Вы находитесь на странице: 1из 20

CLASSIFICAÇÃO

 Existem, segundo o seu tamanho, três classes de


carboidratos:
1) Monossacarídeos = carboidratos contendo apenas
uma unidade de açúcar.
2) Oligossacarídeos = cadeias curtas de unidades de
monossacarídeos unidas entre si por ligações
glicosídicas. Os mais abundantes são os dissacarídeos.
3) Polissacarídeos = longas cadeias contendo centenas
ou milhares de unidades de monossacarídeos.
 Todos os monossacarídeos e dissacarídeos comuns
têm nomes que terminam com o “ose”.
MONOSSACARÍDEOS
 São aldeídos ou cetonas contendo um ou mais grupos
hidroxila na molécula:

grupo
carbonila
grupo
carbonila

Gliceraldeído, Diidroxiacetona,
uma aldose uma cetose

Os monossacarídeos mais simples


 Os monossacarídeos são classificados de acordo
com o número de carbonos presente na sua estrutura:

D-Glicose, D-Frutose,
uma aldoexose uma cetoexose
 Além do D-gliceraldeído e da D-Eritrose, os açúcares
mais abundantes na natureza são:

CINCO CARBONOS
(PENTOSES)

D-Ribose D-Arabinose D-Xilose


SEIS CARBONOS
(HEXOSES)

D-Glicose D-Manose D-Galactose D-Frutose


DISSACARÍDEOS
 Os dissacarídeos consistem de dois
monossacarídeos unidos covalentemente entre si por
uma ligação O-glicosídica (pode ser  ou ).

-D-Glicose -D-Glicose

Maltose
Ligação glicosídica 

Lactose
Gal(14)Glc

Ligação glicosídica 

Sacarose
Glc(12)Fru
 O amido e o glicogênio são os polissacarídeos de
reserva mais importantes na natureza.
 A celulose e a quitina são polissacarídeos estruturais.
O AMIDO:
 É mais abundante nos tubérculos (batatas) e nas
sementes (milho).
 Contém dois tipos de polímeros da glicose, a amilose
e a amilopectina.
 A amilose contém consiste de cadeias longas, não-
ramificadas de unidades de D-glicose conectadas por
ligações (14).
 A amilopectina é altamente ramificada.
 As ligações glicosídicas unindo os resíduos de
glicose nas cadeias da amilopectina são (14).
 Os pontos de ramificação, que ocorrem a cada 30
resíduos, são ligações (16).

Ponto de ramificação
Ramificação

Cadeia principal
O GLICOGÊNIO:
 É o principal polissacarídeo de armazenamento das
células animais.
 Como a amilopectina, o glicogênio é um polímero de
subunidades de glicose unidas por ligações (14),
com ligações (16) nas ramificações.
 O glicogênio é mais ramificado que a amilopecitina
(as ramificações ocorrem a cada 8 ou 12 resíduos).
 O glicogênio constitui até 7% do peso úmido do
fígado.
A celulose:
 Encontrada na parede celular do vegetais,
particularmente em raízes, troncos e galhos.
 A celulose costitui a maior parte da massa da madeira
e o algodão é celulose quase pura.
A celulose é um polissacarídeo linear e não-ramificado
formado por 10 a 15 mil unidades de D-glicose.
 Na celulose os resíduos de glicose estão unidos por
ligações glicosídicas do tipo (14).
 Os resíduos de glicose estão interligados através de
pontes de hidrogênio.
 Várias cadeias estendidas lado a lado formam uma
rede estabilizadora de pontes de hidrogênio, resultando
em fibras retas e de grande estabilidade à tensão.
 A força resistente à tensão da celulose tem feito dela
uma substância muito útil na produção de produtos
como o papel e o papelão.
 No amido e no glicogênio existem pontes de
hidrogênio também, mas a estrutura está na forma
helicoidal.
 O amido e o glicogênio, que são ingeridos como
alimentos, são hidrolisados por -amilases (saliva e
intestino).

-amilase
AMIDO
GLICOSE
GLICOGÊNIO
ligações (14)

 A celulose não pode ser usada pela maioria dos


animais como uma fonte de energia porque as ligações
(14) da celulose não são hidrolisadas pela -amilase.
A quitina:
 Composto por resíduos de N-acetil-D-glicosamina em
ligação (14).
 A quitina é o principal componente do exoesqueleto
duro de aproximadamente 1 milhão de espécies de
artrópodes (insetos, lagostas e caranguejos).