Вы находитесь на странице: 1из 28

ANTIINFLAMATÓRIO

PORQUE TANTA PROCURA DESTE MEDICAMENTO?


HISTÓRICO
As propriedades no alívio da febre, inflamação e
dores proporcionadas pela casca do salgueiro são
conhecidas há vários anos. (século XVIII)

Em uma instituição destinada à promoção do


conhecimento cientifico, chamada Sociedade Real
de Londres, foi onde observaram que a planta
gostava de nascer em locais de umidade, teria
como característica reduzir o calor do corpo.

O salgueiro tem como princípio ativo a salicina,


que é muito amarga.

Este glicosídeo foi isolado por Leroux em 1829.

Em 1875 o salicilato de sódio foi utilizado pela


primeira vez para tratar febre reumática e para
reduzir a febre
HISTÓRICO
Com o sucesso do antiinflamatório, o produto foi utilizado na medicina, com o nome de
ácido acetilsalicílico.

Desde o isolamento do ácido salicílico em 1828, os AINE tornaram-se uma parte


importante do tratamento da febre e da dor.
FARMÁCOS ANTIINFLAMATÓRIOS
INFLAMAÇÃO – a palavra é derivada do latim “em” associado a flamma que significa
“fogasso” ( calor e rubor) + o sufixo ação (atividade).

No termo antiinflamatório é acrescentando o sufixo anti que significa “contra” a


inflamação.

SINTOMAS
Calor - aumento da temperatura no local
Rubor - hiperemia
Edema - inchaço
Dor
Perda da função
A INFLAMAÇÃO PODE SER PROVOCADA TAMBÉM POR UM AGENTE INÓCUO
OU UMA DOENÇA AUTO - IMUNE
Os antiinflamatórios são classificados em:

Antiinflamatórios não – esteroidais ( AINEs) – fármacos úteis no tratamento da Artrite


(farmácos anti-inflamatórios de ação lenta)

Antiinflamatórios esteróides - fármacos úteis no tratamento da gota


SEGUNDO PESQUISA OS ANTIINFLAMATÓRIOS SÃO OS
CAMPEÕS DE VENDA NO QUESITO AUTOMEDICAÇÃO
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO
ESTEROIDAIS

São um grupo de fármacos que tem ação antipirética, analgésica,


antiinflamatória, inibindo a formação de COX II.
DERIVADOS DO ÁCIDO SALICÍLICO

AAS

• Tem ação antitérmica, anticoagulantee analgésica.

• Não associá-lo com varfarina.

• Pessoa que tem Gota ou asma não pode usá-lo.

• Em grávidas pode provocar aborto.

• Salicilismo ocorre quando intoxicação por AAS e pode causar redução da audição, zumbido
nos ouvidos e agravamento da asma.
DERIVADOS DA PIRAZOLONA

DIPIRONA

• Tem ação analgésica, antitérmica e antiespasmolítica.

• Não usar durante gravidez, lactação.

• Não fazer uso com álcool.

• Pessoa pode ter distúrbio hematopoiético.


DERIVADOS DOS PARAMINOFENÓLICOS

PARACETAMOL

• Tem ação antiinflamatória, antitérmica e analgésica.

• É usado em cefaléia, febre, infecções odontológicas e dengue.

• Não deve ser usado em pessoas que tem insuficiência hepática.


DICLOFENACO
Derivado do ácido acético

MOCINHO
Tem atividade analgésica, antipirética e antiinflamatória.
Usado no tratamento das tendinites,bursites dor por operatório, artrite reumática, osteoartrite.
VILÃO
Aumento do níveis das enzimas plasmáticas,síndrome de Nicolau...aumeta o efeito de
antigoagulantes, diminui o efeito dos diureticos.

RDC (137/03) ANVISA

– Contra-indicado em menores de 14 anos

– Não existem estudos assegurando a eficácia e segurança na faixa etária pediátrica

VENDA SEM PRESCRIÇÃO MEDICA


INIBIDORES SELETIVOS DA CICLOXIGENASE-2

(ex: nimesulida,celebra)

Mocinho: ação especifica, antiinflamatório, analgésicos e antipiréticos

Vilão - infarto agudo no miocárdio, AVC, aumento da pressão arterial.

CELEBRA MEDICAMENTO CONTROLADO


ALOPURINOL

MOCINHO = reduz a produção de ácido úrico. Usado no combate a gota;

VILÃO = Náuseas, dor abdominal, diarréia, e, posteriormente, (não muito


freqüente) erupções cutâneas.
PROBENECIDA e SULFINPIRAZONA

MOCINHO - promovem a excreção de uratos bloqueando a reabsorção de ácido úrico

VILÃO - provocam dor abdominal e desconforto gástrico


ESTERÓIDES

•Compreendem os hormônios do córtex adrenal

• Os glicocorticóides apresentam atividade anti-inflamatória importante, além de


suprimir a imunidade.

•Os glicocorticóides endógenos são produzidos a partir do colesterol. Foram


desenvolvidos vários fármacos derivados semi-sintéticos dos glicocorticóides.
ANTIINFLAMATÓRIOS ESTEROIDAIS

AÇÃO: Reduzir acentuadamente a inflamação.

PRINCIPAIS USOS
doenças auto-imunes
Inflamatórias
Asma
Distúrbios alérgicos,
Distúrbios do colágeno
Distúrbios dermatológicos e gastrintestinais
Oftálmicos, orais e respiratórios
Tratamento de choque, de doenças
neurológicas
Síndrome nefrótica
Neoplasia (alguns tipos)
Redução do edema cerebral
Profilaxia e tratamento de rejeição de órgãos
EXEMPLOS

Glicocorticóides de ação curta:


Cortisona – hidrocortisona (Solu-Cortef) (Cortisonal)

Glicocorticóides de ação intermediária:


Prednisolona (Prelone) (Predsim) (Prednisolon)
Metilprednisolona (Solu-Medrol) (Unimedrol)
Prednisona (Meticorten) (Predicorten) –
Triancinolona (Omcilon) (Theracort) – beclometasona (Beclosol) (Clenil)

Glicocorticóides de ação longa:


Betametasona (Celestone) (Diprospan) (Candicort)(Novacort)
Dexametasona (Decadron) (Decadronal) (Duo-Decadron).
MOCINHO X VILÃO
MOCINHO
Bloqueia a liberação do ácido araquidônico por
estimular a produção da lipocortina que tem a
ação de inibir a enzima fosfolipase
A2,responsável pela transformação dos
fosfolipídios em ácido araquidônico.

Os corticosteróides também evitam a liberação de


histamina assim como mediadores inflamatórios,
o que reduz o influxo de células de defesa para o
local da inflamação.
VILÃO
EFEITOS ADVERSOS SEVEROS
úlceras pépticas
hipertensão arterial (com a hidrocortisona e a cortisona)
edema
aumento do apetite
euforia, entretanto, algumas vezes ocorre depressão ou sintomas psicóticos e labilidade emocional
aumento da gordura abdominal
face de lua cheia com bochechas vermelhas
adelgaçamento da pele – equimoses com facilidade
fraqueza muscular e fadiga por perda de massa muscular na região proximal do tronco e membros
reparação retardada de feridas
tendência a hiperglicemia
supressão da resposta à infecção
supressão da síntese de glicocorticóides endógenos
síndrome de Cushing iatrogênica
catarata
Glaucoma
osteoporose.
RESUMO DOS DERIVADOS DO ÁCIDO ARAQUIDÔNICO

Aline: narradora
Carol: moça simpática, considerada “ MARIA DAS DORES”
Aryana: ácido araquidônico; COX; prostaglandina; inibidora de COX 2
Lilian: ativadora do ácido araquidônico; DICLOFENACO
CONCLUSÃO

A discussão sobre os possíveis riscos que os antiinflamatórios causam a saúde do paciente está
em pauta desde a sua descoberta. A maioria dos especialistas concorda com a gravidade da
automedicação e o uso contínuo do medicamento sem orientação de um profissional
especializado. Por isso, lembre-se de que os antiinflamatórios devem ser usados com cautela, com
prescrição e acompanhamento médico.
REFERÊNCIAS
Wannmacher L, Ferreira MBC. Analgésicos não-opióides. In: Fuchs FD, Wannmacher L editores.
Farmacologia clínica. Fundamentos da terapêutica racional. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,
1998. p.165-71.

Prescott LF. Paracetamol: past, present, and future. Ann J Ther 2000; 7: 143-47.

DEF – 2010/11 Dicionário de Especialidades Farmacêuticas

http://www.cff.org.br/#[ajax]noticia&id=30
Acessado em 08/04/2011

http://www.sindifarmajp.com.br/noticias.php?not_id=231
Acessado em 08/04/2011

http://www.mdsaude.com/2008/11/antiinflamatrios.html
Acessado em 11/04/2011

http://hctv.com.br/antiinflamatorios-podem-elevar-risco-cardiaco
Acessado em 11/04/2011
ALUNAS
Aline Baldim
Aryana Silvado
Carolina Sales
Lilian Furtado

PROFESSORA RESPONSÁVEL: Adriana P. Freire Junqueira

5º PERÍODO DE FARMÁCIA 2011/01