Вы находитесь на странице: 1из 10

O ORGULHO E A

VAIDADE

Fraternidade Espírita Augusto César Neto


09 de junho de 2018
Os Maiores Inimigos (Irmão X)
Certa feita, Simão Pedro perguntou a Jesus:
— Senhor, como saberei onde vivem nossos maiores inimigos? Quero combatê-los, a
fim de trabalhar com eficiência pelo Reino de Deus. (...)

Antes que pudesse retornar às interrogações, notou que alguém se esgueirava por
trás de velhas figueiras, erguidas à margem. (...)

Mais alguns passos e encontraram Teofrasto, judeu grego dado à venda de perfumes,
que informou sobre certo Zeconias, leproso curado pelo profeta nazareno e que fugira
para Jerusalém, onde acusava o Messias com falsas alegações. (...)

Não atravessaram grande distância e cruzaram com Rufo Grácus, velho romano
semiparalítico, que lhes sorriu, desdenhoso, do alto da liteira sustentada pelos
escravos fortes. (...)

— Pedro, há precisamente uma hora procuravas situar o domicílio de nossos maiores


adversários. De então para cá, cinco apareceram, entre nós: o medo, a cólera, a
dureza, a vaidade e a maledicência… Como reconheces, nossos piores inimigos
moram em nosso próprio coração. Dentro de nós mesmos, será travada a guerra
maior. (...)
O Orgulho
1. Sentimento de prazer, de grande satisfação com o próprio
valor, com a própria honra;
2. Sentimento egoísta, admiração pelo próprio mérito,
excesso de amor-próprio; arrogância, soberba.

A Vaidade
1. Qualidade do que é vão, inútil, sem solidez nem duração;
2. Fatuidade, ostentação;
3. Sentimento de grande valorização que alguém, tem em
relação a si próprio;
4. Futilidade
Narciso, Caravaggio, 1599.
Convite aos Discípulos
Andando à beira do mar da Galiléia, Jesus viu dois irmãos:
Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Eles estavam
lançando redes ao mar, pois eram pescadores. E disse Jesus:
"Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens". No mesmo
instante eles deixaram as suas redes e o seguiram.
(Mateus 4:18-20)
A Humildade
 A Lição da Manjedoura
 Bem aventurados os pobres de espírito.

 O orgulho é o terrível adversário da humildade. Se o Cristo


prometia o reino dos Céus aos mais pobres, é porque os
grandes da Terra imaginam que os títulos e as riquezas
são recompensas deferidas aos seus méritos e se
consideram de essência mais pura do que a do pobre.
Julgam que os seus títulos e as riquezas lhes são devidos,
pelo que, quando Deus lhos retira, o acusam de injustiça.
(O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap.7)
 Sem a humildade, apenas vos adornais de virtudes que
não possuis, como se trouxésseis um vestuário para
ocultar as deformidades do vosso corpo.

 O egoísmo e o orgulho nascem de um sentimento


natural: o instinto de conservação. Todos os instintos
tem sua razão de ser e sua utilidade, porquanto Deus
nada pode ter feito inútil. Ele não criou o mal; o
homem é quem o produz, abusando dos dons de Deus,
em virtude do seu livre-arbítrio.
(Obras Póstumas cap.19)
101 - A Cortina do "Eu“
"Porque todos buscam o que é seu e não o que é do Cristo
Jesus." - Paulo. (Filipenses, 2 :21).

Em verdade, estudamos com o Cristo a ciência divina de


ligação com o Pai, mas ainda nos achamos muito distantes da
genuína comunhão com os interesses divinos.

Por trás da cortina do "eu", conservamos lamentável cegueira


diante da vida.

Examinemos imparcialmente as atitudes que nos são


peculiares nos próprios serviços do bem, de que somos
cooperadores iniciantes, e observaremos que, mesmo aí, em
assuntos da virtude, a nossa percentagem de capricho individual
é invariavelmente enorme.
Nos seres mais queridos, habitualmente amamos a nós
mesmos, porque, se demonstram pontos de vista diferentes
dos nossos, ainda mesmo quando superiores aos princípios
que esposamos, instintivamente enfraquecemos a afeição que
lhes consagrávamos.

Nas obras do bem a que nos devotamos, estimamos, acima


de tudo, os métodos e processos que se exteriorizam do nosso
modo de ser e de entender, porquanto, se o serviço evolui ou se
aperfeiçoa, refletindo o pensamento de outras personalidades
acima da nossa, operamos, quase sem perceber, a diminuição
do nosso interesse para com os trabalhos iniciados.