Вы находитесь на странице: 1из 43

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Equivalência lógica
Quantificadores
Método de dedução
Regras de inferência
EQUIVALÊNCIA LÓGICA

• As proposições são classificados segundo


seu valor lógico:
A) Se a expressão assumir sempre um
valor de V é uma tautologia.
B) Se assumir sempre o valor de F é uma
contradição.
C) Se a expressão assumir o valor de V
em alguma interpretação é chamada de
consistência.
D) Se assumir o valor de F em alguma
interpretação é chamada de inválida.
TAUTOLOGIA

Uma proposição composta formada por


duas ou mais proposições p, q, r, ... será
dita uma Tautologia se ela for sempre
verdadeira, independentemente dos
valores lógicos das proposições p, q, r, ...
que a compõem. Em palavras mais
simples: para saber se uma proposição
composta é uma Tautologia,
construiremos a sua tabela-verdade!
• Daí, se a última coluna da tabela-
verdade só apresentar verdadeiro (e
nenhum falso), então estaremos diante
de uma Tautologia. Só isso!
• Exemplo: A proposição (p ∧ q) ͢ (p V q) é uma
tautologia, pois é sempre verdadeira,
independentemente dos valores lógicos de p e de q,
como se pode observar na tabela-verdade.
CONTRADIÇÃO

Uma proposição composta formada por duas ou


mais proposições p, q, r, ... será dita uma
contradição se ela for sempre falsa,
independentemente dos valores lógicos das
proposições p, q,r ... que a compõem. Ou seja,
construindo a tabela-verdade de uma
proposição composta, se todos os resultados da
última coluna forem FALSOS, então estaremos
diante de uma contradição.
Exemplo: A proposição “ p ↔ ~p ” é uma
contradição, pois sempre é falsa
independentemente do valor lógico de p,
como é possível observar na tabela-verdade
abaixo:
CONTINGÊNCIA

Uma proposição composta será dita uma


contingência sempre que não for uma
tautologia ou uma contradição. Somente isso!
Você pegará a proposição composta e construirá
a sua tabela-verdade. Se você verificar que
aquela proposição nem é uma tautologia (só
resultados V), e nem é uma contradição (só
resultados F), então, pela via de exceção, será
dita uma contingência!
Exemplo: A proposição “p ↔ (p∧q)” é uma
contingência. Por que essa proposição é uma
contingência? Porque nem é uma tautologia e
nem é uma contradição.
Exercício I: ~(p ˅q) ↔ ~p ˄ ~q.

~p ~q ~p ˄~q
p q p ˅ q ~(p ˅
q)
V V
V F
F V
F F
Exercício I: As tabelas ficam assim:

~p ~q ~p ˄~q
p q p ˅ q ~(p ˅
q)
V V
V F
F V
F F
Exercício II:

~p ~q ~p ˅~q
p q p ˄ q ~(p ˄
q)
V V
V F
F V
F F
Exercício II: As tabelas ficam assim.
QUANTIFICADORES
Os quantificadores

São os silogismos de base aristotélica e


depois formalizados por Frege que utilizam
os termos “todo” e “alguns”.
Os quantificadores que utilizam o “todo”
são universais ou gerais. Os que utilizam
“algum” são particulares ou existenciais.
A - GENERALIZADOR

Dado um conjunto empírico como sistema


solar, temos proposições que variam em
função do conjunto. Exemplo: Júpiter gira em
torno do Sol. Se representar “Júpiter” por x,
qualquer planeta do sistema solar poderá
preenchê-lo.
Expressamos esta relação por: Para todo x (x
gira em torno do Sol). Símbolo de todo é ˄.
Para expressar o enunciado anterior
utilizamos ˄xPx. Lê-se “para todo x, P de x”.
˄x é um quantificador universal. Px é uma
generalização. Essas proposições são sempre
verdadeiras.
B - PARTICULARIZADOR

“Alguns” é simbolizado por ˅x. é um


quantificador existencial. ˅xPx lê-se
“para alguns x, P de x”. Se tomarmos o
sistema solar, podemos exemplificar: P =
“Ser maior que a Terra”. Quer dizer que
pelo menos algum planeta do sistema
solar é maior do que a Terra. (GARRIDO,
2005, p. 47-48).
Símbolos

Quantificador universal
Símbolo:
Leitura: “para todo”, “qualquer que seja”
Quantificador existencial
Símbolo:
Leitura: “existe”
NEGAÇÃO DOS QUANTIFICADORES
A negação da sentença “TODO A é B” é “ALGUM A não é
B”. (Vemos aqui que: Troca-se TODO por ALGUM, mantém a
primeira sentença e nega-se a segunda.)

A negação da sentença “ALGUM A não é B” é “TODO A é


B”. (Vemos aqui que: Troca-se ALGUM por TODO, mantém a
primeira sentença e nega-se a segunda.)

A negação da sentença “ALGUM A é B” é “NENHUM A é


B” (vice-versa)

Vemos aqui que: Basta trocar ALGUM por NENHUM (ou


NENHUM por ALGUM), mantém a primeira e a segunda
sentença.
Negação dos Quantificadores

EXERCÍCIOS
1) A negação da proposição "todas as
questões da prova são difíceis" é

a) Algumas questões das provas são difíceis.


b) Existem questões difíceis.
c) Nenhuma questão da prova é difícil.
d) Algumas questões da prova não são
difíceis.
2) José afirmou " – todos os jogadores de futebol que não
são ricos jogam no Brasil ou jogam mal".
Assinale a alternativa que indica a sentença que representa
a negação do que José afirmou:

a) Nenhum jogador de futebol que não é rico joga no Brasil


ou joga mal.
b) Todos os jogadores de futebol que não são ricos não
jogam no Brasil e não jogam mal.
c) Algum jogador de futebol que não é rico não joga no
Brasil e não joga mal.
d) Algum jogador de futebol é rico mas joga no Brasil ou
joga mal.
e) Nenhum jogador de futebol que é rico joga no Brasil ou
joga mal.
3) A negação de todos os homens dirigem
bem é:

a) existem homens que dirigem mal.


b) existem homens que dirigem bem.
c) todas as mulheres dirigem bem.
d) todas as mulheres dirigem mal.
e) todos os homens dirigem mal.
Quantificadores

OS DIAGRAMAS LÓGICOS
Os diagramas são utilizados como uma
representação gráfica de proposições
relacionadas a uma questão de raciocínio
lógico. São utilizados em questões que
envolvem o termo “todo”, “algum” e
“nenhum”.
Conjunto: Um conjunto constitui-se em um número de objetos
ou números com características semelhantes. Podem ser
classificados assim:

Conjunto finito: possui uma quantidade determinada de


elementos;

Conjunto infinito: como o próprio nome diz nesse caso temos um


número infinito de elementos;
Conjunto unitário: apenas um elemento;

Conjunto Vazio: sem elemento no conjunto;

Conjunto Universo: esse caso tem todos os


elementos de uma situação.
Esses elementos podem ser demonstrados da seguinte
forma:

 Extensão: Os elementos são separados por chaves;


{1,2,3,4...}

 Compreensão: Escreve-se a caraterística em questão do


conjunto mencionado.

 Diagrama de Venn: Os elementos são inseridos em uma


figura fechada e aparecem apenas uma vez.
Portanto,
Inclusão

Todo, toda, todos, todas.

Interseção

Algum, alguns, alguma, algumas.

Ex: Todos brasileiros são bons motoristas

Negação lógica: Algum brasileiro não é bom motorista.


Disjunção

Nenhum A é B.

Ex: Algum brasileiro não é bom motorista.

Negação lógica: Nenhum brasileiro é bom


motorista.
Questão: VUNESP/2011 – Concurso TJM-SP – Analista
de Sistemas (Judiciário)
Pergunta: Observe o seguinte diagrama. De acordo com
o diagrama,pode-se afirmar que

a) todos os músicos são felizes.


b) não há cantores que são músicos e felizes.
c) os cantores que não são músicos são felizes.
d) os felizes que não são músicos não são cantores.
e) qualquer músico feliz é cantor.
1. Em uma escola todos os alunos praticam pelo menos uma modalidade
esportiva. Há três modalidades esportivas praticadas pelos alunos dessa
escola: vôlei, futebol e basquete. Alguns alunos praticam mais de uma
modalidade.

De acordo com o diagrama podemos afirmar que:

a) Todos alunos praticam futebol (F).


b) Existem alunos que praticam futebol e basquete. (v)
c) Existem alunos que praticam apenas futebol (V).
d) Qualquer aluno que pratica vôlei, pratica basquete (F).
e) Não existem alunos que praticam apenas basquete (F)
f) Qualquer aluno que pratica futebol e basquete, pratica vôlei (V).
REFERÊNCIAS

MORTARI, Cezar A. Introdução à Lógica. São


Paulo: UNESP, 2001, p. 129-144.

COPI, Irving M. Introdução à Lógica. São


Paulo: Mestre Jou, s.d, p. 225-240.

GARRIDO, Manuel. Lógica Simbólica. Madrid:


Tecnos, 2005.
UNISINOS. Capítulo 2: Dedução Natural na Lógica
Proposicional . Disponível em: <
http://obaa.unisinos.br/heraclito/resources/chapter02.html>.
Acesso em 01 mai. 2018.