Вы находитесь на странице: 1из 26

2ª Lei da Termodinâmica

“A dualidade Energia organizada versus


Entropia é apenas uma outra forma de se
colocar a questão do dualismo da Criação”
Sérgio Rosvald Donaire
Lei da Conservação da Energia:

“A
quantidade
total de
energia do
Universo é
constante.”
1ª Lei da Termodinâmica:
 Permite a ocorrência de eventos fisicamente
“impossíveis”, ou melhor, altamente
improváveis.
Transformações Naturais: Estado Ordenado p/ um Estado Desordenado.

Derretimento do gelo:
exemplo de aumento
da entropia
1ª Lei da Termodinâmica:
 Permite a ocorrência de eventos fisicamente
“impossíveis”, ou melhor, altamente
improváveis.

Um baralho com as cartas ordenadas por naipes e valores e após um


grande número de embaralhamentos.
1ª Lei da Termodinâmica:
 Permite a ocorrência de eventos fisicamente
“impossíveis”, ou melhor, altamente
improváveis.

Se o gás da figura inicial for liberado e ocupar também o outro lado do recipiente,
a probabilidade que retorne ao estado original é praticamente nula.
1ª Lei da Termodinâmica:
 Permite a ocorrência de eventos fisicamente
“impossíveis”, ou melhor, altamente
improváveis.

Se uma gota de tinta vermelha for colocada em um recipiente contendo água, irá
se espalhar gradativamente e dificilmente após a mistura a gota de tinta poderá
retornar à condição inicial.
1ª Lei da Termodinâmica:
 Permite a ocorrência de eventos fisicamente
“impossíveis”, ou melhor, altamente
improváveis.

Um pêndulo posto a oscilar irá


em certo momento diminuindo
sua energia até parar. A
probabilidade que, por
processos naturais, ele volte a
oscilar com a mesma
freqüência e período é
extremamente baixa.
ENTROPIA:

Ocorre quando em
uma transformação
termodinâmica,
uma parte da
energia é
aproveitada e a
outra é
desperdiçada em
forma
desorganizada e
inútil, conhecida
como Energia
térmica.
ENTROPIA:

A energia total do
Universo tende a se
tornar cada vez mais
desordenada e, por
conseqüência,
podemos afirmar que
a entropia do
Universo cresce
continuamente.
ENTROPIA:

Processos Irreversíveis:
Processos de mão única pois não podem
ser revertidos espontaneamente.

“A verdade é que todos os processos


naturais (espontâneos) que ocorrem a
nossa volta, tendem a tornar a desordem
do Universo cada vez maior.”
ENTROPIA:

Processos Irreversíveis:
Processos de mão única pois não podem
ser revertidos espontaneamente.

Rudolf Julius Emanuel Clausius:

“ O calor não flui espontaneamente de um


corpo frio para um corpo quente.”
Princípio da Degradação da Energia
2ª Lei da Termodinâmica:

“ É impossível construir uma


máquina térmica, que operando
em ciclos, retire calor de uma
fonte quente e o converta
integralmente em trabalho
mecânico.”
Lord Kelvin
Princípio da Degradação da Energia
2ª Lei da Termodinâmica:

Esquematicamente:

Fonte quente Máquina Fonte fria


Q1 T1 térmica
Q2 T2

 Q1 =  + Q2
Princípio da Degradação da Energia
2ª Lei da Termodinâmica:

Onde:
Q1 = Calor retirado da fonte quente;
Q2 = Calor rejeitado para a fonte fria;
T1 = Temperatura da fonte quente;
T2 = Temperatura da fonte fria;

 = Trabalho mecânico realizado.


Q1 =  + Q2
Exercitando: pág. 41
2. (UFRN) Observe atentamente o processo
físico representado na seqüência de figuras a
seguir. Considere, para efeito de análise, que
a casinha e a bomba constituem um sistema
físico fechado. Note que tal processo é
iniciado na figura 1 e é concluído na figura 3.

Figura 01 Figura 02 Figura 03


Exercitando: pág. 41
2. (UFRN) Pode-se afirmar que, no final dessa
seqüência, a ordem do sistema é
Xa) maior que no início e, portanto, durante o processo
representado, a entropia do sistema diminui.
b) maior que no início e, portanto, durante o processo
representado, a entropia do sistema aumentou.
c) menor que no início e, portanto, o processo
representado é reversível.
d) menor que no início e, portanto, o processo
representado é irreversível.
Exercitando: pág. 41
3. (ENEM) No Brasil, o sistema de transporte depende do
uso de combustíveis fósseis e de biomassa, cuja
energia é convertida em movimento de veículos. Para
esses combustíveis, a transformação de energia
química em energia mecânica acontece:
Xa) na combustão, que gera gases quentes para mover os
pistões no motor.
b) nos eixos, que transferem torque às rodas e
impulsionam o veículo.
c) na ignição, quando a energia elétrica é convertida em
trabalho.
d) na exaustão, quando gases quentes são expelidos para
trás.
e) na carburação, com a difusão do combustível no ar.
Exercitando: pág. 43
6. (UFSCAR) Maxwell, notável físico escocês da segunda
metade do século XIX, inconformado com a possibilidade
da morte térmica do Universo, conseqüência inevitável da
Segunda Lei da Termodinâmica, criou o "demônio de
Maxwell", um ser hipotético capaz de violar essa lei. Essa
fictícia criatura poderia selecionar as moléculas de um gás
que transitassem entre dois compartimentos controlando a
abertura que os divide, como ilustra a figura.
Exercitando: pág. 43
6. (UFSCAR-SP) Por causa dessa manipulação diabólica,
as moléculas mais velozes passariam para um
compartimento, enquanto as mais lentas passariam para
o outro. Se isso fosse possível,
Xa) esse sistema nunca entraria em equilíbrio térmico.
b) esse sistema estaria em equilíbrio térmico permanente.
c) o princípio da conservação da energia seria violado.
d) não haveria troca de calor entre os dois
compartimentos.
e) haveria troca de calor, mas não haveria troca de
energia.
Exercitando: pág. 43
7. (CESGRANRIO) São quatro as etapas do ciclo de
funcionamento de uma máquina térmica.
1ª etapa (AB): expansão isobárica
2ª etapa (BC): expansão isotérmica
3ª etapa (CD): contração isobárica
4ª etapa (DA): compressão isométrica
X
Assinale o diagrama P×V
(pressão versus volume)
correspondente a este ciclo.
Rendimento():

 O rendimento de uma máquina é a relação entre a


energia útil e a energia total recebida.

 =  = 1 - Q2
Q1 Q1
Princípio da Degradação da Energia
2ª Lei da Termodinâmica:

Máquinas frigoríficas: convertem trabalho em calor

Fonte quente Máquina Fonte fria


Q1 T1 térmica
Q2 T2

(congelador)
(meio externo)

 Q1 =  + Q2
(compressor)
Exercitando: pág. 45
3. (PUCCAMP) O biodiesel resulta da reação química
desencadeada por uma mistura de óleo vegetal com
álcool de cana. A utilização do biodiesel etílico como
combustível no país permitiria uma redução sensível
nas emissões de gases poluentes no ar, bem como
uma ampliação da matriz energética brasileira.
 O combustível testado foi desenvolvido a partir da
transformação química do óleo de soja. É também
chamado de B-30 porque é constituído de uma
proporção de 30% de biodiesel e 70% de diesel
metropolitano. O primeiro diagnóstico divulgado
considerou performances dos veículos quanto ao
desempenho, durabilidade e consumo.
Exercitando: pág. 45
3. (PUCCAMP) Um carro-teste consome 4,0 kg de
biodiesel para realizar trabalho mecânico. Se
a queima de 1 g de biodiesel libera 5,0 × 103
cal e o rendimento do motor é de 15%, o
trabalho mecânico realizado, em joules, vale,
aproximadamente,
 Dado: 1 cal = 4,2 joules
a) 7,2 × 105 b) 1,0 × 106 c) 3,0 × 106 d) 9,0 × 106 Xe) 1,3 ×
107
Exercitando: pág. 46
5. (UFPI)A eficiência de um motor térmico é
definida como a razão entre o trabalho por
ele realizado e o calor por ele recebido
durante um ciclo completo de seu
funcionamento. Considere um motor que
recebe 440 J de calor por ciclo, que tem uma
eficiência de 30% e que completa um ciclo de
funcionamento a cada 0,02 segundos. A
potência fornecida por esse motor é, em kW:
a) 1,1 b) 2,2 c) 4,4 Xd) 6,6 e) 8,8
Exercitando: pág. 46
7. (UEL) Suponha que num motor a explosão o
gás no cilindro se expanda 1,50 litros
(1,50.10-3 m3) sob pressão de 5,00.105 N/m2.
Suponha também que, neste processo, são
consumidos 0,20 g de combustível cujo calor
de combustão é 7,50.103 cal/g. Adotando
1,0 cal = 4,0 J, o rendimento deste motor, em
porcentagem, é um valor mais próximo de:
a) 10 Xb) 13 c) 16 d) 20 e) 25