Вы находитесь на странице: 1из 20

LM SERVIÇOS E TREINAMENTOS

CURSO DE FIBRAS ÓPTICAS

Facilitador : Maciel

Aula 03 – Orçamento da Potência Óptica


Projeto de Sistemas Ópticos

• O propósito de qualquer rede de fibra óptica é a


transmissão de dados com confiabilidade, sem
erros e em alta velocidade;

• O projeto adequado da rede garante que os


dispositivos cumpram as especificações, além de
minimizar esforços na solução de problemas;
Projeto de Sistemas Ópticos
• Um dos fatores mais importante para garantir a
transmissão está no controle das perdas de
potência na rede, conforme as especificações de
desempenho para o enlace óptico;

• Para estabelecer esses valores, é necessário


realizar o cálculo do orçamento de Perda Óptica
ou Optical Loss Budget;
Projeto de Sistemas Ópticos
• Esse orçamento deve contabilizar todas as
perdas produzidas pelos diversos elementos que
compõem o enlace óptico, tais como : cabo,
conectores, emendas e etc;

• Uma das primeiras tarefas é avaliar os valores


aceitáveis de perdas, de forma a obter um
projeto que atenda aos requisitos da rede óptica;
Projeto de Sistemas Ópticos
• Para caracterizar adequadamente o orçamento de
perdas, os seguintes parâmetros devem ser
observados:
• Transmissor : Potência de saída, temperatura e
envelhecimento;
• Receptor : Sensibilidade do detector;
• Cabo Óptico: Efeitos das perdas e da temperatura
nas fibras;
• Conexões de fibra : Splitters, conectores e emendas;
• Outros: Margens de tolerância para cabos e ativos;
Projeto de Sistemas Ópticos
• Quando alguma das variáveis indicadas não
satisfaz às especificações, o desempenho da rede
pode ser fortemente afetado, ou o mais grave
que é a degradação e que pode levar à falhas na
rede;

• A fim de calcular o orçamento da perda óptica,


alguns valores típicos de atenuações de
diferentes componentes podem ser utilizados,
como referências, como mostra o slide a seguir:
Projeto de Sistemas Ópticos
• Tabela de Referência de atenuação :

Componente Parâmetro Valor Referência


Fibra monomodo 1550 nm 0,20 dB/km
Fibra monomodo 1310 nm 0,35 dB/km
Fibra multimodo 1300 nm 1,0 dB/km
Fibra multimodo 850nm 3,0 dB/km
Emenda por fusão Cada emenda 0,1 dB/km
Emenda Mecânica Cada emenda 0,5 dB/km
Conector O par 0,75 DB/km
Projeto de Sistemas Ópticos
• Atenuação do Canal

• O desempenho de um enlace óptico deve ser


avaliado, principalmente, em relação ao fator de
atenuação, que estabelece :

• A distância máxima de transmissão sem repetidores;

• E a largura de banda, que fixará a taxa máxima de


modulação permitida dentro do comprimento de
enlace;
Projeto de Sistemas Ópticos
• Para calcular a atenuação do canal, deve-se
multiplicar o comprimento total do cabo pelo
coeficiente de atenuação do cabo, segundo a relação:

• Atenuação do cabo (dB) = coeficiente de atenuação


(dB/Km) x comprimento do cabo (km);

• Os valores do coeficiente de atenuação para os cabos


monomodo e multimodos estão descritos na tabela a
seguir:
Projeto de Sistemas Ópticos
Tipo de Cabo Óptico Comprimento de Coeficiente de
onda (nm) atenuação máxima
(dB/km).
Multimodo 50 a 62,5µm 850 3,5
Multimodo 50 a 62,5µm 1.300 1,5
Monomodo Externo 1.310 0,5
Monomodo Externo 1.550 0,5
Monomodo Interno 1.310 1,0
Monomodo Interno 1.550 1,0
Projeto de Sistemas Ópticos
• Atenuação nos conectores

• Para calcular a atenuação nos conectores, deve-


se somar os valores individuais de atenuação
(em dB) para cada par de conectores ao longo da
rota do cabo óptico;

• Excluindo-se os conectores do transmissor e do


receptor;
Projeto de Sistemas Ópticos
• Atenuação no conector (dB) = números de pares de
conectores (NP) x Perda no conector (DB)
• Os valores dos conectores são os seguintes:

Tipo de Multimodo Monomodo


conector
ST 0,5 0,3
FC/PC N/A 0,3
SC/PC 0,5 0,3
LC/PC 0,5 0,3
Projeto de Sistemas Ópticos
• Atenuação nas emendas
• A atenuação nas emendas deve ser calculada
com a soma do valores individuais da atenuação
para cada emenda (em dB) ao longo da rota do
cabo óptico;

• Atenuação emenda = números de emendas x


perda na emenda (dB);
Projeto de Sistemas Ópticos
• Perdas nas emendas ópticas

Tipo de emenda Multimodo Monomodo


Fusão 0,3 0,15
Mecânica 0,3 0,3
Projeto de Sistemas Ópticos
• Orçamento de Potência Óptica

• O orçamento de potência óptica é a diferença óptica


entregue pelo transmissor à fibra e a potência requerida
pelo receptor;

• Ele deve contabilizar as perdas nos elementos passivos


da rede (cabo óptico, splitters, conectores, emendas);

• Isso inclui ainda uma margem de segurança prevendo o


envelhecimento das unidades ativas e também acidentes;
Projeto de Sistemas Ópticos
• O orçamento da Potência (op) deve atender à seguinte
equação :

• Ptx-Afo-Pc-Pe-Pp-Ms-Srx > 0

• Sendo :
• Op – Orçamento de Potência, em dB;
• Ptx – Potência de saída (Tx), em dB;
• Afo – Atenuação total da fibra óptica, em dB;
• Pc – Perda nos conectores, em dB;
• Pe – Perda total nas emendas, em dB;
• Pp - Perda total nos elementos passivos, em dB;
• Ms – Margem de segurança, em db;
• Srx - Sensibilidade (Rx), em dB;
Projeto de Sistemas Ópticos

• Para cumprir o orçamento da potência, é


necessário que o emissor seja capaz de fornecer
a potência necessária para que o sinal chegue ao
receptor, com um nível adequado;

• Nesse caso, a diferença entre a potência de saída


e a perda total do enlace deve ser maior que a
sensibilidade do receptor, logo temos :
Projeto de Sistemas Ópticos
• Ptx – At > Srx

• Onde a atenuação total (At) do sistema é dada


por :

• At = Afo + Pc + Pe + Pp + Ms
Projeto de Sistemas Ópticos

• Exercícios Práticos de Perdas Ópticas


• OBRIGADO !!!