Вы находитесь на странице: 1из 41

ADAPTAÇÕES

CARDIOVASCULARES AO
EXERCÍCIO FÍSICO
Sistema Cardiovascular
Função Básica
Proporcionar fluxo
sanguíneo necessário para
manter a homeostasia dos
vários tecidos do organismo
SISTEMA CARDIOVASCULAR
DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO

• As principais alterações hemodinâmicas:

aumento do DC
diferente distribuição do fluxo sanguíneo
CAPACIDADE AERÓBICA MÁXIMA
VO2 MÁX

“é a maior quantidade de oxigênio que


o sistema cardiovascular é capaz de
entregar aos tecidos do organismo
durante o trabalho físico máximo”.

VO2 máx = DC máx x A – VO2 máx


VO2 = DC x a –VO2 dif
DÉBITO CARDÍACO
DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO

• Valor :
em repouso: 5.0 a 8.0 l/min.
durante o exercício físico: 25 a 43 l/min.

DC máx. = DC durante o exercício físico, quando o


indivíduo atingue sua frequência cardíaca máxima
ou sua capacidade aeróbica máxima ( VO2 máx.)
O AUMENTO DO DC DEPENDE:

• da FC
• estimulação simpática
• do volume sistólico
• catecolaminas circulantes
• fatores neurohumorais
• contratilidade do miocárdio

• Resistência vascular periférica


• vasodilatação
RELAÇÃO ENTRE O DC MÁX. E A CAPTAÇÃO DE O2 MÁX.

40

38

34
DC máx Atletas de endurance
L/min. 30
26

22

18

14
sedentários

1,0 2,0 3,0 4,0 5,0

Captação máxima de O2 l/min.


COMPORTAMENTO DO VOLUME SISTÓLICO
DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO

• Aumenta – do repouso ao exercício


moderado
• Não aumenta – do exercício moderado
ao máximo
VOLUME SISTÓLICO
DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO
• Volume sistólico máximo
• Nível de trabalho submáximo
• Antes de ocorrer o DC máx.
• VO2 atinge 40% do máximo
VOLUME SISTÓLICO
DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO
• Valores que afetam o volume sistólico:
• Retorno venoso
• Distensibilidade dos ventrículos
• Força de contração do miocárdio
• Posição do corpo
160

140

Volume 120
de ejeção
ml/ bat 100

80

1,0 2,0 3,0 4,0 5,0


Captação máxima de O2 l/min.
Volumes sistólico e diastólico
em corações treinados e destreinados

Volumes Treinado Destreinado

Volume 160 ml 120 ml


ventricular
diastólico final
Volume 30 ml 50 ml
ventricular
sistólico final
Vulume Sistólico 130 70 ml
(ejeção)

Fração de ejeção 84 58
(%)
COMPORTAMENTO DA FC
DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO

FC aumenta linearmente com a intensidade


do exercício e com o aumento do VO2

FC máx. = 220 - idade


COMPORTAMENTO DA FC
E CONSUMO DE O2 DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO

Esforço Frequência Consumo de O2


Intensidade cardíaca (bpm) (l/min.)
(watts)
50 80 0,90

100 116 1,45

150 140 2,10

200 165 2,80

250 185 3,50


CLASSIFICAÇÃO DA INTENSIDADE
DOS ESFORÇOS FÍSICO
DE ACORDO COM A FREQUÊNCIA CARDÍACA

Intensidade Frequência Cardíaca


Muito leve 75 – 100

Leve 101 – 120

Moderada 121 – 140

Intensa 141 – 160

Pesada 161 – 175

Exaustiva > 175


IMPORTÂNCIA DA FREQUÊNCIA
CARDÍACA
NO EXERCÍCIO FÍSICO
• Fácil medida
• Parâmetro fisiológico mais usado para medir VO2
máx.
• Utilizada para classificar a intensidade do esforço
• Utilizada para prescrição de atividades físicas
adequadas
Diminuição dos Aumento dos
estímulos estímulos simpáticos
parassimpáticos
+

aumento das
catecolaminas
circulantes

AUMENTA A FREQUÊNCIA CARDÍACA


Universitários sedentários antes Universitários sedentários após 55
dias de treinamento aeróbico

180

FC 160
Bat/min 140 Fc x captação de O2
durante o exercício na
120 postura ereta em atletas
de endurance
100

80

60

1,0 2,0 3,0 4,0 5,0


Valores máx.
Captação de O2 l/min
STEADY - STATE

Steady - State = Estado de equilíbrio


demanda de O2 = oferta de O2
STEADY – STATE , FREQUÊNCIA
CARDÍACA E ESFORÇO FÍSICO
FC
bat/min
Tempo Indivíduo Indivíduo Indivíduo
minnutos A B C
Repouso 0 58 76 82
1 98 130 136
2 100 136 142
Indivíduos A, B e C executam 3 110 139 146
exercícios físicos em bicicleta 4 118 144 149
ergométrica 5 120 146 165
6 119 148 165
Carga constante de 150 watts 7 118 148 163
8 119 150 167
9 119 149 165
10 119 148 165
FREQUÊNCIA CARDÍACA
APÓS ESFORÇO
O organismo salda as dívidas metabólicas contraídas
durante a atividade:
 Recompor os ATPs gastos
 Ressintetizar novos substratos energéticos
 Neutralizar, eliminar e utilizar ácido lático
 Ajustar para níveis fisiológicos de repouso a
temperatura corporal, equilíbrio ácido-basico, hidrico
 Pagar o débito de O2
FREQUÊNCIA CARDÍACA
APÓS ESFORÇO

• Nos primeiros 3 minutos  FC em 70%

• Exercícios intensos  FC demora a seus valores


basais

• Indivíduos treinados  recuperação mais rápida


DIFERENÇA ARTÉRIOVENOSA
DURANTE O ESFORÇO FÍSICO

• Quantidade de O2 extraído pelos tecidos


• Redistribuição do fluxo sanguíneo para os músculos
em atividade

Valores:
• em repouso: 40 a 50 ml de O2/ 1000 ml sg
• exercício físico: 160 a 180 ml de O2/ 1000 ml sg
Universitários sedentários antes Universitários sedentários após 55
dias de treinamento aeróbico

20

Fc x captação de O2
durante o exercício na
10 postura ereta em atletas
de endurance
D(a-V)O2
ml de O2/ 1000 ml sg

1,0 2,0 3,0 4,0 5,0


Valores máx.
Captação de O2 l/min
RETORNO VENOSO
DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO

• Aumento do RV deve-se:
• Efeito da bomba muscular
• Efeito da bomba respiratória
• Efeito da vasoconstrição
COMPORTAMENTO DA PA
DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO

• Pressão arterial sistólica  


• Pressão arterial diastólica  pouca
variação
COMPORTAMENTO DA PAS, PAD E PAM
EM EXERCÍCIO DE INTENSIDADE CONSTANTE
Situação Tempo PAS PAD PAM FC Duplo
(min.) (mmHg) (mmHg) produto
(PAS x FC) / 100

Repouso 0 120 80 93 70 84

Exercício 1 125 80 95 100 125

2 140 80 100 130 182

3 145 75 98 135 196

4 152 80 104 158 240

5 156 70 101 184 298

6 162 70 101 184 298

7 180 70 107 180 324

8 190 70 110 184 399


RESISTÊNCIA PERIFÉRICA TOTAL
• Fatores que alteram a RPT:
• Extensão dos vasos arteriais
• Viscosidade do sangue
• Pressão hidrostática
• Diâmetro dos vasos
RESISTÊNCIA PERIFÉRICA TOTAL
DURANTE O EXERCÍCIO

Exercício   fluxo sanguineo nos músculos


ativos  vasodilatação dos vasos arteriais
  RPT
ALTERAÇÕES CARDIOVASCULARES
TÍPICAS
NO EXERCÍCIO DINÂMICO SUBMÁXIMO

Parâmetro Em repouso Exercício


Débito cardíaco 5 l/min. 20 l/min.

PAM 90 mmHg 105 mmHg

PAS 120 mmHg 160 mmHg

PAD 70 mmHg 60 mmHg

Débito sistólico 70 ml 130 ml

RPT 18 mmHg/ l/min 5,25 mmHg/ l/min

Fluxo sanguineo 1 l/min. 10 l/min.


muscular
Fluxo para as vísceras 1,2 l/min. 0,5 l/min.
abdominais
Fluxo sanguineo 0,5 l/min. 1,5 l/min.
cutâneo
ADAPTAÇÕES CARDIOVASCULARES
 CRÔNICAS

Atividade
 ↓ FC Tônus
Vagal Parassimpática

 Efeito Hipotensor:
 ↓ PA durante a recuperação
 Exercício aeróbio de intensidade leve a
moderada
EFEITO HIPOTENSOR
• Vasodilatação muscular mantida após
exercício
– ↓ Atividade Simpática
– Óxido Nítrico

Vasodilatação ↓ Resistência
periférica

Prevenção e Tratamento de Hipertensão de


Doenças Cardiovasculares
FLUXO SANGUINEO
DURANTE O EXERCÍCIO FÍSICO

• Em repouso – 15 a 20% do DC  músculo esquelético


• No exercício – 80 a 85% do DC  músculo esquelético
• Fluxo sanguíneo coronariano   de 4 a 5 vezes
• Fluxo sanguíneo cerebral  pequenas alterações
• Fluxo sanguíneo fígado, intestino e rins  
• Fluxo sanguíneo cutâneo  variável
Distribuição relativa do DC em repouso

Músculos 20% Fígado 27%


1.000 ml 1.350 ml
Coração 4%
200 ml Repouso
Pele 6% 5.000 ml
300 ml Rins 22%
1.100 ml
Cerebro 14%
700 ml

A Outros 7%
350 ml
Distribuição relativa do DC durante um exercício
de endurance extenuante Fígado 2%
500 ml
Músculos 20% Rins 1%
21.000 ml 250 ml

Exercício Outros 3 %
25.000 ml 780 ml

Cerebro 4%
900 ml

Pele 2%
B 600 ml
Coração 4%
1000 ml
ADAPTAÇÕES CARDIOVASCULARES
Vasodilatação ↑ Fluxo
Metabólitos Local Local

Atividade Vasoconstrição Fluxo é


Simpática Geral direcionado

• AGUDAS
• Dependem:
– Intensidade do exercício
– Número de musculatura exercitada
DETERMINANTES DO CONSUMO DE
O2 PELO MIOCÁRDIO:

• Tensão miocárdica
• Contratilidade miocárdica
• Frequência cardíaca
• Trabalho cardíaco
• Tempo de ejeção
• Ação das catecolaminas
Índice de Oxigenação Miocárdica

IO2 = oferta de O2
consumo de O2
EXERCÍCIO ESTÁTICO
ISOMÉTRICO
• Contração muscular:
– Obstrução mecânica do fluxo sanguíneo
– Metabólitos produzidos = ↑ atividade
simpática

Adaptações Agudas
• ↑ FC
• ↑ PA
• ↓ ou = Retorno Venoso
EXERCÍCIO DINÂMICO
ISOTÔNICO
• Contração muscular:
– Não há obstrução mecânica do fluxo
sanguíneo – Bomba Muscular
– Metabólitos produzidos e estimulação
mecânica = ↑ atividade simpática
Adaptações Agudas
• ↑ FC
• ↑ PA
• ↑ Débito Cardíaco