Вы находитесь на странице: 1из 13

Marta Silva Campos

Solange Maria Teixeira

Gênero, família e proteção social: as


desigualdades fomentadas pela política social
A proposta familista
 A proposta familista reside na afirmação da
tradição secular que existem dois canais
naturais para satisfação das necessidades
dos indivíduos: a família e o mercado.
 Somente quando esses falham é que
interferência pública deve acontecer e, de
maneira transitória. Então a ideia que vem
embutida no campo da incorporação da
família na política social é a ideia de falência
da família.
A proposta familista

 Ou seja, a política pública acontece


prioritariamente, de forma compensatória e
temporária.
 O fracasso das famílias é entendido como
resultado da incapacidade de gerirem e
otimizarem seus recursos...
A proposta familista
A proposta familista
 Desenvolvimento capitalista FAMILIA responsável
pelos problemas e conflitos na esfera da produção
 Desemprego, passou a ser tratado como “caso.”, ou,
“problemas de família”.
 Segundo IBGE o desemprego atinge 13,7 milhões de
brasileiros (primeiro trimestre de 2018)
 Concepção que se revitaliza no bojo do ideário
neoliberal.
A proposta familista
 Regressão da participação do Estado Social
na provisão de bem-estar.
 Focalização das políticas públicas nos
seguimentos mais pauperizados da população
 Aposta na organização sociedade civil como
provedora.
 Nessa configuração a família é chamada a
reincorporar os riscos sociais e com isso
assiste-se um retrocesso em termos de
cidadania social.
Desfamiliarização
 Distribuição “bimodal” dos regimes de bem-
estar social, com um dos extremos
representado pelos países do norte da
Europa, com o maior grau de
“desfamiliarização”.
Desfamiliarização
 Esta é entendida como coletivização das
necessidades das famílias, ou seja, num patamar
amplo de cidadania, mais responsabilidade do
conjunto da sociedade sobre o bem-estar e a
satisfação das necessidades de todos os seus
membros, expressa em maior porcentagem de
gasto social – especialmente estatal, leia-se em
serviços domiciliares, cobertura de creches e
ajuda aos idosos.
Desfamiliarização
 “Desfamiliarização, significa o abrandamento
da responsabilidade familiar em relação a
provisão de bem estar social.
 Parte da ideia que as demandas são
expressões de necessidades, decorrentes
especialmente da desigualdade social própria
da organização capitalista,

 Não podem ser mais tomados como


problemas de família.
Desfamiliarização
 Desfamiliarização - políticas e serviços que
socializam os custos da família, minimizam a
dependência do indivíduo, em particular da
mulher, em relação à família e ao mercado.
No polo oposto, ao contrário, os regimes
“familistas” já mencionados, devem
submeter-se à baixa qualidade dos serviços
dirigidos às famílias e cobertos pelo Estado
Desfamiliarização
Desfamiliarização
Desfamiliarização

 Condiciona a proteção social, exercida pela


família, ao acesso à renda e ao usufruto de
bens e serviços de caráter universal e de
qualidade