You are on page 1of 10

A geração de 1945

 Fim da 2ª Guerra Mundial e início da Guerra Fria;

 Fim da Ditadura Vargas e início de um período


democrático e desenvolvimentista de Juscelino
Kubitscheck;
 Menos exigidos social e politicamente, os artistas
empreendiam uma pesquisa estética em busca de novas
formas de expressão;
 Na literatura, ao lado de obras que mantinham certa
preocupação social e davam continuidade ao regionalismo
de 30, começam a se destacar produções em que a pesquisa
acerca da linguagem era a grande inovação;
 A poesia de 45 trouxe a questão “a poesia é a arte da
palavra”. Assim, alguns autores buscaram uma faceta mais
formalizante, outros caminharam em busca de inovações
na linguagem, tornando-a sintética, concreta e racional,
dando continuidade a algumas experimentações de
Drummond e Murilo Mendes.
 Clarice Lispector (1926-1977) – nascida na Ucrânia,
veio para o Brasil muito cedo e tornou-se uma das mais
importantes autoras brasileiras.
 Introduziu técnicas de expressão novas na linguagem,
 A narrativa geralmente subverte a estrutura tradicional
dos gêneros (o conto, o romance), quebrando a
sequência “começo, meio e fim” e a ordem
cronológica;
 Funde a poesia à prosa, fazendo uso constante de
figuras de linguagem em suas narrativas;
 “fluxo de consciência” – Clarice vale-se de uma
experiência mais radical que a introspecção
psicológica. É um aprofundamento na personagem
que quebra os limites de espaço e tempo que tornam a
narrativa verossímil. No fluxo, presente e passado se
misturam, assim como realidade e desejo. O fluxo
cruza vários planos narrativos, sem uma preocupação
com a lógica ou linearidade da obra.
 João Guimarães Rosa (1908-1967) é um autor que dá
continuidade à tendência regionalista, porém a partir
de novas experiências no campo da linguagem.
 Estreou em 1946 com os contos de Sagarana, que
surpreende pelas técnicas narrativas empregadas, além
das inovações linguísticas.
 Em suas narrativas, Rosa tenta recriar a fala do
sertanejo não apenas no plano do vocabulário como
também no campo da sintaxe e no da melodia das
frases.
 Em geral, dá voz ao sertanejo por meio de técnicas
como o foco narrativo em 1ª pessoa, o discurso direto e
o indireto e monólogo interior.
 Essa recriação da linguagem
busca ir além da retratação da
língua do sertanejo. Tomando
por base essa variante linguís-
tica, ele recria a língua portu-
guesa, trazendo o uso de pala-
vras em desuso, neologismos,
emprego de palavras emprestadas de outros idiomas e
exploração de novas estruturas sintáticas.
- Faz uso de recursos mais comuns à poesia, tais como ritmo,
aliterações e assonâncias, metáforas, imagens, criando uma
prosa poética.
 João Cabral de Melo Neto (1920-1999) – nasce no
Recife e se torna o mais importante poeta da geração
de 45. Publicou “Pedra do Sono”, sua primeira obra, em
1942.
 Sua poesia é baseada na ideia “linguagem-objeto”, em
que a palavra é buscada em sua objetividade e precisão.
 Para ele, a poesia não é fruto de sentimentos
subjetivos, mas, sim, de um árduo trabalho racional
que implica fazer e refazer diversas vezes o mesmo
verso até que sua forma adequada seja obtida.
 No conjunto de sua obra, destacam-se a preocupação
com a realidade, a reflexão permanente sobre o
trabalho do artista e o aprimoramento da relação
“linguagem-objeto”, isto é, a linguagem que, por sua
própria construção, procura sugerir o mundo
retratado.
 Sua obra mais conhecida é Morte e Vida Severina, um
auto de Natal que faz uso do ritmo e da musicalidade,
na qual ele aborda a vida de Severino, um retirante.
— O meu nome é Severino, senhor desta sesmaria.
como não tenho outro de pia. [...]
Como há muitos Severinos, E se somos Severinos
que é santo de romaria, iguais em tudo na vida,
deram então de me chamar morremos de morte igual,
Severino de Maria; mesma morte severina:
como há muitos Severinos que é a morte de que se morre
com mães chamadas Maria, de velhice antes dos trinta,
fiquei sendo o da Maria de emboscada antes dos vinte,
do finado Zacarias. de fome um pouco por dia
Mas isso ainda diz pouco: (de fraqueza e de doença
há muitos na freguesia, é que a morte severina
por causa de um coronel ataca em qualquer idade,
que se chamou Zacarias e até gente não nascida).
e que foi o mais antigo