Вы находитесь на странице: 1из 76

Gl 5.

19 Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia,
20 idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,
21 invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro,

como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus.

Cl 3.5 Mortificai,
pois, os vossos membros que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite
desordenado, a vil concupiscência e a avareza, que é idolatria;
6 pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência;
7 nas quais também, em outro tempo, andastes, quando vivíeis nelas.
8 Mas, agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das

palavras torpes da vossa boca.


9 Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos
2 Tm 3.1-5

O Espírito Santo mostra ao pecador a necessidade de abandonar as obras da carne para ter
o caráter de Cristo. Ademais, Ele aplica ao coração do homem os ensinamentos cristalinos das
Sagradas Escrituras. Por meio deles é possível viver a verdadeira e dinâmica vida no Espírito.

Já dissemos também que a carne trabalha buscando


independência, ela age fora de Deus.

Os perigos da obra da carne são que, além de ser dominada completamente pela
incredulidade, agindo na vida do homem, ela quer mostrar que o mesmo não precisa mais de
Deus, pois já alcançou a maioridade e pode seguir seu caminho sem depender de qualquer
divindade.

FONTE: GOMES, Osiel. As obras da carne e o fruto do Espírito. Rio de Janeiro: CPAD, 2016
sárx
Não é fácil entendermos no seu aspecto geral os diversos sentidos da expressão sárx. Como já
mencionamos, ela está marcada de mistério, mas Agostinho procurou dividir as obras da carne em
dois ramos: Ramo do Orgulho e Ramo da Sensualidade.

Esses dois ramos juntos produzem todo


tipo de pecado, isto segundo Agostinho.

Já Lutero dizia que a raiz da carne era a incredulidade, e não o orgulho; porém, a conclusão a
que se chega é a seguinte: a carne age fora da esfera do Espírito Santo, ela tem seu próprio
mundo, de modo que suas ações sempre se inclinam para coisas más, pois a carne está fora de
Deus, antes deseja colocar o homem no lugar de Deus.

FONTE: GOMES, Osiel. As obras da carne e o fruto do Espírito. Rio de Janeiro: CPAD, 2016
CONCUPISCÊNCIA
Segundo o Comentário Bíblico Pentecostal do Novo Testamento, a palavra significa
expressamente" desejos físicos". Por isso, deixe claro que o termo significa a expressão
dos desejos lascivos que assediam a mente humana.

É a velha natureza manifestando as ações do "velho


homem", suas piores ações e abominações.

É uma tragédia quando as obras da carne dominam e


tomam o lugar de toda a pureza, retidão e santidade.
1.1 A concupiscência da carne
Segundo o Dicionário Wycliffe, concupiscência da carne é
um "termo usado teologicamente para expressar os
desejos malignos e lascivos que assediam os homens
caídos" (Rm 7.8).

Paulo advertiu a Igreja, explicando que, quem semeia na


carne, ou seja, vive segundo a velha natureza, da carne
ceifará corrupção (Gl 6.8).

Nossos desejos e vontades devem ser controlados pelo


Espírito Santo, pois os desejos da velha natureza são
impuros e nos conduzem para a morte espiritual.

FONTE: Lições Bíblicas. 3. As Obras da Carne. Rio de Janeiro: CPAD, 2017


TIPOS DE TENTAÇÃO – I João 2.15-17

Carne – alimenta todos os teus apetites carnais. Deixa


a carne com seus desejos dominarem você ( comida,
sexo, drogas – Lc 4.3 ) Natureza pecaminosa;

1 Jo 2.15 Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai
não está nele.
16 Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a
soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.
17 E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece
para sempre.
ACF
A CONCUPISCÊNCIA DA CARNE está ligada à natureza pecaminosa do homem, é claro já falamos
que o termo concupiscência pode ter seu lado positivo e negativo.

No sentido POSITIVO, falando de desejo, a epithumía aparece em Lucas 22.15;


1 Tessalonicenses 2.17.

No Novo Testamento essa palavra recebe mais uma conceituação NEGATIVA,


apontando para desejos impuros, como procediam os pagãos (Rm 1.24).
ES, Osiel. As obras da carne e o fruto do Espírito. Rio de Janeiro: CPAD, 2016
Os que andam “segundo a carne”
Alguém afirmou, com muita propriedade, que “a tragédia básica da experiência humana caída
é que um ser criado por Deus e para Deus, vive agora sem Deus”.

Andar segundo a carne é a consequência desta tragédia. Não há méritos em viver alheio à
vida de Deus (Ef 4.18), seguir os próprios pensamentos e inclinações (Is 53.6) de uma natureza
que jaz em iniquidade (Rm 7.24). Morto em delitos e pecados, o homem é tanto um rebelde
quanto um fracassado (Ef 2.1-3).

O ser humano nasce em pecado, existe em pecado e continua vivendo em pecado, em eterna
rebelião contra Deus.

FONTE: Lições Bíblicas. Salvação e Justificação, os Pilares da vida Cristã. RJ: CPAD, 2006
CONCUPISC
ÊNCIA
Trata-se dos desejos desenfreados, malignos, impuros, corruptores e pecaminosos que
afetam o caráter do homem (Rm 1.24; Cl 3.5; 1 Pe 2.11; 1 Jo 2.15-17).

A concupiscência se manifesta mediante o desejo descontrolado pelas coisas naturais


desta vida a ponto de conduzir o indivíduo à satisfação desses impulsos por meios
imorais e ilícitos (Tg 1.14,15).

A Bíblia afirma que a única maneira eficaz de se vencer a concupiscência é andar no


Espírito (Gl 5.16).

FONTE: Lições Bíblicas. A busca do caráter Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
1.2 A vida guiada pela concupiscência da carne

Devemos submeter nossos pensamentos e desejos ao controle divino. O crente que não
tem uma mente conduzida pelo Espírito Santo torna-se uma pessoa sem controle.

A Palavra de Deus nos ensina que precisamos


mortificar nossa natureza (Cl 3-5).

A Igreja não pode se calar, mas deve expressar suas virtudes anunciando a mensagem
da salvação.

FONTE: Lições Bíblicas. 3. As Obras da Carne. Rio de Janeiro: CPAD, 2017


Hedonismo: Prazer é Tudo?
• Hedonismo: Doutrina que considera que o prazer individual e imediato é o único bem
possível, princípio e fim da vida moral (Aurélio).

• Significa que o prazer é o desejo maior do ser humano e que qualquer coisa feita para
alcançá-lo é válido. Não existe valor maior que o prazer.

• Filmes, livros, ideologias de hoje

Fonte: http://pt.slideshare.net/RogrioNunes3/sexo-defraudao-e-hedonismo
QUEM DOMINA A MENTE HUMANA?
Na luta entre quem dominará a mente humana, se o Espírito ou a Carne, se percebe a
necessidade da mortificação da Carne

Por isso, a Palavra de Deus nos diz que devemos levar "cativo todo entendimento à
obediência de Cristo" (2 Co 10.5). Permitindo que Ele seja soberano em nosso pensamento,
vontade e ação.

Ora, Cristo é o Senhor em todas as áreas da nossa vida. Não há uma só


área que não deva ser dirigida e dominada por Ele.
Pudor significa ter discrição, recato
com algo que se diga ou faça, e é
realmente utilizado quando
relacionado ao corpo.

Pudor é o que impede que a pessoa


faça algo indecente, é a vergonha
de mostrar o corpo, de ficar
exibindo-se, de diversas maneiras.

Fonte: https://www.significados.com.br/pudor/
1.3 a vida conduzida pela concupiscência dos olhos
Quando o homem se torna insensível à voz de Deus e ao Espírito, sendo governado apenas
por seus instintos, torna-se semelhante aos animais.

Uma vida conduzida pela velha natureza leva as pessoas a olharem apenas para os prazeres
momentâneos que o mundo oferece, não atentando para o que é eterno. Davi viu e desejou a
mulher de Urias, e o seu desejo descontrolado o levou a cometer um adultério e um homicídio
(2 Sm 11.1-4).

Ele não atentou para as consequências dos seus atos. O crente não pode se deixar seduzir
pelos prazeres deste mundo (l 3o 2.15-17).

FONTE: Lições Bíblicas. 3. As Obras da Carne. Rio de Janeiro: CPAD, 2017


TIPOS DE TENTAÇÃO – I João 2.15-17
 Olhos

O que vejo eu quero. Sedução.


Eva olhou e desejou. Entra pelos sentidos.

 Soberba

Ser tentado a ostentar o que não é. Querer se


mais do que o outro. Querer ser Deus.
Diálogo com o nosso "eu“ com Diabo ou com o

O PROCESSO DA TENTAÇÃO
mundo (Gn.3:1).

Dúvida em relação à Palavra de Deus


(Gn.3:4)

Uma atração (Gn.3:6)

Geração do desejo (Gn.3:9)

Engodo, ou seja, o engano


(Tg.1:15)

A geração do pecado
(Mt.5:28;
15:18,19;Tg.1:15a)

A morte
(Rm.6:23;
Gn.2:17)
O homem não pode dominar o seu eu para dirigir-se a Deus com prazer. Caso ele deseje
realmente uma transformação, tem que depender da ajuda do Espírito Santo.

O homem pode, até certo momento, com a liberdade que tem de praticar certas coisas boas,
escolher não cometer pecados contra Deus e resistir à tentação, mas tais ações são motivadas por
seus próprios motivos, não por meio da ação direta do Espírito Santo de Deus.

Ao pecar, o homem não perdeu sua capacidade pensante nem sua livre agência, ele pode
determinar seus atos e ter inclinação para o que é bom, contudo sua bondade não agrada a Deus,
pois não é oriunda da ação direta do Espírito Santo.

É tão somente por meio do Espírito Santo que o homem pode ter o seu coração transformado,
ações adequadas e exercer verdadeira fé para com Deus.

FONTE: GOMES, Osiel. As obras da carne e o fruto do Espírito. Rio de Janeiro: CPAD, 2016
SUBSÍDIO TEOLÓGICO
Algumas pessoas pensam que o mundanismo está limitado ao comportamento exterior — as
pessoas com quem nos associamos, os lugares que frequentamos, as atividades que apreciamos. O
mundanismo é também interior, porque começa no coração, e é caracterizado por três atitudes:

A COBIÇA PELO PRAZER FÍSICO

A COBIÇA POR TUDO O QUE VEMOS

O ORGULHO DAS NOSSAS POSSES

FONTE: Lições Bíblicas. 3. As Obras da Carne. Rio de Janeiro: CPAD, 2017


A nova vida, uma vida frutífera
Segundo as Escrituras, o crente não apenas foi ressuscitado com Cristo (Rm 6.6-11; 1 Pe 1.3,4),
como também participa da natureza divina.

Ele possui uma nova vida proveniente de Cristo e em Cristo. Portanto, ser cristão implica uma
mudança radical de vida (Cl 1.13), que inclui o repúdio ao “velho eu” com todos os andrajos do
pecado.

Como deixamos de uma vez por todas o velho homem,


devemos também deixar de lado todo comportamento
pertencente à vida passada.

Nosso comportamento deve ser coerente com a nova


vida que dEle recebemos. É o que nos ensina o Novo
Testamento (Ef 4.17-32; Cl 3.5-17; Rm 8.1-13; Tt 3.3-
7).

FONTE: Lições Bíblicas. Salvação e Justificação, os Pilares da vida Cristã. RJ: CPAD, 2006
O empecilho para a obra do Espírito (Rm 8.5-8)
O princípio

‘Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são do
Espírito, para as coisas do Espírito’. A palavra ‘carne’ representa a natureza antiga e
pecaminosa que não recebeu a renovação e vive segundo o homem não regenerado.

Pode ser considerada a ‘baixa natureza’ ou a ‘natureza animalesca’. A expressão abrange


tanto a totalidade da vida não renovada e que vive longe de Deus, como todas as atividades em
que o eu-próprio é o centro. Quando alguém coloca Deus no centro da sua vida, passa a andar
segundo o Espírito.

FONTE: Lições Bíblicas. Salvação e Justificação, os Pilares da vida Cristã. RJ: CPAD, 2006
...
O resultado

‘Porque a inclinarão da carne é morte; mas a


inclinação do Espírito é vida e paz’. O termo
‘morte’ se refere não apenas à morte física, mas a
separação presente e futura de Deus, fonte de toda
vida espiritual.

FONTE: Lições Bíblicas. Salvação e Justificação, os Pilares da vida Cristã. RJ: CPAD, 2006
...
A razão

‘Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à


lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser’.

O homem carnal, para quem o eu-próprio é a lei suprema, naturalmente tem


ressentimento contra Deus e sua bendita vontade [...]”

FONTE: Lições Bíblicas. Salvação e Justificação, os Pilares da vida Cristã. RJ: CPAD, 2006
2.1 o caráter

No grego, caráter é charaktêr e significa


"estampa", "impressão" e "marca".

Segundo o Dicionário Houaiss é "um conjunto de


traços psicológicos e, ou morais, que
caracterizam um indivíduo".

O caráter não é inato e pode ser mudado.

FONTE: Lições Bíblicas. 3. As Obras da Carne. Rio de Janeiro: CPAD, 2017


Caráter
Conjunto das qualidades de uma pessoa que determina sua conduta em relação a Deus, a
si mesma e ao próximo.

O caráter, influenciado pelo temperamento e


personalidade, é o conjunto das qualidades boas ou
más de um indivíduo que determina-lhe a conduta -
como a pessoa age.

FONTE: Lições Bíblicas. A busca do caráter Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
O CARÁTER HUMANO
 DEFINIÇÃO

Caráter é o conjunto das qualidades boas ou más de um indivíduo que


determina sua conduta em relação a Deus, a si mesmo e ao próximo. Essas
especificidades são responsáveis pela maneira como uma pessoa age,
regulando suas escolhas e decisões (Pv 5.21; 16.2,9; 20.6,11).

O caráter de uma pessoa, portanto, não apenas define quem ela é, mas
também descreve seu estado moral e a distingue das demais de seu grupo (Pv
11.17; 12.2; 14.14; 20.27).

FONTE: Lições Bíblicas. A busca do caráter Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
...
 ASPECTO BÍBLICO-TEOLÓGICO DO CARÁTER.

A Bíblia é farta de ensinamentos referentes à virtude, à moral e ao caráter


cristão. Os preceitos da Lei, especialmente os do Decálogo (Êx 20), as
mensagens éticas dos profetas (Is 10.1,2; Hc 2), os ensinos de Jesus (Mt 5-7),
e as doutrinas exaradas nas epístolas (Rm 12.9-21; 1 Pe 3.8-16), revelam a
vontade Deus para a vida moral do homem (2 Tm 3.16).

FONTE: Lições Bíblicas. A busca do caráter Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
...
 O TRABALHO DO ESPÍRITO NO CARÁTER DO HOMEM

Ao aceitar a Cristo como Salvador, o homem recebe da parte de Deus um novo


caráter (2 Co 5.17). O Espírito Santo, por meio de suas ministrações (Rm 8.1-17; Gl
5.22-26), aperfeiçoa-o gradualmente (2 Co 3.18; 1 Pe 1.2).

Na continuação, o Espírito da Verdade passa a controlá-lo por completo, de


modo que suas ações passam a ser moldadas por Ele (Rm 8.5-11). Uma vez que a
imagem perdida no Éden fora restaurada, o homem passa a experimentar e
demonstrar uma vida de integridade (Gn 3.11-13; Rm 5.12; 1 Co 15.22,45; Ef
4.23,24).

FONTE: Lições Bíblicas. A busca do caráter Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
PRESERVANDO O CARATER
NÃO É FÁCIL PRESERVAR O CARÁTER ÍNTEGRO EM DEUS.

Infelizmente, não por acaso, assistimos muitos ícones, pessoas anônimas também, degradarem o
caráter que um dia foi forjado para glória de Deus.

O apóstolo Pedro nos mostra como isso acontece:

"Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo


conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez
envolvidos nelas e vencidos, tornou se lhes o último estado pior do que o
primeiro.
...
Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça
do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que
lhes fora dado. [...] O cão voltou ao seu próprio vômito; a porca
lavada, ao espojadouro de lama" (2Pe 2.20-22).

Esse processo não começa da noite para o dia. Ele se dá


paulatinamente, aos poucos. Quando menos se percebe, "o cão
voltou ao seu próprio vômito".

Perseverança de quem está em Cristo.


FONTE: http://www.escoladocarater.com.br/2015/01/coluna-oton-rodrigues-as-4-principais.html
2.2 O caráter moldado pelo espírito
O Espírito Santo trabalha em nós a fim de que sejamos
semelhantes a Jesus. Mas para que essa transformação
aconteça precisamos nos submeter inteiramente a Deus.

Não adianta apenas dizer que é crente, é preciso evidenciar


o nosso caráter cristão mediante as nossas ações (Mt 5.16).
Muitos se dizem crentes, mas suas ações demonstram que
nunca tiveram um encontro real com o Salvador.

Crentes que vivem causando escândalos, divisões,


rebeldias, jamais experimentaram o novo
nascimento.
FONTE: Lições Bíblicas. 3. As Obras da Carne. Rio de Janeiro: CPAD, 2017
Para o cristão não se deixar dominar pela concupiscência da carne
precisa do Espírito Santo de Deus, caso contrário os desejos
pecaminosos irão derrota-lo (Ef 5.5,6).

Ao pecar o homem tornou-se depravado, ficou desprovido da justiça original de Deus e do


desejo pelas coisas santas, sua natureza ficou adulterada e cedendo fortemente para o mal,
por isso a ênfase da Bíblia é que o homem possa nascer de novo (Jo 3.3).

Ao falarmos sobre a depravação do homem, não queremos dizer que nele não exista
qualquer coisa boa, que todas as suas ações são pecaminosas e opostas a Deus, nada disso,
na Bíblia o próprio Senhor Jesus destacou coisas importantes nos homens (Mt 23.23), e nas
palavras de Paulo é destacado que certos gentios agiam segundo a Lei (Rm 2.14).

FONTE: GOMES, Osiel. As obras da carne e o fruto do Espírito. Rio de Janeiro: CPAD, 2016
A grande questão na depravação do homem, que o leva a ter um
viver que não agrada a Deus, é que ele sempre vai preferir a si
próprio (2 Tm 3.4), posto que está destituído do amor verdadeiro de
Deus, para amá-lo de todo coração e com todas as suas forças, sempre
desejando fazer a sua vontade (Dt 6.4,5; Mt 22.35-38).

Em primeiro lugar, e passa a ter aversão a Deus, isso porque todo


o seu ser esta corrompido pela natureza pecaminosa, quer seja
coração, pensamentos, sentimentos e vontade (Ef 4.18), de modo
que está em inimizade com o Senhor (Rm 7.18).

FONTE: GOMES, Osiel. As obras da carne e o fruto do Espírito. Rio de Janeiro: CPAD, 2016
A carne é inimiga do Espírito Santo. Desse modo facilmente podemos concluir que ela jamais
irá querer agradar a Deus, já que se opõe a Ele constantemente.

Os que vivem na carne, diz Paulo, não têm uma vida que
agrada a Deus, isso só é possível quando uma nova natureza
é implantada dentro do homem.

Para Deus somente a obra não basta, muitas igrejas da Ásia tinham
muitas obras, eram atuantes, como no caso da igreja de Éfeso, o apóstolo
mostra que ela tinha muitas obras, mas Deus não aprovou completamente o
seu trabalho, posto que estava faltando o primeiro amor (Ap 2.4).

FONTE: GOMES, Osiel. As obras da carne e o fruto do Espírito. Rio de Janeiro: CPAD, 2016
2.3 ataques ao seu caráter

Em sua vida cristã, você terá que Lutar com três inimigos
que farão de tudo para macular o seu caráter: a carne, o
Diabo e o mundo.

Para enfrentar e vencer esses inimigos é preciso ter uma


vida de comunhão com o Pai.

Sem a leitura da Bíblia, a oração e o jejum não


conseguiremos vencer e ter uma vida frutífera.

FONTE: Lições Bíblicas. 3. As Obras da Carne. Rio de Janeiro: CPAD, 2017


SUBSÍDIO TEOLÓGICO
“É o Espírito Santo que produz o fruto espiritual em nós quando nos rendemos sem reservas a Ele.
Isso abrange nosso espírito, alma e corpo e todas as faculdades que os constitui.

O crente que quiser mandar na sua vida e fazer a sua vontade para agradar a si próprio pode
continuar como cristão, mas nunca será vitorioso no seu viver em geral, e nem terá jamais o
testemunho do Espírito na sua consciência cristã de que está em tudo agradando a Cristo e fazendo
o seu querer. O fruto do Espírito é o caráter de Cristo produzido em nós para que em nosso viver o
demonstremos ao mundo.

Caráter este como revelado nos tipos, símbolos, figuras e nas inúmeras profecias messiânicas do
Antigo Testamento, e nas diversas passagens do Novo Testamento que tratam do assunto, a
começar pelos Evangelhos”

FONTE: GILBERTO, António. O Fruto do Espírito: A plenitude de Cristo na vido do crente. 2.ed.Rio de Janeiro: CPAD, 2004, p.15-16
AUXILIO BÍBLIOGRÁFICO

DISCIPLINA DA INTEGRIDADE

A conduta ética geral dos cristãos varia muito pouco em comparação com os
não-cristãos, com grandes exceções, é óbvio.

FONTE: Lições Bíblicas. A busca do caráter Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
Tristemente, os cristãos são quase idênticos aos não-
cristãos: Falsificam sua declaração de imposto de renda;

Cometem plágio/colam;

Copiam programas de computador ilegalmente;

Roubam tempo;

Dizem aos outros o que estes gostariam de ouvir;

Obedecem apenas as leis que lhes interessam, seletivamente.

FONTE: Lições Bíblicas. A busca do caráter Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
A culpa popular recai no subjetivismo e no relativismo moral de nossos dias. Mas a razão
principal para a crise de integridade é que nós, humanos, somos fundamentalmente
desonestos, mentirosos congênitos (Rm 3.13).

Ninguém teve de nos instruir na desonestidade. Mesmo depois de regenerados, se não nos
disciplinarmos sob o domínio de Cristo, voltaremos a enganar, da mesma maneira como o
pato volta para a água”.

FONTE: Lições Bíblicas. A busca do caráter Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
FONTE: Lições Bíblicas. Salvação e Justificação, os Pilares da vida Cristã. RJ: CPAD, 2006
O ESPÍRITO... CONTRA A CARNE.
O conflito espiritual interiormente no crente envolve a totalidade da sua pessoa. Este conflito resulta ou
numa completa submissão às más inclinações da "carne", o que significa voltar ao domínio do pecado;
ou numa plena submissão à vontade do ESPÍRITO SANTO, continuando o crente sob o senhorio de CRISTO
(v. 16; Rm 8.4-14).

O campo de batalha está no próprio cristão, e o conflito continuará por toda a vida terrena, visto que o
crente por fim reinará com CRISTO (Rm 7.7-25; 2 Tm 2.12; Ap 12.11; ver Ef 6.11).

5.21 NÃO HERDARÃO O REINO DE DEUS


Embora Paulo afirme que é impossível herdar o reino de DEUS mediante a prática das obras da lei (2.16;
5.4), ensina também que a pessoa pode excluir-se do reino de DEUS envolvendo-se com práticas
pecaminosas (ver 1 Co 6.9 nota; cf. Mt 25.41-46; Ef 5.7-11).

FONTE: Lições Bíblicas. A pessoa e a Obra do Espírito Santo. Rio de Janeiro: CPAD, 2
3.1 vivendo segundo a carne

Se o crente vive dominado pelos desejos carnais, ele não pode agradar a Deus (Rm
8.8).

Fomos criados para glorificar a Deus e produzir o fruto do Espírito. Viver segundo a
carne causa males e danos à nossa vida e para o nosso próximo.

FONTE: Lições Bíblicas. 3. As Obras da Carne. Rio de Janeiro: CPAD, 2017


A NATUREZA HUMANA CAÍDA

“Carne” diz respeito ao mundo, à natureza humana caída


e escrava de tudo que se opõe ao Espírito (Gl 5.16-25).

A carne isola o homem de tudo o que é espiritual (Rm 8.8) e


engloba todas as formas de arrogância. Sempre que o “eu”
aparece em oposição a Deus, ali está a carne.

João esclarece-nos: a concupiscência da carne, a


concupiscência dos olhos e a soberba da vida são opostas a
Deus (1 Jo 2.15-17).

FONTE: Lições Bíblicas. Salvação e Justificação, os Pilares da vida Cristã. RJ: CPAD, 2006
“Enchei- vos do espirito” - Ef 5.18

"Enchei-vos" (imperativo passivo presente) tem o significado, em grego, de "ser enchido repetidas
vezes". A vida espiritual do filho de DEUS deve experimentar a renovação constante (3.14-19;
4.22-24; Rm 12.2), mediante enchimentos repetidos do ESPÍRITO SANTO.

O cristão deve ser batizado no ESPÍRITO SANTO após a conversão (ver At 1.5; 2.4), mas também deve
renovar-se no Espírito repetidas vezes, para adoração a DEUS, serviço e testemunho (ver At 4.31-
33).

Experimentamos enchimentos repetidos do ESPÍRITO SANTO quando mantemos uma fé viva em


JESUS CRISTO (Gl 3.5), estamos repletos da Palavra de DEUS (Cl 3.16), oramos, damos graças e
cantamos ao Senhor (1 Co 14.15; Ef 5.19,20), servimos ao próximo (Ef 5.21 ) e fazemos aquilo que o
ESPÍRITO SANTO quer (Rm 8.1-14; Gl 5.16ss.; Ef 4.30; 1 Ts 5.19).
FONTE: Lições Bíblicas. A pessoa e a Obra do Espírito Santo. Rio de Janeiro: CPAD, 2
Alguns resultados de ser cheio do ESPÍRITO SANTO são:

Falar com alegria a DEUS, em


salmos, hinos e cânticos
espirituais
Alguns
resultados de
ser cheio do Dar graças

ESPÍRITO
SANTO são: Sujeitai-nos uns aos outros

FONTE: Lições Bíblicas. A pessoa e a Obra do Espírito Santo. Rio de Janeiro: CPAD, 2
Orar em línguas é o melhor que o crente pode
fazer para se manter cheio do ESPÍRITO
SANTO
Orando no ESPÍRITO SANTO para ser edificado (Jd vv 20; Ef 6.18)

 1Co 14.4 O que fala língua estranha edifica-se a si mesmo

Na vida pessoal de Paulo, falar com Deus em línguas é um meio importante de


adoração e de crescimento espiritual (vv. 14-19)

FONTE: Lições Bíblicas. A pessoa e a Obra do Espírito Santo. Rio de Janeiro: CPAD, 2
ORANDO... NO ESPÍRITO.
A guerra do cristão contra as forças espirituais de Satanás
exige dedicação a oração, orando "no Espírito", "em todo
tempo", "com toda oração e súplica", "por todos os
santos", "com toda perseverança".

A oração não deve ser considerada apenas mais uma


arma, mas parte do conflito propriamente dito, onde a
vitória é alcançada, mediante a cooperação com o próprio
Deus.

Deixar de orar diligentemente, sob todas as formas de


oração, em todas as situações, é render-se ao inimigo e
deixar de lutar (Lc 18.1; Rm 12.12; Fp 4.6; Cl 4.2; 1 Ts
5.17).

FONTE: Lições Bíblicas. A pessoa e a Obra do Espírito Santo. Rio de Janeiro: CPAD, 2
3.2 vivendo como espinheiro
Sabemos que a árvore é identificada não por suas flores ou folhas, mas por seus frutos. Jamais
vamos colher laranja de uma macieira, pois cada árvore produz o seu fruto segundo sua espécie (Gn
1.11).

Logo, é impossível um cristão dominado pelo Espírito Santo produzir as obras da carne. O homem
bom tira de seu íntimo, do seu coração transformado, coisas boas, mas o homem mau tira do seu
mau coração pelejas, dissensões, prostituição, iras, etc. (Mt 7.18-22).

Jotão apresenta algumas árvores em uma parábola para o seu povo (Jz 9.7-21).

Quem vive segundo a carne se torna um espinheiro,


inútil para Deus e para a Igreja.

FONTE: Lições Bíblicas. 3. As Obras da Carne. Rio de Janeiro: CPAD, 2017


Nós somos destinados a produzir fruto (jo 15.16)

Muitos ainda não entenderam porque foram escolhidos dentre tantos, estão a assistir aos cultos
e esperar o tempo passar, mas JESUS nos escolheu para que produzamos frutos de
arrependimento, fruto espiritual na mudança de nosso caráter e frutos que são almas para o
reino de DEUS.

Rm 6 - Assim andemos nós também em novidade de vida.

Rm 7.6 - Para servirmos em novidade de espírito, e não na velhice da letra.

Pv 11.30 - O fruto do justo é árvore de vida; e o que ganha almas sábio é.

FONTE: Lições Bíblicas. A pessoa e a Obra do Espírito Santo. Rio de Janeiro: CPAD, 2
O fruto do Espírito faz aparecer na vida do crente com
progressiva nitidez a imagem de CRISTO.
2 Co 3.18-Mas todos nós, com cara descoberta, refletindo,
como um espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória,
na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.

REFLETINDO... A GLÓRIA DO SENHOR.

Significa experimentar a sua presença, o seu amor, a sua justiça e o seu poder através da oração e do
ESPÍRITO SANTO, quando permanecermos nEle e na sua Palavra. Isto resulta em sermos transformados à
sua semelhança (4.6; cf. Cl 1.15; Hb 1.3). Na presente era, essa transformação é progressiva e parcial.
Quando, porém, CRISTO voltar, nós o contemplaremos face a face, e a nossa transformação será completa (1
Jo 3.2; Ap 22.4).

Quanto mais nos chegamos para CRISTO mais somos transformados e mais de sua
personalidade vamos recebendo em nós mesmos.

FONTE: Lições Bíblicas. A pessoa e a Obra do Espírito Santo. Rio de Janeiro: CPAD, 2
3.3 Uma vida infrutífera
 Certa vez, Jesus contou uma parábola a respeito de uma árvore estéril, uma figueira (Lc
13.6-9).

A figueira sem frutos refere-se primeiramente a Israel, porém ela também pode ser
aplicada aos crentes que professam a Jesus e, no entanto, insistem em viver uma vida
carnal, pecaminosa.

Na parábola, o agricultor investe na figueira,


adubando, regando, podando, ou seja, dando todas
as condições para que produza fruto. Mas caso ela
não viesse a frutificar seria cortada.

FONTE: Lições Bíblicas. 3. As Obras da Carne. Rio de Janeiro: CPAD, 2017


”Nunca mais nasça fruto em ti”. E a figueira secou imediatamente (Mt 21.19 e Mc 11.12-14). Foi como aquela geração dos
judeus de seu tempo, que não produziu os frutos que Deus queria e foi destruída.

Quando os discípulos pediram um sinal da vinda de Jesus e do fim do mundo, Ele disse: “Aprendei pois esta parábola da
figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está perto o verão” (Mt 24.3 e 32).

A figueira foi castigada com a destruição de Jerusalém no ano 70 d.C. pelo exército romano. Os judeus foram dispersos e
ficaram sem Pátria durante quase dois mil anos. Ultimamente a figueira está reverdecendo. Em 1948 foi proclamado o Estado
de Israel, e na guerra dos seis dias, em junho de 1967, o povo judeu reconquistou o território que formava a Palestina nos dias
de Jesus Cristo. Dali para cá o progresso vai avançando a passos largos. Segundo a profecia de Jesus, “o verão está próximo”
(Mt24.32b).

“…Como a videira entre as árvores do bosque, que tenho entregado ao fogo para que seja consumida, assim entregarei os
habitantes de Jerusalém” (Ez 15.6b). Cumpriu-se de um modo mais detalhado, espiritualmente, em Atos 13.46b “…Era mister
que a vós se vos pregasse primeiro a palavra de Deus; mas, visto que a rejeitais, e vos não julgais dignos da vida eterna, eis
que nos voltamos para os gentios”. Todavia a promessa feita a Abraão de abençoar sua descendência permanece no plano de
Deus. Na mesma figura da videira (Ez 17.1-10,22-24), referindo-se a Israel, Deus acrescenta a figura do cedro, que representa
majestade, prometendo fazer reverdecer a árvore seca.

Fonte: https://magnusnascimento.wordpress.com/2013/02/09/tres-arvores-que-simbolizam-israel/
Israel era a vinha do Senhor (Sl 80.8-16; Is 5.1-7; Jr 8.13b; Mt 21.33-39). Deus a plantou. Deus a cercou de
cuidados, mas Israel produziu uvas bravas. Então, agora, Jesus diz: “Eu sou a Videira verdadeira e meu Pai é o
agricultor. Eu sou a videira e vós os ramos.”

O Viticultor é o que planta a vinha, ele é o dono da vinha, ele é o que cuida da vinha para que ela produza
grande quantidade e com excelente qualidade.

Portanto eu vos digo que o reino de Deus vos será tirado, e será dado a uma nação que dê os seus frutos”
(Mt21.40b,41b,43). A igreja é esta “nação santa” (1 Pe 2.9).

Qual é a importância de se produzir frutos? Jesus diz: “Eu vos escolhi a vós outros, e vos designei para que
vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça” (Jo 15:16).

Os ramos só têm duas finalidades: eles só servem para


produzir fruto ou para serem queimados. Deus, como
viticultor espera frutos de nós (Jo 15.2,5,6).

Tratamento divino aos infrutíferos:


Lc 13.7; Mt 3.10; Tg 2.14-26; Mt 25.30
Fonte: http://hernandesdiaslopes.com.br/portal/o-processo-da-frutificacao/
Os que andam “segundo o Espirito”
numa vida frutífera
De acordo com o original, “inclinar-se” indica a ação total da personalidade
humana (razão, vontade e sentimento) em sujeição à carne ou ao Espírito (Rm
8.5-7).

“Inclinar-se para as coisas do Espírito” é muito mais do que uma mera


disposição mental. Trata-se de dispor a razão, a vontade e os sentimentos ao
domínio do Espírito.

Aquele que se inclina para o Espírito prioriza, acima de tudo, o seu relacionamento com Deus (Mt
6.33). Além de ter consciência do pecado, foge dele (Hb 12.1). Por fim, reconhece sua fraqueza e
busca o auxílio do Espírito Santo (Jo 16.13; Rm 8.26,27).

FONTE: Lições Bíblicas. Salvação e Justificação, os Pilares da vida Cristã. RJ: CPAD, 2006
O que agrada a Deus não é o que o homem faz, mas, sim, o que o Espírito Santo faz no
homem. Desse modo, podemos dizer que os que estão na carne não têm nada para chamar
a atenção de Deus, visto que o Espírito de Deus ainda não trabalhou em seu ser.

Deus sempre se agradou do seu Filho, porque o Espírito


Santo estava nEle, e Ele procurava fazer sempre aquilo que
agradava o Pai (Mt 3.17; Lc 4.18). E aquele que me enviou
está comigo; o Pai não me tem deixado só, porque eu faço
sempre o que lhe agrada. (Jo 8.29).

FONTE: GOMES, Osiel. As obras da carne e o fruto do Espírito. Rio de Janeiro: CPAD, 2016
O fruto do espirito santo
O fruto do ESPÍRITO é concedido ao crente no instante em que o mesmo aceita a CRISTO como
Salvador e Senhor, cabendo ao mesmo desenvolvê-lo em sua vida, sabendo que quanto mais
se lê a Bíblia e quanto mais se ora a DEUS, mais da personalidade de CRISTO se recebe em
nosso ser.

É através da comunhão com o ESPÍRITO SANTO que somos transformados pelo amor de
DEUS derramado em nossos corações.
FONTE: Lições Bíblicas. A pessoa e a Obra do Espírito Santo. Rio de Janeiro: CPAD, 2
Produzindo Frutos Diferentes Mateus 7.17-20

Para se produzir fruto diferente é preciso que haja um tratamento, Jesus disse que a
árvore que dá bom fruto deve ser bem tratada. Uma árvore má, no caso de uma videira
que não é bem tratada, poderá dar frutos de péssima qualidade, como, por exemplo, uvas
azedas demais.

Isso que aconteceu com Israel, Deus investiu grandemente nesse povo, esperando que
desse uvas boas, mas, infelizmente, deu uvas bravas e inferiores (Is 5.1-4).

FONTE: GOMES, Osiel. As obras da carne e o fruto do Espírito. Rio de Janeiro: CPAD, 2016
LIÇÕES ESPIRITUAIS DO CONCEITO DE FRUTO

A primeira citação bíblica do termo fruto está em Gn 1.11, onde vamos extrair uma
lição para a nossa vida espiritual.

“E disse DEUS: Produza a terra erva verde, erva que dê


semente, árvore frutífera que dê fruto segundo a sua
espécie, cuja semente esteja nela sobre a terra. E assim
foi.”

FONTE: Lições Bíblicas. A pessoa e a Obra do Espírito Santo. Rio de Janeiro: CPAD, 2
...
Cada semente produz de acordo com sua espécie. "dê fruto segundo a sua espécie" Mt 7.17
Assim, toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus.

Tudo primeiro é formado no reino espiritual para depois aparecer aqui, no reino material.
Hb 11.3 o visível não foi feito daquilo que se vê.

Todas as coisas e criaturas forma feitas da Palavra de DEUS. "E assim foi.” Hb 11.3 os
mundos foram criados pela palavra de DEUS.

Palavra de DEUS é semente plantada. “E disse DEUS" Lc 11.8 "A semente é a palavra de
DEUS".

Depende do solo para que a semente frutifique. "sobre a terra" Lc 8.15 "Mas a que caiu em
boa terra são os que, ouvindo a palavra com coração reto e bom, a retêm e dão fruto com
perseverança".

FONTE: Lições Bíblicas. A pessoa e a Obra do Espírito Santo. Rio de Janeiro: CPAD, 2
SUBSÍDIO BÍBLICO - TEOLÓGICO

“Era um costume na Palestina antiga, assim como hoje, plantar figueiras e outras árvores nas
vinhas. Era um meio de utilizar cada pedaço disponível de boa terra.

A figueira aqui, como em todo o simbolismo bíblico, refere-se a Israel. [...] E foi procurar neta
fruto, não o achando. Embora a figueira estivesse na vinha, ela não tinha outro propósito a não ser
dar fruto.

Da mesma forma. Israel só tinha uma razão para ocupar o primeiro ou qualquer outro lugar:
cumprir a missão que lhe fora dada por Deus. Visto que a figueira era infrutífera, não teria o
direito de existir; e visto que Israel se recusava a cumprir sua missão determinada por Deus, não
tinha o direito de continuar”

FONTE: Lições Bíblicas. 3. As Obras da Carne. Rio de Janeiro: CPAD, 2017


Quando uma pessoa aceita a Cristo como Salvador de sua alma, experimenta,
imediatamente, uma profunda modificação em seu interior. Essa mudança é
demonstrada não apenas nos relacionamentos, mas também nas escolhas,
atitudes e responsabilidades assumidas durante a sua nova vida (Cl 3.1-17).

FONTE: Lições Bíblicas. A busca do caráter Cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
Aos que nasceram de novo o Espírito trabalha fazendo suas exigências, dizendo para se
separarem daqueles que são injustos (2Co 6.17,18), dos que ensinam falsas doutrinas (2Tm
2.21; 2 Jo 9.10), mas a nota forte soa para a natureza pecaminosa (Rm 6.11,12; 2 Co 7.1;
1Ts 4.3,7).

O cristão tem que procurar ser diferente, pois já foi separado por Deus para viver uma
nova vida em Cristo.

A santificação é um processo em nossa vida que acontecer diariamente, até o dia em que
Jesus se manifestar (Fp 1.6), e os que procedem segundo ela logo irão contemplar a Jesus e
ser como Ele é (l Jo 3.2).

FONTE: GOMES, Osiel. As obras da carne e o fruto do Espírito. Rio de Janeiro: CPAD, 2016
Curta e Compartilhe!
Créditos
Presidente: Pr. João Ceno Ohlweiler
Vice-Presidente / Autor do Projeto: Pr. Roberto Ohlweiler
Apresentador: Pr. Adriano Sebben

Pesquisa, layout e preparação dos subsídios: Carla Pedroso


Artes dos Slides tópicos: Estevão Castani

Televisão/Internet: RCR TV – ADCRICIÚMA


SC
Diretor: Ev.Tiago Albertini
Diretor de Imagem: Kennedy Sandri / Ezequiel Fidelis
Edição: Jessé Filipe Dias
Cinegrafia: Pb. Adriano Fidelis

Похожие интересы