Вы находитесь на странице: 1из 32

Aumento de Potência

Aumento de Potência
A potência do motor é função de seus rendimentos térmicos,
mecânicos e volumétricos, das perdas por atrito, do poder calorífico do
combustível, da cilindrada e do número de cilindros.

O aumento de potência ou re-potenciamento eletrônico é um trabalho


que consiste em alterar os parâmetros originais do motor visando o
aperfeiçoamento dos mapas do módulo de injeção de combustível e
ponto de ignição melhorando as características originais do software
“padrão”, resultando em ganho de potência e torque com maior
“elasticidade” em todas as faixas de rotação.
Aumento de Potência
Os fabricantes de veículos em geral utilizam este software “padrão”
com potência reduzida para se precaverem de problemas como o
“mau uso” dos motores em garantia, reduzindo assim eletronicamente
a potência dos veículos.

Até mesmo a incidência de impostos sobre a potência de cada veículo


faz com que às vezes, as montadoras limitem a cavalaria do motor
para que o veículo seja comercialmente competitivo, portanto um
mesmo motor pode sair de fábrica com diferentes graus de potência.
Preparação de motores para alto rendimento

O "envenenamento" como se diz popularmente, requer cuidado,


porque a não verificação de regras básicas ocasionará sérios danos
ou nenhum benefício no aumento da potência.
A potência do motor é função de seus rendimentos térmicos,
mecânicos e volumétricos, das perdas por atrito, do poder calorífico do
combustível, da cilindrada e do número de cilindros.
Assim, parece que, se aumentarmos indiscriminadamente qualquer
um dos fatores acima, estaremos aumentando a potência do motor
mas, na maioria dos casos, o aumentamos em detrimento de outra
variável.
Considerando a cilindrada, podemos aumentá-la em alguns casos
através da diminuição da biela ou do aumento do diâmetro dos
cilindros/pistões mas, um aumento desordenado, sem a correção
dos outros fatores, provavelmente ocasionará uma redução no
rendimento, podendo até diminuir a potência do motor.
Preparação de carros

Devido a disponibilidades de peças, os carros mais usados para


preparação, são os VW com motores AP Carburados.
Preparação de carros

Alguns itens que compõem o Kit Padaria na preparação do carro:

. Turbo Compressor
. Filtro de ar esportivo
. Bomba + linha de combustível
. Escapamento completo
. Retrabalho no carburador
. Velas
. Radiador de óleo
. Intercooler
Preparação de carros

Menor valor de um Kit Padaria : R$ 9.500,00


Aumentar a entrada de ar

Uma das maneiras mais baratas e fáceis de aumentar a potência do


seu carro é começar por mudar o filtro. Se optar por um filtro de
substituição que permita uma maior entrada de ar, poderá notar um
aumento na potência de aproximadamente 2cv.
Se quiser notar um aumento maior, pode optar por um kit de admissão
direta em lugar do sistema de caixa e filtro de ar.
Em alguns casos, a entrada de ar pode aumentar até 40%, o que
pode resultar em mais 15cv em alguns carros.
Aumentar a entrada de ar
Melhorar o sistema de escape

O sistema de escape é mais um dos elementos do carro que pode ser


otimizado para aumentar a potência do motor. Se já melhorou a
quantidade de ar que entra, o passo seguinte é fazer com que este
também saia rapidamente do motor. Neste sentido, é importante ter
em conta o diâmetro dos tubos assim como a panela de escape.
Quanto ao aumento do desempenho, isto depende da cilindrada, pelo
que varia de carro para carro.
Melhorar o sistema de escape

.
Chip de potência

Se estiver à procura de resultados mais evidentes e se tiver o


conhecimento para tal, os chips de potência podem ser uma solução.
Consiste em otimizar certos parâmetros que influem sobre a
pressão máxima do turbo ou a limitação de velocidade, entre outros
e que podem melhorar o desempenho do carro entre 5 e 10% em
termos de potência.
Reprogramar Centralina

Uma reprogramação da Centralina requer o conhecimento


específico e, além disso, um investimento maior. No entanto,
quando feita por profissionais, garante uma grande diferença no
desempenho do carro tanto a nível de aceleração como de
velocidade máxima.
Potência absorvida pelos acessórios do motor

Além dos acessórios, o motor deve também acionar outros órgãos


auxiliares mas fundamentais para o seu funcionamento como
comando de válvulas. Consegue um bom ganho na potência efetiva
e na aceleração se houver uma redução da carga das molas
responsáveis pela força de fechamento das válvulas dos cilindros.
Aumento do rendimento volumétrico

Este é o caso onde se tem as maiores formas de atuação


para ganho de potência e normalmente é o recurso mais utilizado.
Sem considerar a colocação do turbo, o volume de ar aspirado pode
ser aumentado com melhor "respiração" do motor e ganho de
potência através das seguintes ações:
Aumento do diâmetro interno do coletor de admissão

Desde que os pontos de estrangulamento da admissão sejam


estudados para conseguirmos aumento da vazão. O diâmetro ideal
dos motores é determinado experimentalmente.
Polimento dos canais internos do coletor de admissão e do
cabeçote

Pode ser feito de maneira artesanal, com uma fita de lixa fina montada na ponta
do eixo da turbina de um frezzer, a ar comprimido. Reduz a perda de carga por
atrito do ar com a rugosidade das paredes internas do coletor normalmente de
alumínio (como já é conseguido nos modernos coletores de admissão de plástico).
Aumento do diâmetro das válvulas

Neste local, normalmente ocorre estrangulamento da vazão. É


custosa e difícil pois há modificações no fundido do cabeçote e troca
das válvulas e de suas sedes.
Aumento do curso de abertura das válvulas

Consegue-se com a substituição do comando de válvulas por outro


mais "nervoso". Este possui o diâmetro básico original mas a altura
do cames é aumentada para deslocar mais a válvula.
Aumento do número de válvulas

O cabeçote precisa ser trocado por outro mais caro com implicações
em calibrações nos modernos carros com injeção eletrônica.
Polimento das válvulas

Diminui a aspereza pelo atrito do ar e evita pontos de carbonização


pela impregnação de combustível.
Redução do diâmetro das hastes das válvulas

Sobra mais espaço para a passagem da mistura e com menos


turbulência. Uso de corneta na entrada do corpo da borboleta ao
invés de dutos até o filtro.
Uso de corneta na entrada do corpo da borboleta ao invés de
dutos até o filtro

Usado geralmente para motores de competição pois elimina a


obstrução ao ar causada pelo papel filtrante. Esta instalação,
aproveita o "Golpe de Ariete", causado pelo fechamento brusco das
válvulas de admissão, que provoca uma onda de retorno de
pressão pelo coletor e, ao passar e ser ampliada pela corneta,
encontra a atmosfera retornando novamente às válvulas.
Mudanças na cabeça do pistão

Melhorando a mistura e promovendo uma queima mais homogênea


e sem as anomalias da combustão (detonação, pontos quentes, etc).
Aumento do rendimento termodinâmico

"Rebaixamento" do cabeçote ou aumento da cabeça do pistão,


aumentando a taxa de compressão: mais comum de ser feito, mas
deve-se tomar cuidado com a detonação.

Otimizando a combustão, com o uso de bobinas e velas de ignição


otimizadas.

Diminuindo a diferença de temperatura entre a saída e entrada de


água de refrigeração do motor de forma a minimizar as perdas
térmicas, cuidando, ainda assim, do superaquecimento.
Preparação - Turbo

Consiste basicamente em instalar no motor um coletor de


escapamento com um turbo compressor. O mesmo utiliza como fonte
de energia os gases de escapamento, que movem um rotor da
turbina ligado a outro rotor através de um eixo, chamado de rotor do
compressor. O rotor do compressor "aspira" o ar atmosférico e
pressuriza o ar para o motor, resultando em uma maior quantidade
de ar na câmara de combustão, resultando em maior potência.
Aliviamento do motor

Consegue-se bons ganhos na aceleração do motor através do alívio de peso de


itens como pistões (menor saia), bielas (sem alterar sua estrutura) e volante do
motor (sem comprometer a suavidade) pois diminui-se a inércia.
.
Muitas vezes mais solicitado, o motor precisa ser robustecido para não sofrer
avarias. Os componentes mais solicitados são: Bloco do motor, Árvore de
Manivelas, Volante, Junta do cabeçote e o Sistema de Refrigeração (tanto do
sistema de água como de óleo). Todos estes componentes precisam ser avaliados
para que possam atender ao novo regime de operação do motor.
Todos os motores turbo precisam de intercooler?

Intercooler é uma espécie de radiador que tem a função de resfriar o


ar admitido pela turbina de um motor. Por ser mais denso, esse ar
mais frio ocupa menos espaço. Posteriormente, o ar mais frio e denso
é enviado em maior quantidade para dentro dos cilindros, melhorando
significativamente o rendimento volumétrico do motor.
Todos os motores turbo precisam de intercooler?

No caso do intercooler do tipo ar-água, seu arrefecimento é feito por um radiador


auxiliar, que também resfria a turbina por meio de uma bomba elétrica,
responsável pela circulação da água pelo sistema inteiro.

Contudo, seu uso não é necessariamente obrigatório em carros equipados com


motores turbo. Alguns automóveis dos anos 80 e 90, inclusive, não tinham
intercooler em seus motores sobrealimentados (seja por turbocompressor ou
compressor mecânico)
Todos os motores turbo precisam de intercooler?

Atualmente, todos os modelos equipados com turbo contam com o


intercooler. Nos motores TSI (turbocompressor e injeção direta) dos
VW Up! (1.0 TSI) e Golf e Jetta (ambos 1.4 TSI), o componente é
integrado ao coletor de admissão. Além de facilitar sua acomodação
no motor no cofre, essa proximidade aumenta a eficiência de todo o
conjunto, reduzindo as perdas e eliminando o turbo lag, pelo fato de
reduzir o percurso do ar antes da admissão.