Вы находитесь на странице: 1из 20

CIRCUITOS ELÉTRICOS A (AULA 3)

ELETRODINÂMICA E ELEMENTOS DE
CIRCUITOS ELÉTRICOS

Professor: Paulo Cícero Fritzen


E-mail: pcfritzen@utfpr.edu.br

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
ELETRODINÂMICA - CORRENTE ELÉTRICA
Estuda o movimento das cargas elétricas - Corrente elétrica

- O fluxo de elétrons em um condutor metálico em equilíbrio eletrostático


(EE) é aleatório, não possuindo, em média, nenhum deslocamento contínuo
ao longo do condutor (EE - o campo elétrico no interior do condutor é nulo)
-Para haver um fluxo de elétrons diferente de zero (corrente elétrica) é
necessário estabelecer um campo elétrico no interior do condutor (isso
pode ser feito ligando uma pilha nas extremidades do mesmo)

Pilha – ddp nas extremidades e,


conseqüentemente, vai produzir
um campo elétrico no interior do
condutor:

B 
Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de
V V  
B Eletrotécnica
Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
A 
A
Edl
ELETRODINÂMICA - CORRENTE ELÉTRICA
• Nota: Se o campo externo é sempre no mesmo sentido, obtemos
uma Corrente Contínua. Porém se invertemos periodicamente o
sentido do campo, temos uma Corrente Alternada

• A corrente elétrica através da área com seção reta


“A” é igual ao fluxo total das cargas através dessa
área por unidade de tempo
dQ
I
dt
• Unidade Ampère (A)

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
CORRENTE ELÉTRICA
• Convencionamos que o sentido da corrente é do
movimento das cargas positivas (corrente elétrica não e
vetor é uma grandeza escalar)
Nota: para existir uma corrente em um condutor, além de se
estabelecer uma campo elétrico no seu interior, é
necessário uma trajetória fechada ou circuito completo

+ -

ddp
I

+
+ -

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
FORÇA ELETROMOTRIZ (F.E.M)
f.e.m. - é o agente externo que faz a corrente fluir
do potencial mais baixo para um mais elevado

Nota: apesar do nome, fisicamente a f.e.m.


representa o trabalho por unidade de carga
realizado pelas forças da fonte, na transformação
de alguma forma de energia em energia elétrica

• Unidade:
w joule
 V    volts
q coulomb

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
FORÇA ELETROMOTRIZ E CIRCUITO
• Fonte de força eletromotriz
Qualquer dispositivo capaz de manter uma diferença de
potencial entre os terminais de um condutor (bateria,
gerador, etc.)

+ -

ddp
I

+
+ -

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
ENERGIA E POTÊNCIA EM CIRCUITOS ELÉTRICOS
Transferência de energia em um circuito elétrico

• Caixa preta - caixa de 2 terminais cujo conteúdo é desconhecido

I -Temos uma ddp nos terminais


+ a “a” e “b”
+  Temos corrente fluindo p/
v
- - b caixa
- Va > Vb

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
ENERGIA E POTÊNCIA EM CIRCUITOS ELÉTRICOS
• Considerando que uma carga “dq” atravessa
a caixa de “a” para “b” sua energia potencial
elétrica terá diminuído de:
“dU = dq Vab” (trabalho realizado W=qV )
• Num intervalo de tempo “dt”, a energia
transferida para dentro da caixa é:
dq
dU  dqVab , como : i  , dq  idt
dt
dU  idtVab

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
ENERGIA E POTÊNCIA EM CIRCUITOS ELÉTRICOS
• Dividindo a equação anterior por dt temos a taxa com a qual
o restante do circuito fornece energia p/ caixa
 Essa variação recebe o nome de Potência Elétrica

dU
 P  iVab
dt

• Nota: pode acontecer que o potencial de “b” seja maior que o


de “a”, então uma carga “dq” que atravessa a caixa de “a”
para “b” terá aumentado a sua energia potencial . Existe uma
transferência de energia líquida para fora da caixa (o
elemento na caixa está atuando como uma fonte que fornece
energia para o circuito)
• Unidade: Watts (W)

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
ENERGIA E POTÊNCIA EM CIRCUITOS ELÉTRICOS

• As quantidades “v” e “i” são geralmente


funções do tempo, neste caso escrevemos “v(t)”
e “i(t)”. Assim, a potência “p” é também função
do tempo. Algumas vezes é chamada de
potência instantânea “p(t)”, porque o seu valor
é referente ao instante de tempo no qual “v(t)”
e “i(t)” são medidos

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
ELEMENTOS DOS CIRCUITOS ELÉTRICOS

• Elementos Passivos
• Elementos Ativos

 Em relação ao fluxo de Energia

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
ELEMENTOS DOS CIRCUITOS ELÉTRICOS

• Elementos Passivos: recebem energia do circuito  a


energia total entregue a ele pelo resto do circuito é
sempre positiva (energia absorvida pelo elemento)

t t
w(t )  

p(t ).dt   v.i(t ).dt  0

(I)

• Ex.: resistores, indutores, capacitores, transformadores, etc.

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
ELEMENTOS DOS CIRCUITOS ELÉTRICOS

• Elementos Ativos: a equação ( I ) não se mantém por todo


o tempo (a energia é fornecida por eles)

• Podemos dizer também que os ativos são componentes


que permitem ou uma amplificação ou uma modificação
fundamental em “ i ”, “ v ” e/ou potência.
• Ex.: Geradores, baterias e circuitos eletrônicos que
requerem uma fonte de alimentação (Amplificador
operacional, circuitos integrados de uma forma geral)

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
CIRCUITOS ELÉTRICOS A (AULA 3)

ELEMENTOS DE CIRCUITOS ELÉTRICOS

 FONTES DE TENSÃO

 FONTES DE CORRENTE

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
CIRCUITOS ELÉTRICOS A (AULA 3)

Fonte de Tensão Independente (ideal):

Elemento de dois terminais, como uma bateria ou gerador, que mantém


uma dada tensão entre os seus terminais
“A tensão é completamente independente da corrente fornecida”

Símbolo: ou

(CC – CA) (CC)

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
CIRCUITOS ELÉTRICOS A (AULA 3)

Fonte de Tensão Prática (real):

a
Vab

Vab = V – r . i

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
CIRCUITOS ELÉTRICOS A (AULA 3)

Fonte de Corrente Independente (ideal):

“O valor da corrente ‘i’ independe da tensão sobre o elemento.”

Símbolo:

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
CIRCUITOS ELÉTRICOS A (AULA 3)

Fonte Prática de Corrente (real):

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
CIRCUITOS ELÉTRICOS A (AULA 3)

Potência Absorvida: P = V.I

Corrente que entra no terminal positivo “+”.

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica
ET73F – CIRCUITOS ELÉTRICOS A

Professor: Dr. Paulo Cícero Fritzen


E-mail: pcfritzen@utfpr.edu.br
http://paginapessoal.utfpr.edu.br/pcfritzen

Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Departamento Acadêmico de Eletrotécnica


Curso de Engenharia Industrial Elétrica - Ênfase em Eletrotécnica