Вы находитесь на странице: 1из 36

Uso da voz como forma de Milena

Ivy
omunicação na prática docenteRenata Schindel
COMO A VOZ É
PRODUZIDA?
PRODUÇÃO VERBAL
 A partir de um fluxo de ar expirado dos pulmões;
 Um som base gerado na laringe;
 Aproximando e produzindo vibração das pregas vocais

 O som produzido pela laringe é de fraca intensidade,


sendo assim, ele será amplificado (alto-falante natural)
modificado (estruturas articulatórias) por várias
estruturas até atingir a saída para o ambiente.
ESTRUTURAS
ESTRUTURAS
 Laringe:
 Proteção vias aéreas
 Respiração
 Fonação
ESTRUTURAS
 Pregas Vocais (Cordas Vocais)
VÍDEO ILUSTRADO

https://www.youtube.com/watch
?v=JgBM78h80Hg
FALAR EM PÚBLICO: ANSIEDADE NORMAL
OU PATOLÓGICA?
Ansiedade normal Ansiedade patológica
TESTE PARA MEDO DE FALAR EM PÚBLICO
Escanear o teste
CONTRIBUIÇÃO DAS HABILIDADES
SOCIAIS PARA A COMUNICAÇÃO ORAL
 Habilidades sociais: comportamentos aprendidos e treináveis que
possibilitam iniciar e manter interações sociais positivas
(comportamentos emitidos durante a comunicação)
 Postura durante a comunicação
 Posição no espaço Componentes não verbais

 Contato Visual
 Autoestima
Componentes cognitivo-afetivos
 Autoeficácia
 Indicadores de ansiedade Componentes fisiológicos
SOBRE VESTUÁRIO

1) Roupas apertadas podem prejudicar a voz.

FATO
EXPLICAÇÃO
 Recomenda-se a utilização de roupas confortáveis para que não haja
impedimento para a expansão e contração do diafragma
 O uso de lenços, mantas apertados na região do pescoço também
pode contrair a musculatura da laringe
SOBRE A RESPIRAÇÃO
2) O tipo de respiração mais adequado
para o uso profissional da voz é:

a) Respiração superior (costal-superior ou clavicular)


b) Média, mista ou torácica
c) Costo-diafragmático-abdominal
EXPLICAÇÃO
SOBRE ALIMENTAÇÃO
3) Os alimentos que podem influenciar a voz,
tornando-a mais limpa ou mais “pesada” são:

a) Alface
b) Café
c) Chá
d) Chocolate
e) Maçã
EXPLICAÇÃO
 A alimentação deve ser equilibrada e leve, com predomínio de
grãos, frutas e verduras

 Uma fruta especial que deve fazer parte da


alimentação é a maçã, que além de nutritiva,
tem a propriedade de ser adstringente,
limpando parte do trato vocal

 Derivados do leite, bebidas com cafeína,


refrigerantes, alimentos pesados e gordurosos
devem ser evitados
SOBRE A ÁGUA
4) Beber água durante as aulas faz bem para a voz.

FATO
EXPLICAÇÃO
 Beber água reduz a quantidade de muco viscoso e a
sensação de garganta seca, permite uma melhor flexibilidade
e vibração das pregas vocais
 A ingestão de sucos cítricos naturais também é recomendada,
pois aumenta a salivação, relaxando a musculatura da
garganta
SOBRE SUSSURRO E PIGARRO
5) Sussurrar e pigarrear não prejudicam a voz.

MITO
EXPLICAÇÃO
 O ato de sussurrar faz com que a pessoa
desestabilize os músculos da laringe
envolvidos com a fonação, o que gera tensões
que sobrecarregam as pregas vocais,
favorecendo o desenvolvimento de lesões,
fadiga vocal e até dor ao falar
 O ato de raspar a garganta é um hábito
lesivo, pois as pregas vocais se tencionam de
forma exagerada, criando uma região de atrito
que causa irritação e descamação da mucosa.
ÁLCOOL E CIGARRO
6) O consumo de bebidas alcoólicas e de cigarro prejudicam o trato
vocal.

FATO
EXPLICAÇÃO
Cigarro:
 Agride todo o sistema respiratório, trato vocal e principalmente as pregas
vocais (que reagem com a produção intensa de muco pelo depósito de
nicotina, lesionando-as e fazendo com que a voz seja mais grossa)
 Limita a respiração, aumentando sensação de cansaço, fala ofegante e
diminui a projeção vocal

Álcool:
 Irritação da mucosa do aparelho fonador (reduz a sensibilidade)
permitindo que vários abusos vocais sejam cometidos sem serem
percebidos
 Quando consumo associado: aumenta o fator de risco para o surgimento de
lesões preocupantes da laringe, como o câncer
SOBRE SPRAYS/PASTILHAS
7)Pastilhas para a garganta não causam danos vocais.

MITO
EXPLICAÇÃO

 Sem prescrição médica, pode apresentar


efeito semelhante ao álcool. Possuem efeito
anestésico que irá mascarar a dor na
garganta e provocar maior abuso vocal
EXERCÍCIOS VOCAIS
Você acha que exercícios vocais podem prevenir problemas de voz?
ESTUDOS

2013
ESTUDOS

2012
HÁBITOS VOCAIS SAUDÁVEIS
 Beber água, em temperatura ambiente, principalmente durante o
período em que estiver dando aula;
 Manter uma alimentação balanceada;
 Evitar fumar ou ficar perto de fumantes no intervalo das aulas;
 Evitar falar além do necessário (Ex.: fazer a chamada em voz alta);
 Evitar falar na presença de ruídos externos altos;
 Evitar gritar. Procure aproximar-se dos alunos para a interação
(ideal é uso de microfone)
 Articular bem as palavras, usando também expressões faciais para
evitar o abuso vocal
HÁBITOS VOCAIS SAUDÁVEIS
 Evitar falar quando estiver de costas para o público;
 Procurar utilizar os intervalos entre as aulas para repousar a voz;
 Os relaxamentos com o pescoço são sempre indicados para
diminuir a tensão da região;
 Procurar manter o corpo ereto, alinhado a coluna vertebral, para a
respiração ser abdominal (evitar falar sentado)
 Descansar bem a noite;
 Não pigarrear se a voz falhar, e sim beber água;
 Aquecer e desaquecer a voz SEMPRE pré e pós aula
ENCAMINHAMENTOS

Acompanhamento
Prevenção Exercícios vocais
com fonoaudiólogo

Rouquidão
Conforme resultado,
(alteração na voz) Consultar com
médico encaminha
persistente por mais médico ORL
para fonoterapia
de 15 dias
EXERCÍCIOS VOCAIS
ALONGAMENTO/RELAXAMENTO

AQUECIMENTO
•/m/ mastigado – 5x
• /vzj/ – 5x
• /i/ agudo – 10x
• /TR/ e /BR/ – 15x cada
• palito de pirulito /vu/ – 10x

DESAQUECIMENTO
• repouso vocal
• /u/ grave – 10x
• bocejo-suspiro – 5x
REFERÊNCIAS
Masson MLV, Loiola CM, Fabron EMG, Horiguela MLM. Aquecimento e desquecimento vocal
em estudantes de Pedagogia. Distúrbios da Comunicação. 2013;23(2).

Pizolato RA, Mialhe FL, Barrichelo RCO, Rehder MIBC, Pereira AC. Práticas e percepções de
professores, após a vivência vocal em um programa educativo para a voz. 2012;20(39):
35-44.

Muito além do ninho de Mafagafos: um guia de exercícios práticos para aprimorar sua
comunicação. Diana Melissa Faria, Maria Tereza Camisa, Maria Abadia Guimarães – São
Paulo: J&H Editoração, 2008 - 3ª ed.