Вы находитесь на странице: 1из 30

DENOTAÇÃO,

CONOTAÇÃO
E FIGURAS DE
LINGUAGEM
Linguagem literária: emprega a palavra
em dois sentidos

1) Sentido denotativo (sentido próprio


da palavra).

2) Sentido conotativo (sentido


figurado);
1)Exemplo: Minha gata está doente.
(sentido próprio = denotação).

1)Exemplo: Você está muito gata hoje!


(outro sentido = conotação).

Então, OBSERVE:
• Sentido denotativo: sentido próprio,
puro, objetivo da palavra, sem que
ocorram desvios de significação a
outros termos;

• Sentido conotativo: transposição de


sentidos de certos termos que são
empregados em outras palavras.
Charges com linguagem figurada
(sentido conotativo):
Outros exemplos:

Linguagem figurada no cotidiano:

1)Leito do rio (Rio não tem cama).

2) Asa da xícara (xícara não tem asa).

3) Dente de alho (alho não tem dente).


Poema Tirado de uma Notícia de Jornal

João Gostoso era carregador de feira livre


e morava no morro da Babilônia num
barracão sem número
Uma noite ele chegou no bar Vinte de
Novembro
Bebeu
Cantou
Dançou
Depois se atirou na lagoa Rodrigo de Freitas
e morreu afogado.

Manuel Bandeira
Análise do poema
A linguagem literária utiliza-se da
conotação, da linguagem figurada.

O que são figuras de linguagem?

São artifícios da linguagem, recursos


usados na linguagem para modificar o
seu sentido usual.

Portanto, as figuras de linguagem


contribuem para a linguagem figurada
do texto.
Figuras semânticas

São modificações ocorridas no conteúdo


da palavra;

As metáforas são as mais comuns.


Metáfora (latim): significa transporte.

Metáfora: o transporte do sentido de uma


PALAVRA para outro TERMO.
Exemplo: Inverno.

No inverno de minha vida, pretendo


desfrutar de grande estabilidade.
Comparação: introdução de elementos
comparativos na oração.
Metonímia:
substituição de
uma palavra por
outra (no lugar de)
por apresentarem
relações de
contigüidade.
Sinestesia: junção de sentidos
diferentes, provenientes de campos
sensoriais distintos.

Exemplo: Olha (visão) que cheirinho


(olfato) bom!

Catacrese: termo figurado usado por


falta de outro.

Exemplos:
1)Aterrissar na lua (somente na
Terra).

2)Embarcar de trem (somente de


barco).

3)Folha de papel.

4)Pé de mesa.
Figuras de pensamento

Modificação do sentido da oração.

Alegoria: ficção com duplo sentido.


Um dos sentidos é literal e o outro é
moral.

• O texto diz algo com a intenção de


que o leitor compreenda além desse
sentido normal.
Ironia: afirmação contrária àquilo
que se pensa ou aquilo que se
pretende dizer.
Eufemismo: utilização de palavras
suaves, com a intenção de abrandar
o efeito do conteúdo na linguagem.
Antítese: união de palavras que
possuem sentidos contrários,
antagônicos.
Paradoxo ou oxímoro: concepção
contrária ao senso comum, à uma ideia já
estabelecida.

Amor é fogo que arde sem se ver;


É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;
Hipérbole: exagero
intencional, com
gradações que
aumentam ou
diminuem.
Prosopopeia: características de seres
humanos são atribuídos a animais ou
seres inanimados.
Senhor Deus dos desgraçados!
Dizei-me vós, Senhor Deus,
Se eu deliro... ou se é verdade
Tanto horror perante os céus?!...
Ó mar, por que não apagas
Co'a esponja de tuas vagas
Do teu manto este borrão?
Astros! noites! tempestades!
Rolai das imensidades!
Varrei os mares, tufão! ...

Apóstrofe: invocação de coisa, real ou


imaginária.
Gradação: sequência
de palavras que
intensificam a
mesma ideia.

Oh, não aguardes, que a madura idade


Te converta em flor, essa beleza
Em terra, em cinza, em pó, em sobra,
em nada.