Вы находитесь на странице: 1из 39

CONTABILIDADE GERENCIAL

PRI

Re
CONTABILIDADE GERENCIAL

PRI

Reso

C
CONTABILIDADE GERENCIAL

PRI
Reso

O
CONTABILIDADE GERENCIAL

PR

Re

REGISTRO
CONTABILIDADE GERENCIAL

PRI
Re

ATUA
Denom
CONTABILIDADE GERENCIAL

PR
Re

Confronta çã
CONTABILIDADE GERENCIAL

PR

Re
Teoria da Contabilidade

 O ATIVO E SUA AVALIAÇÃO

Definição de Ativo:

Ativos são recursos controlados por uma entidade capazes


de gerar fluxos de caixa, ou trazer benefícios imediatos ou
futuros (USP e PUC)

Recursos incluímos tangíveis e intangíveis.

8
Teoria da Contabilidade

 O ATIVO E SUA AVALIAÇÃO

Definição de Ativo:

Controlados por uma entidade, podemos ter ou não a propriedade


Ex: Podemos ter adquirido um ativo e ele ainda estar em trânsito, não
chegou fisicamente, em nossa entidade,mas, nem por isso deixa de
ser ativo.

Benefícios Imediatos ou futuros que poderão ser transformados em


entradas de caixa ou em economia de saídas de caixa Ex: Imediato
– Ativo Circulante em geral - futuro – Seguro pago pela empresa

9
Teoria da Contabilidade

 OBSERVAÇÕES:

Como devemos tratar bens incorporados


por doação?

Bens incorporados por doação são ativos,


da mesma forma que os adquiridos ou
construídos.

10
Teoria da Contabilidade

 OBSERVAÇÕES:

Doações recorrentes - Ex: Entidades não


lucrativas que tem como fonte parcial de suas
receitas, a contrapartida deverá ser a crédito de
receita, possivelmente não operacional.

Doação de Ativo Permanente – para serem


utilizados em mais de um ciclo operacional, a
contra partida poderá ser a crédito de uma
conta do Patrimônio Liquido

11
Teoria da Contabilidade

 AVALIAÇÃO E MENSURAÇÃO DOS ATIVOS

“Conceitualmente, a medida de valor de um ativo é a soma dos


preços futuros de serviços a serem obtidos, descontados pela
probabilidade de ocorrência e pelo fator juro, a seus valores
atuais”

“No âmago de todas as teorias para a mensuração dos ativos,


se encontra a vontade de que a avaliação represente a melhor
quantificação possível dos potenciais de serviços que o ativo
apresenta para a entidade”

12
Teoria da Contabilidade

 Exemplo:

Uma empresa está avaliando uma máquina da qual


se espera a produção durante um período de 3 (três)
anos, de uma receita anual de R$ 165.000,00, com
custos de manutenção anuais de R$ 15.000,00.

A maquina tem um valor residual esperado de R$


30.000,00 no fim de sua vida útil. Se a taxa de retorno
(oportunidade) estiver em 15% a.a., qual seria o
valor atual desse ativo?

13
Teoria da Contabilidade

 Solução:

Valor Presente das Receitas = R$ 165.000,00 por ano


Custos de Manutenção = R$ 15.000,00 por ano

Valor das Receitas Liquidas = R$ 150.000,00 PMT


Período = 3 anos N
Taxa de Retorno = 15% a.a. i

Valor Presente das Receitas Liquidas = R$ 342.483,77 PV

14
Teoria da Contabilidade

 Solução:

Valor Residual = R$ 30.000,00 FV


Período = 3 anos N
Taxa de Retorno = 15% a.a. I
Valor Presente do Valor Residual = R$ 19.725,49 PV

Valor Presente do Equipamento

Valor Presente das Receitas Liquidas (+) Valor Presente do Valor Residual

R$ 342.483,77 + R$ 19.725,49 = R$ 362.209,26

15
Teoria da Contabilidade

 CONCLUSÕES:

Valor de Aquisição da Máquina = R$ 320.000,00

A Máquina Deverá ser Adquirida

Valor de Aquisição da Máquina = R$ 380.000,00

A Máquina não Deverá ser Adquirida,


deve–se analisar outra alternativa de
equipamento ou reavaliar o custo de
manutenção

16
Teoria da Contabilidade

 EXERCICIO:

A empresa XPTO optou pela compra de uma maquina que após


analises chegaram a receitas liquidas esperadas no fim de cada
ano conforme segue:

1º Ano = R$ 500.000,00
2º Ano = R$ 800.000,00
3º Ano = R$ 350.000,00
4º Ano = R$ 220.000,00

17
Teoria da Contabilidade

EXERCICIO: (continuação)

O valor de aquisição é de R$ 1.500.000,00 e espera-se vender a máquina no


fim de sua vida útil (no fim do quarto ano) por R$ 300.000,00 a manutenção e
outros fatores estão em garantia durante toda a vida útil da máquina. A taxa
de oportunidade no momento da compra é de 12% a.a. Com base nestes
dados avaliar:

a) Valor Presente do Equipamento considerando as receitas esperadas.


b) O “Goodwill” no momento zero
c) O lucro econômico, considerando que a taxa de retorno desejado pela
empresa seja 12%
d) Novamente o Valor Presente do Equipamento no inicio do 2º ano.
e) Se a empresa no final do 1º ano distribuir somente o lucro econômico, qual
será o valor presente do equipamento

18
Teoria da Contabilidade

 SOLUÇÃO:

a) Valor Presente do Equipamento considerando as receitas


esperadas.

Valor das Receitas Esperadas - 1º Ano = R$ 500.000,00 ---- CFj


2º Ano = R$ 800.000,00 ---- CFj
3º Ano = R$ 350.000,00 ---- CFj
4º Ano = R$ 520.000,00 ---- CFj
($ 220.000,00+$300.000,00)
Taxa de Oportunidade = 12% ------------------------------ i

F e NPV = R$ 1.663.776,00

19
Teoria da Contabilidade
 SOLUÇÃO:

b) O “Goodwill” no momento zero

“ Goodwill = O Valor Presente do Equipamento (-) O Valor de Aquisição

“Goodwill” = R$ 1.663.776,00 (-) R$ 1.500.000,00 = R$ 163.776,00

c) O lucro econômico, considerando que a taxa de retorno desejado pela


empresa seja 12%

Lucro Econômico = Valor Presente do Equipamento x Taxa de


Retorno desejada

Lucro Economico = R$ 1.663.776,00 x 12% = R$ 199.653,12

20
Teoria da Contabilidade

 SOLUÇÃO:

d) Novamente o Valor Presente do Equipamento no inicio do 2º ano.

Valor das Receitas Esperadas - 2º Ano = R$ 800.000,00 ---- CFj


3º Ano = R$ 350.000,00 ---- CFj
4º Ano = R$ 520.000,00 ---- CFj
($ 220.000,00+$300.000,00)
Taxa de Oportunidade = 12% ------------------------------ i

F e NPV = R$ 1.363.430,00

21
Teoria da Contabilidade

 SOLUÇÃO:
e) Se a empresa no final do 1º ano distribuir somente o lucro
econômico, qual será o valor presente do equipamento

Receita esperada no 1º ano = R$ 500.000,00


(-) Distribuição do Lucro Econômico = R$ 199.653,12
Valor Residual de Receita no final do 1º ano = R$ 300.346,88

Valor Presente do Equipamento = Valor Residual de Receita no final do 1º


ano + Valor Presente do Equipamento no inicio do 2º ano

Valor Presente do Equipamento após distribuição do Lucro Econômico =


= R$ 1.363.430,00 + R$ 300.346,88 = R$ 1.663.776,00

22
Teoria da Contabilidade

 ORÇAMENTO EMPRESARIAL (Planejamento e Controle de


Resultados)

Definição: Um enfoque sistemático e formal à execução das


responsabilidades de planejamento, coordenação e controle da
administração.

Observações Importantes:
O planejamento e controle de resultados em empresas
organizadas vem sendo considerado como um “modo de
administrar” visando a administração por objetivos e a
flexibilidade realista na execução das tarefas administrativas.

23
Teoria da Contabilidade

 ORÇAMENTO EMPRESARIAL (Planejamento e


Controle de Resultados)

O planejamento e controle de resultados não é


uma técnica contábil e sim um sistema
administrativo. As contabilidades tem um papel de
colaborador com o fornecimento de dados
históricos (sempre no aspecto quantitativo).

24
Teoria da Contabilidade

Dimensões Temporais
É necessário estabelecer dimensões bem definidas e
ao definir as perspectivas de tempo, analisar com
muita propriedade os aspectos históricos e futuros.

Dimensões Estruturais
A alta administração deve estabelecer os objetivos
gerais. Os profissionais responsáveis pelos variados
departamentos em poder dos objetivos elabora seu
próprio segmento dos planos globais de resultados,
normalmente iniciando-se pelo de vendas.

25
Teoria da Contabilidade

Dimensões Estruturais

Na maioria das empresas, as atividades estão


condicionadas ao volume de vendas. Apresentação dos
planos de resultados à alta administração da empresa
para análise, críticas e dimensões, verificando as
possíveis modificações.
Os planos aprovados são consolidados em planos de
resultados para toda a empresa.

26
Teoria da Contabilidade

Aspectos Comportamentais

Na implantação de um processo de Planejamento e


Controle de Resultados, normalmente verifica-se a
resistência declarada ou sutil, isolada ou em grupos de
indivíduos. Esta reação é explicada até mesmo sobre o
aspecto humano: resistência a mudanças, falta de
compreensão do programa, preocupação em relação
às conseqüências possíveis e de que forma afetarão o
indivíduo ou o grupo, discordância quanto a necessidade de
planejamento, e principalmente o receio quanto a
aferição e desempenho.

27
Teoria da Contabilidade

Vantagens Específicas:

Desenvolvimento do processo de Administração.


Elaboração de um orçamento realista de vendas.
Estabelecimento de objetivos e padrões realistas.
Comunicação adequada de atitudes, políticas e
diretrizes pelos Administradores.
Obtenção de flexibilidade administrativa pelo uso do
sistema.

28
Teoria da Contabilidade

Desvantagens (Limitações):

O plano de resultados baseia-se em


estimativas.
O programa deve ser permanentemente
atualizado.
A execução não é automática.
O plano de resultados não deve tomar o lugar
da Administração.

29
Teoria da Contabilidade

E x e r c íc io :

E la b o r a r o O r ç a m e n
30
Teoria da Contabilidade

S u p o n d o q u e n o fi

- A p r o d u ç ã o a t in g
- O to ta l d e p e ç a s i
- C o n sum o de m a t 31
Teoria da Contabilidade

C o n ta s

32
RelatóriodeDesempenho

Contas

Salários(mensalistas)

33
Questionamento: Contabilização de Importações com Variação Cambial

C O NT AS
O C O R R E N C IA S Banc
C o n ta d e C o m p e n s a ç ã o
p a ra C o n tro le

C h e g a d a d a M e rc a d o ria
N a c io n a liz a d a c /N F c /d o la r 34
Questionamento: Contabilização de Importações com Variação Cambial

C O N T AS
O C O R R E N C IAS Banco
C o n ta d e C o m p e n sa ç ã o
p a ra C o n tro le

C h e g a d a d a M e rc a d o ria
N a c io n a liz a d a c /N F c /d o la r
35
Teoria da Contabilidade

PASSIVO

Definição:

São valores que reduzem os ativos, ou ativos negativos.


Sendo assim, poderíamos preparar um balanço no qual as
exigibilidades totais fossem subtraídas dos ativos totais,
deixando no lado direito do balanço meramente os itens que
representam a propriedade

36
Teoria da Contabilidade

Classificações de Passivo:
Exigíveis a serem pagos por mercadorias e ou serviços adquiridos de
terceiros.
Obrigações Fiscais
Provisões

Outras Classificações do Passivo:


Exigíveis Onerosos e Não Onerosos – Onerosos são aqueles que
estão custando para a empresa através de juros e encargos bancários
Ex: Financiamentos, Empréstimos Bancários e etc.

37
Teoria da Contabilidade

Outras Classificações do Passivo: (Continuação)

Exigíveis Fixos e Variáveis


Os fixos são aqueles que não variam com o volume de vendas
da empresa Ex: alugueis

Exigíveis e Coligadas
As obrigações com coligadas são aquelas contraídas junto a
outras empresas do mesmo grupo econômico

38
Teoria da Contabilidade

Outras Classificações do Passivo: (Continuação)

Exigíveis Preferenciais e Quirografários


Empregados e Encargos Sociais
Dividas com garantias reais (hipoteca, penhor mercantil)
Governo (Impostos)

Quirografários
Fornecedores, Dividendos Preferenciais

39