, ou
é maior que a ponta que não escreve do lápis.

• Mancha ou sinal que persiste com sensações de coceira, sangramento, "


uma ferida que não cura", ou que cura e novamente abre, por mais de 3 semanas.

• Uma área da pele que, ao ser tocada, dá a sensação de lixa , áspera.

• A pele ao redor do sinal torna-se vermelha, ou se torna inchada.

• Sinal que apareça, após a idade dos vinte e um anos.


TUMORES DE PELE

MELANOMA
Epidemiologia

A letalidade do câncer de pele melanoma é elevada,


porém sua incidência é baixa.

Para 2006, estão previstos 2.710 casos novos em homens e


3.050 casos novos em mulheres
segundo as Estimativas de Incidência de Câncer no Brasil.

As maiores taxas estimadas em homens e mulheres encontram-se


na região Sul.

Nos países desenvolvidos, a sobrevida média


estimada em cinco anos é de 73%,

Para os países em desenvolvimento, a


sobrevida média é de 56%.

A média mundial estimada é de 69%.


MELANOMA

ASPECTOS MACROSCÓPICOS

A-B–C-D
MELANOMA MALIGNO
O melanoma cutâneo é subdividido em quatro tipos:

Melanoma Expansivo Superficial (MES)

é o mais freqüente, 70% dos casos;

quarta e quinta décadas;

no tronco e membros inferiores

. Várias colorações, como castanho, preto, róseo, violeta;


hipopigmentação central e expansão periférica;
o matiz cinza-escuro translúcido é altamente sugestivo.

Evolução crônica, e, depois de meses a anos,


podem surgir nódulos elevados, sangramento ou transudação,
o que já caracteriza o estádio mais avançado, de crescimento vertical.
Melanoma Nodular (MN)

é o segundo mais comum,

15 a 30% dos casos,

nas quinta e sexta décadas de vida,

sexo masculino, na proporção de 2:1.

Apresenta-se como lesão papulosa, elevada, de cor castanha, negra ou azulada.


São freqüentes a ulceração e o sangramento;

existe a variante amelanótica, com superfície critematosa.

A expressão é reservada às lesões primitivamente nodulares, isto é,


sem fase prévia de crescimento radial.
Melanoma Lentiginoso Acral (MLA)

nas regiões palmoplantares,

extremidades digitais, mucosas e semimucosas;

é mais freqüente em não brancos (35 a 60%).

Não tem predileção por sexo;

sétima década de vida.

Nas extremidades digitais pode-se apresentar como:

lesão tumoral acastanhada subungueal,


melanoníquia estriada,
fragmentação longitudinal da lâmina ungueal,
além de paroníquia crônica e persistente.
Melanoma Lentigo Maligno (MLM)
pouco freqüente,

5% dos casos;

sexta e sétima décadas de vida;

surge em área de lentigo solar que se apresenta como mácula


acastanhada ou enegrecida, de limites nítidos e irregulares, alcançando
vários centímetros de diâmetro,

localizada na face (90%), em mãos e membros inferiores (10%).

Após longo período de crescimento radial, ocorre a invasão


perpendicular à superfície, caracterizada clinicamente pela presença de
nódulo elevado,
em meio a diversos tons de pigmentação, como
castanho-escuro, negro e azulado.
Nessa fase, podem ocorrer ulcerações, sangramento e formação de crostas.
MELANOMA

Relato de caso
TUMORES DE PELE

NÃO-MELANOMA
TUMORES BENIGNOS
 CERATOSE SEBORREICA

 TUMORES DE ANEXOS CUTÂNEOS

 TUMORES DO DERMA
CERATOSE SEBORREICA

As ceratoses seborréicas (algumas vezes denominadas verrugas seborréicas)


são tumores cor da pele, castanhos ou pretos que podem ocorrer em
qualquer local na pele.

Mais freqüentemente, essas ceratoses ocorrem no tronco e nas têmporas.

As ceratoses seborréicas variam de tamanho e seu crescimento é lento.

Elas podem ser redondas ou ovais, parecem estar aderidas à pele e,


freqüentemente, possuem superfícies céreas ou descamativas.

Esses tumores são benignos e não evoluem para o câncer.


LESÕES PRÉ-CANCEROSAS

 CERATOACANTOMA

 CERATOSE ACTÍNICA

 DOENÇA DE BOWEN
CERATOACANTOMA
A maioria das lesões aparece na face ou membros superiores.

Forma uma lesão elevada, de bordas lisas e cor rósea com o


centro ocupado por uma massa crostosa, endurecida.

O aspecto lembra um vulcão.

O seu crescimento é rápido e, em dois meses, pode crescer bastante .

Apesar de pouco frequente, existe uma forma múltipla do ceratoacantoma,


quando várias lesões surgem ao mesmo tempo.

Evolui espontaneamente para a


regressão e tende
a acometer mais os homens
após 40-50 anos de idade.
CERATOSE ACTÍNICA (SOLAR)

As ceratoses actínicas são lesões que surgem nas áreas da pele

continuamente expostas ao sol e é resultado do efeito acumulativo

da radiação ultra-violeta do sol sobre a pele durante toda a vida.

As pessoas de pele clara e idade avançada são mais afetadas.

A doença não é, entretanto, privilégio de idosos, aparecendo também

em pessoas de meia idade que se expuseram de forma intensa e repetida ao sol.

As ceratoses solares estão incluídas entre as dermatoses pré-malignas


pois podem, eventualmente, se transformar em um câncer da pele.
CERATOSE ACTÍNICA

As lesões aparecem na face, couro cabeludo e dorso dos braços e das mãos.

Podem ter vários aspectos: avermelhadas e descamativas, manchas de


cor escura discretamente elevadas e rugosas ou lesões ásperas,
bastante elevadas e endurecidas.

O número de lesões varia muito


podendo ser desde lesão única até CERATOSE ACTINICA
áreas de pele completamente
recobertas por ceratoses.
As escamas endurecidas que
recobrem as ceratoses podem se soltar
devido a traumatismos mas voltam
a se formar.
DOENÇA DE BOWEN:
CARCINOMA EPIDERMÓIDE IN SITU

A doença de Bowen é uma forma de carcinoma epidermóide limitado


à epiderme e que ainda não invadiu a derme subjacente.

A pele afetada apresenta uma cor vermelho acastanhado e descama


ou é crostosa e plana, às vezes similar a uma placa de psoríase,
dermatite ou uma infecção fúngica.
CARCINOMA BASOCELULAR
O carcinoma basocelular é o câncer da pele mais
comum

compreende 75% dos tumores epiteliais malignos.

Localiza-se na face e acomete indivíduos brancos,

acima de 40 anos de idade,

com história de exposição repetitiva à luz solar.


deriva de células basais da epiderme e do aparelho folicular.

tumor de baixo grau de malignidade,

com capacidade de invasão local, destruição tecidual,

recidivante e com limitado poder de metastatização.


CARCINOMA BASOCELULAR

MACROSCOPIA

Quatro tipos principais:

nódulo-ulcerativo

pigmentado

fibrosante (plano-cicatricial e esclerodermiforme)

superficial.
CARCINOMA BASOCELULAR

Normalmente localiza-se acima de uma linha que liga os


lóbulos da orelha às comissuras labiais

não ocorre em palmas, plantas e mucosas.

O tipo nódulo-ulcerativo na sua evolução pode assumir um aspecto

plano-cicatricial
(extensão em superfície, as vezes com cicatrização central),

terebrante (invasão em profundidade com destruição estrutural)

vegetante (proliferação central


CARCINOMA EPIDERMÓIDE

O carcinoma epidermóide é um câncer que se origina na camada média


da epiderme.

Habitualmente, o carcinoma epidermóide ocorre nas áreas


expostas ao sol, mas ele pode desenvolver-se em qualquer local
da pele ou em locais como a língua ou o revestimento da boca.

Ele pode desenvolver-se sobre uma pele que apresenta aspecto


normal ou que foi lesada (mesmo muitos anos antes) pela exposição
ao sol (ceratose actínica).
CARCINOMA EPIDERMÓIDE

O carcinoma epidermóide começa como uma á rea vermelha com uma


superfície crostosa e descamativa que não cicatriza.

Enquanto cresce, o tumor pode tornar-se algo elevado e firme,


às vezes com uma superfície semelhante à de uma verruga.

Finalmente, o câncer torna-se uma úlcera aberta e cresce em direção


ao tecido subjacente.

A maioria dos carcinomas epidermóides afeta somente a área


circunvizinha, penetrando profundamente nos tecidos próximos.

Entretanto, alguns deles disseminam-se (produzem metástases) para


partes distantes do corpo e podem ser fatais.
MICOSE FUNGÓIDE
LINFOMA T CUTÂNEO
A micose fungóide é um tipo raro, persistente e de crescimento lento de
linfoma não- Hodgkin, que é originário de um linfócito T maduro e afeta a pele.

Ela pode avançar para os linfonodos e órgãos internos.

A micose fungóide manifesta-se de modo tão sutil e cresce tão lentamente que,
no início, pode passar despercebida.

A micose fungóide evolui para uma erupção pruriginosa e prolongada,


algumas vezes uma pequena área de pele espessada e pruriginosa que,
posteriormente, desenvolve nódulos e dissemina-se lentamente.

Em alguns indivíduos, a micose fungóide evolui para a leucemia


(síndrome de Sézary), na qual aparecem linfócitos anormais na
corrente sangüínea.

A pele apresenta um prurido intenso, torna-se seca, vermelha e descamativa.


SARCOMA DE KAPOSI

O sarcoma de Kaposi é um câncer que se origina nos vasos sangüíneos,


geralmente da pele.
O sarcoma de Kaposi pode assumir duas formas :

A primeira é uma doença que afeta os indivíduos idosos,


freqüentemente de origem européia, judia ou italiana, nos quais o câncer
cresce muito lentamente sobre a pele e raramente dissemina- se.

Nos homens idosos, o sarcoma de Kaposi geralmente aparece como


uma mancha púrpura ou castanho escura localizada sobre os dedos dos pés
ou sobre um dos membros inferiores.

O câncer pode crescer vários centímetros ou mais, na forma de uma área


escura, plana ou discretamente elevada, a qual tende a sangrar e a ulcerar.

O câncer pode disseminar-se lentamente por todo o membro inferior.


SARCOMA DE KAPOSI

A segunda forma afeta crianças e homens jovens da África equatorial e


indivíduos com AIDS.

Esta forma do sarcoma de Kaposi cresce muito mais rapidamente e,


freqüentemente, envolve vasos sangüíneos de órgãos internos.

Entre os africanos e os indivíduos com AIDS, o sarcoma de Kaposi


comumente aparece como uma mancha cor-de-rosa, vermelha ou púrpura,
redonda ou oval.
Essas manchas podem surgir em qualquer parte do corpo,
freqüentemente na face.
Em alguns meses, as manchas podem aparecer em várias partes do corpo,
inclusive na boca.
Elas também podem ocorrer em órgãos internos e em linfonodos,
podendo causar hemorragia interna.