Вы находитесь на странице: 1из 27

Fenômenos de Transporte

Termodinâmica
Introdução
Termodinâmica

Termodinâmica é a ciência do calor e do trabalho, bem como das propriedades


do estado de uma substância
Avaliando Propriedades
Fase: É a quantidade de matéria que é homogênea como um todo, tanto em
composição química quanto em estrutura física
Avaliando Propriedades
Substância pura

É aquela na qual a composição química é uniforme e invariável. Pode existir em


mais de uma fase mas sua composição deve ser a mesma em cada fase.
Definindo um Estado Termodinâmico
Sabe-se que pressão, volume específico e temperatura são propriedades
intensiva.

- Princípio dos Estados Equivalentes

Diz que se tivermos duas propriedades intensivas e independentes entre si, todas
as outras propriedades intensivas podem ser determinadas através dessas duas.
Definindo um Estado Termodinâmico
Vamos entender como as três variáveis P, Vesp e T
ajudam na resolução de problemas de
termodinâmica.

Existe uma prevalência de três estados principais -


sólido/líquido/vapor

Região líquido-vapor (em forma de sino), possui


linhas que definem essa região são chamadas de
linhas de líquido saturado e linha de vapor saturado.
Definindo um Estado Termodinâmico
O gráfico 3D é útil para obter as relações gerais das três fases da matéria.

No geral é mais comum representar esse gráfico em 2D, mantendo um variável


constante.
Definindo um Estado Termodinâmico
Observa-se as linhas isotérmicas

Quando T > Tc, a pressão cai continuamente


enquanto o volume aumenta.

Quando T < Tc, a pressão será constante ao longo


da região líquido + vapor

Região de saturação, pressão e temperatura são


dependentes uma da outra.
Avaliando Propriedades
Relação Temperatura e Volume Específico

Quando a pressão for menor que a pressão


crítica, a temperatura sobe e passa por
uma região constante de líquido + vapor.

Acima do ponto crítico, não existe nenhum


ponto onde a temperatura é constante.

Lado direito - vapor superaquecido

Lado esquerdo - líquido comprimido


Avaliando Propriedades
Título - mede a quantidade de massa na
saturação

x varia de 0 a 1
Avaliando Propriedades
Tabela
A-4
Avaliando Propriedades
Exemplo: p = 10 MPa; T = 600 C; V = ?

Na tabela, encontra-se que V = 0,03837 m3/kg

Mas existem situações no qual temos, por exemplo, uma propriedade como a
pressão a segunda propriedade não estará tabelada, então, deve-se usar o
método de interpolação linear de valores
Avaliando Propriedades
Interpolação Linear

Exemplo: P = 10 bar; T = 215 C; v = ?

Determine o volume específico de vapor d’água no qual p = 1,0 bar e T = 260 C


Exercícios
Gases Ideais
Sabendo que
Gases Ideais
Tirando as raízes, temos:

n = número de mols e

= cte dos gases ideais

Sendo que,
Gases Ideais
Lei universal dos gases é

Sendo que

Então,

Cada gás tem seu próprio R, sendo que

Logo, temos que


Exemplo
1) Considere acetileno (C2H2) contido em um tanque de 6 m3, a uma pressão de
100kPa a uma temperatura de 25 C. Qual a massa de acetileno nessas
condições?

Considere a massa atômica do carbono 12,0107 u e do hidrogênio é 1,0079 u

Resp.: 6,3 kg

2) Seja um cilindro de 2 m3, contendo 7 kg de ar a uma temperatura de 25 C.


Calcule a pressão, sabendo que o peso molecular do ar é de 29

Resp.: 300kPa
Fator de Compressibilidade
Sabemos que a equação dos gases no
estado ideal é pV = nRT, mas quando que
essa equação não deve ser utilizada?

Na linha isobárica de 10kPa, para um


volume específico de 20 m3/kg numa
temperatura de 50 C, e ao calcular usando
pV = nRT, o valor encontrado terá um erro
na faixa de 0,3%.

Na região analisada, o erro é de no máximo


1% na linha tracejada.
Fator de Compressibilidade
Para corrigir o erro, usa-se o fator Z, que é o fator de compressibilidade.

pV = ZRT

Então, Z é um fator que vai corrigir o erro, levando o mesmo para próximo de zero

Como determinar Z, para obter valores mais próximos do comportamento do gás


ideal que eu consiga corrigir os erros obtidos a partir das equações de estado de
gás ideal, para que se possa aplicar um modelo para um gás real?
Fator de Compressibilidade
Quando o gás é ideal, o Z = 1

Para o nitrogênio T = 300 K e pressões baixas,


começando por zero até aproximadamente 10
MPa, o nitrogênio se comporta como gás ideal.
Após 10 MPa, o Z sobe para níveis próximos
de 1,4.
Fator de Compressibilidade
Para T = 200 K o gás comporta-se de forma
ideal até 1,5 MPa e depois, o Z cai e
aumentando a pressão, o Z sobe até 1,4.

Em 10 MPa, na temperatura de 200 K, o Z =


0,8.
Fator de Compressibilidade
Para baixas temperaturas, um gás começa a ficar igual a um ponto de
condensação. A massa específica do gás começa a ser maior e o volume
específico diminui isso significa que existe mais moléculas do gás por volume

Devido à isso, elas deixam de assumir um comportamento onde o espaço entre


moléculas vizinhas é muito grande.

Para temperaturas ambiente, como a distância é muito alta mas é um


comportamento mais próximo do ideal de distância para essa moléculas.
Diminuindo a temperatura, o encurtamento da distância entre moléculas causa
um problema de compressibilidade desviando do gás ideal e é onde começa a
aparecer os erros
Fator de Compressibilidade
Para os diversos tipos de gases, Lee e Kesler desenvolveram um diagrama de
fluido de Lee-Kesler e nesse diagrama é possível existir praticamente todos os
gases estudados por eles.

Ao estudar os gases, ele notaram que o padrão do gráfico Z vs. P. O que mudava
era os valores de Z.

Eles estudaram que ao dividir a pressão de um gás pela pressão crítica do gás,
encontra-se a pressão relativa (ou reduzida). o mesmo ocorre para a temperatura.
Fator de Compressibilidade (Diagrama de Lee-Kesler)
Exemplo
CO2 em um cilindro. P =
1,4MPa; T = 140 C. Calcule o
volume específico do CO2
dentro do cilindro.

a) modelo de gás ideal


b) modelo de
compressibilidade Z

Volume específico = 0,0545


m3/kg
Exercícios
Calcule o volume específico do
nitrogênio que se encontra a
uma temperatura 150 K e
pressão de 4,0 MPa,
considerando

a) modelo de gás ideal


b) modelo de
compressibilidade Z