You are on page 1of 27

C A G

A charge é um gênero textual muito presente


em jornais ou revistas de grande circulação.
Geralmente, busca retratar fatos políticos e de
conhecimento público utilizando-se do humor.

Fonte: Questão nº 96 da prova amarela do segundo dia do


ENEM de 2010. Disponível em
http://www.enemdicas.com/prova/baixar-provas-do-
enem.html.
A palavra charge tem sua origem na língua
francesa, “charger”, e significa carregar, exagerar o
caráter de alguém ou de algo até torná-lo ridículo,
burlesco ou caricatural.

Fonte:http://www.oreconcavo.com.br/category/ch
arges/
Nas charges, através da associação entre a
linguagem verbal e o pictórico, faz-se um retrato
exagerado das personagens, objetivando-se a
crítica política ou social.

Fonte:
http://www.oreconcavo.com.br/category/charges/
A Charge pode utilizar-se de recursos verbais
e não verbais para reforçar o sentido e melhor
ilustrar o assunto a que se refere.

Fonte: http://dukechargista.com.br/
Apesar da natureza humorística da charge,
seu objetivo não é simplesmente provocar o riso,
mas formar opinião ou reflexão crítica sobre a
temática que veicula.

Fonte:
http://amarildocharge.wordpress.com/2012
/06/17/rio-20-sustentabilidade/
Elementos Constituintes Da Charge

Fonte:http://amarildocharge.wordpress.com
/2010/11/17/educacao/
A IMAGEM
A charge tem, pela sua natureza, um aspecto
pictórico, ou seja, trata-se de um desenho cujos
traços, cores e formas contribuem na construção de
sentido.

Fonte: IQUE; AROEIRA. Jornal do Brasil, 17/07/2007 -


disponível em: http://blique-
oblogdoique.blogspot.com.br/
A IMAGEM
No geral, representa figuras humanas
com elementos caricaturais, explorando
traços da personalidade ou do físico.

Fonte: IQUE; AROEIRA. Jornal do Brasil,


17/07/2007 - disponível em: http://blique-
oblogdoique.blogspot.com.br/
A IRONIA
A ironia é um recurso
utilizado pela literatura e
pela retórica que consiste em
dizer o contrário daquilo que
se pensa, deixando uma
distância intencional entre o
que dizemos e aquilo que
realmente pensamos. Na
literatura, a ironia é a arte de Imagem: Sceptre / GNU Free Documentation License
zombar de alguém ou de
alguma coisa, com vista a Um aviso de proibido fumar colocado sobre
figuras de Sherlock Holmes fumando, um
obter uma reação do leitor, exemplo típico da ironia de situação.
ouvinte ou interlocutor.
A IRONIA

A ironia é um recurso muito utilizado


pelos chargistas para provocar o humor. Ao
afirmar algo, quando a intenção é dizer
exatamente o contrário, o chargista torna o
discurso cômico, provocando o riso e também
a reflexão.
Fonte:http://rizomas.net/charges-sobre-
educacao.html
PERSONALIDADE

As charges procuram expor figuras públicas


a situações ridículas ou mostrar, de forma não
convencional, temas normalmente tratados com
maior seriedade, suscitando, assim, o riso.

Imagem:http://www.oreconcavo.com.br/categor
y/charges/
PERSONALIDADE

Nas charges, as personagens surgem a partir


de traços e pontos que revelam a habilidade do
chargista, que, em alguns casos, pode utilizar-se de
outros recursos, como a fotografia.

Imagem: www.chargeonline.com.br.
(Adaptado.)
PERSONAGEM

A construção da personagem, normalmente,


acontece a partir de um modelo vivo que serve de
referencial para o chargista.

Fonte: Aroeira. Jornal O Dia, 18/07/2007. Disponível


em : http://www.chargeonline.com.br/
PERSONAGEM

No Brasil, uma das figuras mais retratadas


pelos chargistas foi o ex-presidente Lula,
transformado em personagem por vários artistas.

Fonte: Aroeira. Jornal O Dia, 04/08/2007.


Disponível em :
http://www.chargeonline.com.br/
PERSONAGEM

A forma como o chargista retrata suas


personagens caracteriza-se pelo exagero e, em
muitos casos, elas são apresentadas de modo
caricatural.
Fonte:Liberati. Jornal do Brasil,
03/08/2007.Disponível em:
://www.chargeonline.com.br
PERSONAGEM

Os personagens mais retratados pelos


chargistas são políticos, artistas de televisão e
jogadores de futebol.

Imagem:http://www.oreconcavo.com.br/category/ch
arges/
ATIVIDADES

Imagem: Filosofias filosoficas / Creative Commons Attribution 3.0


Unported license.
Observe a charge no link abaixo:

Fonte: http://rizomas.net/charges-
sobre-educacao.html
Agora, responda:

a) Que elementos da ilustração (pictóricos)


reforçam a temática da charge?

Fonte:http://rizomas.net/cha
rges-sobre-educacao.html
b) Compare o título da charge com o seu
conteúdo. Poderíamos dizer que o autor
utilizou a ironia na sua escolha ?Justifique.

Fonte:http://rizomas.net/charges-sobre-
educacao.html
c)Como você interpreta a expressão da
professora/ personagem da charge? Há algum
exagero na forma como o chargista a
representou?

Fonte:http://rizomas.net/charges-sobre-
educacao.html
Fonte: Enem/2009 – prova cancelada – disponível em :
http://download.uol.com.br/educacao/enem2009/prova_ene
m_2dia.pdf. Acesso em 06/07/2012.

Observe a charge que satiriza o comportamento dos


participantes de uma entrevista coletiva por causa do que fazem,
do que falam e do ambiente em que se encontram.
Considerando-se os elementos da charge, conclui-se que ela:

(A) defende, em teoria, o


desmatamento. (D) ironiza o comportamento da
imprensa.
(B) valoriza a transparência pública.
(E) critica a eficácia das políticas
públicas.
(C) destaca a atuação dos
ambientalistas.
Fonte: Enem/2009 – prova cancelada – disponível em :
http://download.uol.com.br/educacao/enem2009/prova_enem_2dia.pdf. Acesso em
06/07/2012.
OFICINA

Que tal produzir


charges a partir de notícias
recortadas de jornais?

Imagem: The people from the Tango! Project / Public


Com recortes de notícias
selecionadas pela turma, podemos
desenvolver uma oficina de produção
de charges na sala de aula. Com
criatividade e espontaneidade, cada
um poderá exercitar um pouco do seu
lado chargista.

Domain
CHARGES NA INTERNET

No blog abaixo, você pode conhecer o trabalho do


chargista e cartunista Benett Alberto de Macedo ou
simplesmente Alberto Benett. Ele publica suas tiras, ilustrações
e charges na Folha de São Paulo e na Gazeta do Povo. No blog,
você verá charges e desenhos do autor em estado de rabisco
ou inacabados, mostrando como acontece o seu processo de
criação

Imagem:
https://chargesbenett.files.wordpress.com/2012/06/
riomaisvinteursopolar.jpg

http://chargesbenett.wordpress.com/
DICA DE VÍDEO

No endereço abaixo, a turma poderá assistir a uma


entrevista com o cartunista e chargista Angeli na qual ele
explica como cria suas personagens inspirado em
personalidades como o ex-presidente Lula, entre outros.
Vale a pena conferir:

http://noticias.uol.com.br/ultnot/multi/2011/

YellowIcon / GNU Lesser General


01/04/04021B3368CCA18307.jhtm

Imagem: Everaldo Coelho and

Public License
BIBLIOGRAFIA
BRESSANIN, A . Gênero charge na sala de aula: o sabor do texto.
Disponível em
ttp://www3.unisul.br/paginas/ensino/pos/linguagem/cd/Port/8.pdf
(acessado em junho de 2012)
CEREJA, William Roberto; MAGALHÃES, Thereza Cochar. Português:
Linguagens – 7ª série. São Paulo: Atual, 2006.

PAVANI, Cecília;JUNQUER, Ângela. CORTEZ, Elizena. Jornal – Uma


abertura para a Educação. São Paulo: Papirus, 2007.

Sites Consultados:
http://chargesbenett.wordpress.com/. Acesso em: 15/06/2012.
http://noticias.uol.com.br/ultnot/multi/2011/01/04/04021B3368CCA183
07.jhtm. Acesso em 15/06/2012.
http://pt.wikipedia.org. Acesso em : 15/06/2012.

Related Interests