You are on page 1of 13

TICA NA HISTRIA

RESUMO DO PENSAMENTO TICO


FILOSOFIA ANTIGA

A tica da
antiguidade de
cunho racional
Principais Sistemas
SOFISTAS: Para os sofistas
no existem normas morais
universalmente vlidas.
SCRATES: Moral
racionalista. O indivduo que
segundo a razo age
corretamente.
Racionalismo tico
PLATO: Moral racionalista. O
homem se torna virtuoso agindo
em sociedade, submetendo suas
paixes razo.
ARISTTELES: Moral
racionalista. O homem se torna
virtuoso praticando a virtude,
pois ela um hbito.
FILOSOFIA MEDIEVAL

A tica na Idade Mdia


possui uma espiritual, a
busca do Sumo Bem, que
coincide com Deus.
Felicidade e Deus
AGOSTINHO: O homem ao
obedecer a boa vontade,
buscando o bem que est em
sintonia com o Sumo Bem,
encontra sua felicidade em
Deus.
A VONTADE em Agostinho
exerce uma papel primordial.
TOMS DE AQUINO: A
felicidade a finalidade da
vida. Esta felicidade se
identifica com Deus.
FILOSOFIA MODERNA

O destaque a tica
kantiana focada no
dever. Razo e liberdade
se confundem.
IMANUEL KANT
Um ato s considerado
moral quando praticado
conscientemente e por
dever. A racionalidade
humana a fonte da
moral. Esta tica
chamada deontolgica.
Imperativo categrico

Age de tal modo que a


sua ao possa se
transformar em mxima
universal.
FILOSOFIA
CONTEMPORNEA

Diante da pluralidade de
propostas, destacamos a
tica discursiva de
Habermas.
JUERGEN HABERMAS
A tica se sustenta no
dilogo e no consenso entre
os sujeitos. H uma aposta
na linguagem e na
capacidade de entendimento
entre as pessoas. Este
princpio da tica discursiva.