Вы находитесь на странице: 1из 21

Cultura Um Conceito

Antropológico
Ma. Jardelly Lhuana da Costa
Santos
O autor
Possui graduação e Bacharelado
em História pela Universidade
Federal de Minas Gerais (1959) e
doutorado em Sociologia pela
Universidade de São Paulo
(1972). Atualmente é professor
emérito da Universidade de
Brasília, membro do Conselho
Nacional de Imigração e do
Conselho Consultivo do Instituto
do Patrimônio Histórico e
Artístico Nacional.
Unidade Biológica e
Diversidade Cultural
Como compreender a diversidade cultural levando-se em conta
a unidade biológica;

Em outras palavras, se pertencemos a mesma “raça”, qual é a


razão para a diversidade cultural?
Em geral ao se depararem com a
diversidade cultural a postura dos
pensadores e analistas da Cultura
variavam entre um OLHAR
ETNOCÊNTRICO, ou um
pioneirismo RELATIVISMO
CULTURAL.
Etnocentrismo
É uma visão de mundo onde nosso próprio grupo é tomado como
centro de tudo e todos os outros são pensados e sentidos através dos
nossos valores, nossos modelos, nossas definições do que é a
existência;
No plano intelectual, pode ser visto como a dificuldade de
pensarmos a diferença;
No plano afetivo, como sentimento de estranheza, medo,
hostilidade e etc.
Relativismo Cultural
Vejamos como Montaigne (1984)
comentou a antropofagia dos
Tupinambá:
“Não me parece excessivo julgar bárbaros tais
atos de crueldade, mas que o fato de condenar
tais defeitos não nos leve à cegueira acerca dos
nossos. Estimo que é mais bárbaro comer um
homem vivo do que o comer depois de morto; e
é pior esquartejar um homem entre suplícios e
tormentos e o queimar aos poucos, ou entregá-lo
a cães e porcos, a pretexto de devoção e fé, como
não somente o lemos, mas vimos ocorrer entre
vizinhos nossos”
Relativismo Cultural
É o resultado do reconhecimento da incapacidade de mensurar a
cultura de um grupo;
É uma crítica as abordagens evolucionistas, segundo as quais
sociedades e culturas podiam ser classificadas das primitivas às
avançadas;
Foi desenvolvida no seio da Antropologia Social e buscava
romper com as comparações e a utilização de critérios
independentes para emitir juízo de valor;

Assim, a cultura só pode ser considerada dentro


do seu contexto cultural.
Determinismo Biológico
São teorias que atribuem capacidades específicas inatas
a “raças” ou grupos humanos. Entretanto, os
antropólogos estão convencidos de que as diferenças
genéticas não são determinantes das diferenças
culturais.
Determinismo Biológico
“Muita gente ainda acredita que os nórdicos
são mais inteligentes que os negros; que os
alemães têm mais habilidade para a
mecânica; que os judeus são avarentos e
negociantes; que os norte-americanos são
empreendedores e interesseiros; que os
portugueses são muitos trabalhadores e pouco
inteligentes; que os japoneses são
trabalhadores, traçoeiros e cruéis; que os
ciganos são nômades por instinto, e,
finalmente, que os brasileiros herdaram a
preguiça dos negros, a imprevidência dos índios
e a luxúria dos portugueses” (LARAIA, 2001)
Segundo Felix Keesing “não existe correlação significativa entre a
distribuição dos caracteres genéticos e a distribuição dos
comportamentos culturais. Qualquer criança humana normal
pode ser educada em qualquer cultura, se for colocada desde o
início em situação conveniente de aprendizado.”

“(…) se transportarmos para o Brasil, logo após o seu nascimento,


uma criança sueca e a colocarmos sob os cuidados de uma família
sertaneja, ela crescerá como tal e não se diferenciará mentalmente
em nada do seu irmão de criação” (LARAIA, 2001).
Endoculturação
A Antropologia têm demonstrado que muitas das atividades
atribuídas às mulheres em uma determinada cultura podem
ser atribuídas aos homens em outra;
O comportamento do indivíduo depende do aprendizado,
adquirido desde a infância até a idade adulta, a que
chamamos de endoculturação;

“O transporte de água para a aldeia é uma atividade feminina no


Xingu (como nas favelas cariocas). Carregar cerca de vinte litros de
água sobre a cabeça implica, na verdade, um esforço físico considerável,
muito maior do que o necessário para o manejo de um arco, arma de
uso exclusivo dos homens.” (LARAIA, 2001)
Endoculturação - Aprendizagem
“O exeército de Israel demonstrou que a sua eficiência bélica
continua intacta, mesmo depois da maciça admissão de mulheres
soldados.” (LARAIA, 2001, p.10)
Determinismo Geográfico
Considera que as diferenças ambientais
condicionam a diversidade cultural. Essas
teorias surgem em fins do séculos XIX e
no início do século XX ganharam
notoriaedade;

Em 1920, os antropólogos Franz Boas e


Wissler Kroeber, refutaram esse
determinismo, demonstrando que é
possível coexistir diversidade cultural
num mesmo ambiente físico;

A imagem ao lado demonstra que Lapões


e Esquimós, ambos habitantes da calota
polar no norte, buscaram respostas
culturais diferentes para garantir a
sobrevivência.
Como vimos anteriormente, as limitações biológicas e
ambientais não conseguem explicar a diversidade cultural
entre os humanos. O grande mérito dos humanos foi
romper com as suas limitações biológicas, Por ser o único
animal que possui cultura.

“(…) sem asas dominou os ares; (…) sem membranas próprias,


dominou os mares.” (LARAIA, 2001)
Conceito de Cultura
Tylor foi pioneiro ao propor o conceito de cultura
como:

“(...) em amplo sentido etnográfico é este todo o complexo que


inclui conhecimentos, crenças, arte, moral, leis, costumes ou
qualquer outra capacidade ou hábitos adquiridos pelo homem
como membro de uma sociedade.” (TYLOR apud LARAIA,
2001)
Ampliação do conceito de cultura
Após a elaboração do primeiro conceito de cultura por Tylor, muitos
outros contribuíram para ampliar o conceito de cultura. Kroeber, por
exemplo, incluiu alguns pontos:
A cultura determina o comportamento dos humanos e justifica
suas ações;
O humano age conforme seus padrões culturais, os instintos
foram praticamente anulados pela evolução pela qual passou;
O humano modifica o meio e não seu aparato biológico;
Em razão disso, transformou a Terra em habitat;
O humano depende do aprendizado
Ampliação do conceito de cultura
O processo de endoculturação determinou seu
comportamento e capacidades artísticas profissionais;
A cultura é um processo acumulativo que limita e
estimula a ação criativa do humano;
O humano é resultado do meio cultural no qual foi
socializado;
Invenções e inovações não são frutos de ação isolada de
um gênio, são resultado do esforço de toda uma
comunidade.
Revisão…
Conceitos importantes:

A – Etnocentrismo;

B – Relativismo Cultural;

C – Endoculturação;

D - Cultura
Revisão…
Ideias Importantes!!

I – as diferenças físicas (genéticas) e as diferenças


geográficas não conseguem explicar a diversidade cultural
entre os povos;

II – É o processo de internalização da cultura, a


endoculturação, de educação, que atribui as capacidades e
os papeis de homens e mulheres na sociedade;

III – O humano é o único “animal” que possui cultura;


Aprofundem seus conhecimentos com
a leitura literal do texto que está
disponível na apostila da disciplina!
Boa Leitura!