Вы находитесь на странице: 1из 12
1 Co 11.23-32
“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na “E tomando o cálice, e havendo dado graças,
“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na “E tomando o cálice, e havendo dado graças,

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na

“E tomando o cálice, e havendo dado graças,

comunhão, e no partir do pão, e nas orações.” (At

disse: Tomai-o, e reparti-o entre vós.” (Lc 22.17)

2.42)

  • É chamada de “Ceia do Senhor” (v20), “O partir do pão” (At 2.42; 20.7), “A comunhão” (1 Co

10.16), “Eucaristia” (Lc 22.17,19), “A mesa do

Senhor” (1 Co 10.21).

  • Quando instituiu este rito, Jesus mandou: “Façam

isto em memória de mim” (v24; Mt 26.26, 27; Mc

14.22,23; Lc 22.19,20). Quem não o faz está em

desobediência a uma ordem direta do Senhor.

“Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da 
“Sabendo que não foi com coisas corruptíveis,
como prata ou ouro, que fostes resgatados da
“A Ceia do Senhor é o memorial de sua morte em
“Semelhantemente, depois de cear, tomou o
cálice, dizendo: Este é o cálice da nova aliança no
vossa vã maneira de viver que por tradição
nosso lugar” (DFAD,11.5) (v24,25). É a represen-
recebestes dos vossos pais, mas com o precioso
meu sangue, derramado em favor de vós.” (Lc
tação de um evento histórico: a morte de Cristo na
sangue de Cristo, como de um cordeiro
22.20)
cruz do Calvário.
imaculado
“Porventura
e incontaminado.”
o cálice de
bênção,
(1Pe 1.18,19)
que
A Ceia também é a lembrança contínua da nova
abençoamos, não é a comunhão do sangue de
aliança com Cristo, na sua morte (Lc 22.20), na qual
Cristo? O pão que partimos não é porventura a
os crentes alcançaram o perdão divino, cujo preço
comunhão do corpo de Cristo?” (1Co 10.16)
foi o sangue de Jesus (1 Pe 1.18,19).
A Ceia também é uma ocasião de comunhão com o

Senhor (1 Co 10.16), e proporciona uma experiên-

cia de unidade do Corpo de Cristo.

 Ao celebrar a Ceia, a presença de Jesus se renova em meio à comunidade, que
 Ao celebrar a Ceia, a presença de Jesus se renova em meio à comunidade, que
  • Ao celebrar a Ceia, a presença de Jesus se renova

em meio à comunidade, que anuncia sua mensa-

gem, como se estivesse lá, com os apóstolos, na

noite em que se celebrou a primeira ceia.

  • O pão e o vinho simbolizam o corpo e sangue do Senhor, e quando participamos dos elementos,

“Porque nós, sendo muitos, somos um só pão e

um só corpo por que todos participamos do

mesmo pão.” (1Co 10.17)

  • A ceia também é uma ocasião de união e comunhão

 A Ceia também é uma celebração da garantia do céu (Lc 22.18), da promessa da
 A Ceia também é uma celebração da garantia do céu (Lc 22.18), da promessa da
  • A Ceia também é uma celebração da garantia do

céu (Lc 22.18), da promessa da volta de Jesus (v26).

  • A Ceia é uma ocasião de expectativa pela participa-

“porque vos digo que desde agora não mais

ção na Ceia do Cordeiro; é a antecipação de uma

beberei do fruto da videira, até que venha o

consumação gloriosa (Mt 26.29; Ap 19.7,9).

reino de Deus.” (Lc 22.18)

  • Quem não participa dessa graça aqui não experi-

“E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles

“Mas digo-vos que desde agora não mais beberei

mentará a futura também; pois indica que não está

que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro.

deste fruto da videira até aquele dia em que

em comunhão com o Senhor. Mas quem recebe

convosco o beba novo, no reino de meu Pai.” (Mt

Disse-me ainda: Estas são as verdadeiras palavras

aqui, participará lá. Assim, louvamos a Deus pela

de Deus.” (Ap 19.9)

26.29)

vida eterna e a nossa entrada no céu.

“Semelhantemente tomou o cálice, depois da  O Pão – simboliza o corpo de Cristo, que
 
 

“Semelhantemente tomou o cálice, depois da

  • O Pão simboliza o corpo de Cristo, que foi parti-

ceia, dizendo: Este cálice é o Novo Testamento no

do por nós. Na cruz Ele sofreu muito, por amor a

meu sangue, que é derramado por vós.” (Lc

nós. Ele sofreu a dor que nós merecemos, em

22.20)

nosso lugar (Lc 22.19).

  • O Vinho representa a nova aliança entre nós e

“E, tomando o pão, e havendo dado graças,

Deus. No AT, uma aliança era selada com um sacri-

partiu-o, e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo,

fício, com o sangue de um animal derramado. O

que por vós é dado; fazei isto em memória de

sangue de Jesus pagou por nossos pecados e

mim.” (Lc 22.19)

estabeleceu uma nova aliança (Lc 22.20).

 
  • Sendo apenas símbolos (embora consagrados), os elementos que sobrarem podem ser consumidos ou destruídos.

 Aquele que aceitou Jesus como seu Senhor e Salvador, pela fé. A Ceia é para
 Aquele que aceitou Jesus como seu Senhor e Salvador, pela fé. A Ceia é para
  • Aquele que aceitou Jesus como seu Senhor e

Salvador, pela fé. A Ceia é para quem é salvo.

Tomar a Ceia sem crer é desrespeitar Jesus e Seu

sacrifício.

“Mas agora vos escrevi que não vos associeis

com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso,

ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou

beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda

comais.” (1Co 5.11)

  • Todos os crentes em comunhão com a igreja po-

dem participar, sejam membros da igreja local, ou

 Na igreja primitiva, o partir do pão era observado com frequência (At 2.42,46).  Provavelmente,
 Na igreja primitiva, o partir do pão era observado com frequência (At 2.42,46).  Provavelmente,
  • Na igreja primitiva, o partir do pão era observado com frequência (At 2.42,46).

  • Provavelmente, a igreja celebrava a Ceia semanal-

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na

mente, no domingo (At 20.7).

comunhão, e no partir do pão, e nas orações. E,

O Senhor não estabeleceu um período para a cele-

  • perseverando unânimes todos os dias no templo,

“E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os

bração; apenas ordenou que fizéssemos. Muitas

e partindo o pão em casa, comiam juntos com

discípulos para partir no dia seguinte, falava com

igrejas celebram-na uma vez por mês.

alegria e singeleza de coração.” (At 2.42,46)

eles; e alargou a prática até à meia noite.” (At

  • Os crentes devem esforçar-se para manter a

20.7).

participação frequente neste rito, cumprindo a

ordenança do Senhor.

 Cremos que não há mudança nos elementos (tran- substanciação); eles não se tornam carne e
 Cremos que não há mudança nos elementos (tran- substanciação); eles não se tornam carne e
  • Cremos que não há mudança nos elementos (tran- substanciação); eles não se tornam carne e sangue de Cristo reais; mantém sua natureza e substância.

  • Não cremos na presença real de Cristo no pão e no vinho (consubstanciação). Eles são símbolos do corpo e sangue de Cristo, recebidos pela fé.

  • “Na ceia do Senhor, quando participamos dos ele- mentos do pão e do vinho, participamos espiritual- mente de Cristo. O pão e o vinho são importantes porque simbolizam Cristo”. Williams

  • Cristo está presente na igreja cada vez que nos reunimos (Mt 18.20), especialmente na Ceia.

 Paulo recomenda que cada crente deve examinar a si mesmo, repetidamente, e antes da Ceia,
 Paulo recomenda que cada crente deve examinar a si mesmo, repetidamente, e antes da Ceia,
  • Paulo recomenda que cada crente deve examinar a

si mesmo, repetidamente, e antes da Ceia, especial-

mente (v27-29,31; 2 Co 13.5).

“Mas se andarmos na luz, como ele na luz está,

temos comunhão uns com os outros, e o sangue

O autoexame é o caminho para participar da santa

  • “Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na

de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o

comunhão de modo digno. Quem continua pecan-

fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis

pecado. Se confessarmos os nossos pecados, ele

do, contra Cristo ou contra o irmão, se condena

quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em

é fiel e justo, para nos perdoar os pecados, e nos

quando toma a Ceia, pois reconhece o sacrifício de

vós? Se não é que já estais reprovados.” (2Co

purificar de toda a injustiça.” (1Jo 1.7,9)

Cristo, mas nega sua eficácia.

13.5)

 
  • Antes de tomar a Ceia deve-se pedir perdão a quem

se tenha ofendido (1 Jo 1.7,9), e buscar graça para

se corrigir e abandonar o pecado (Pv 28.13).

 Somos todos pecadores, salvos pela graça. Mas devemos fazer um autoexame para verificar a nossa
 Somos todos pecadores, salvos pela graça. Mas devemos fazer um autoexame para verificar a nossa
  • Somos todos pecadores, salvos pela graça. Mas devemos fazer um autoexame para verificar a nossa fé em Cristo e compromisso com Ele.

  • Não se pode participar do sagrado em condição de profano sem as consequências negativas.

  • A mesa do Senhor não é lugar de indiferença,

descrença, desobediência ou desunião. Quem faz

isto ficará fraco, doente ou morrerá (v30-32).

  • A condenação aqui é um castigo de Deus para nos

disciplinar, corrigir.

 Todo crente deve participar regularmente da Ceia do Senhor, com temor e gratidão em seu
 Todo crente deve participar regularmente da Ceia do Senhor, com temor e gratidão em seu
  • Todo crente deve participar regularmente da Ceia

do Senhor, com temor e gratidão em seu coração.

  • Ao celebramos a Ceia, relembramos a morte de

Cristo, celebramos a comunhão com Ele e com os

irmãos, e renovamos a expectativa da volta do

Noivo para buscar a Sua igreja.

  • A Ceia é um momento para renovarmos nossa fé e nosso compromisso com o Senhor, e a unidade do

Seu corpo, a igreja.

Soli Deo Gloria!