You are on page 1of 17

OS

LUSÍADAS
RESUMO DA OBRA
• Considerado o maior poema épico da
língua portuguesa, foi publicado em
1572, com o apoio do Rei D.
Sebastião.
• O poema conta histórias sobre as
perigosas viagens marítimas e a
descoberta de novas terras, povos e
culturas, exaltando o heroísmo do
RESUMO DA OBRA
• Além de narrar o caminho para a
descoberta das índias, a epopeia
fala sobre as grandes navegações, o
império português no Oriente, os
reis e heróis de Portugal, dentre
outros fatos que o tornam um poema
histórico, enciclopédico.
• Em paralelo, desenvolve-se
ESTRUTURA ESTÉTICA
• “Os Lusíadas” é uma epopeia do
escritor português Luís Vaz de
Camões, que tem como assunto a
viagem de Vasco da Gama às Índias.
A Narrativa é dividida em dez
CANTO I
As armas e os barões assinalados E também as memórias gloriosas
que da ocidental praia lusitana daqueles reis que foram dilatando
A fé, o império, e as terras viciosas
Por mares nunca de antes navegados de áfrica e de ásia andaram devastando,
passaram ainda além da taprobana, E aqueles que por obras valerosas
em perigos e guerras esforçados se vão da lei da morte libertando,
mais do que prometia a força humana, cantando espalharei por toda parte,
E entre gente remota edificaram se a tanto me ajudar o engenho e arte.
novo reino, que tanto sublimaram;
ESTRUTURA ESTÉTICA
• A narrativa começa in medias res (ou seja
parte do meio da ação para então voltar a
narrar para trás), no meio da viagem de
Vasco da Gama. A história de Portugal é
contada cronologicamente por Vasco da
Gama ao rei de Melinde. A viagem à Índia
é metonímia de todas as navegações
portuguesas.
• A construção do poema em si é
extremamente bem delineada e repetitiva.
O herói guerreiro é protegido por
determinados deuses e perseguido por
CARACTERISTICAS DE PRODUÇÃO
• Como foi típico do Renascentismo, o
poema não poderia deixar a
característica antropocentrista de
exaltação do homem e de suas
faculdades mentais, psicológicas,
etc. Em plena expansão marítima de
CARACTERISTICAS DE
PRODUÇÃO
• Em Os Lusíadas podemos encontrar
ideais renascentistas,
imperialistas e nacionalistas,
cristãos e pagãos, épicos e
líricos, ufanistas e críticos,
clássicos e barrocos. Com esta
quantidade de contrapontos que se
DIVISÃO DO ENREDO
• Quanto à história, o
enredo é dividido em cinco partes,
como manda a tradição clássica a
uma epopeia. São elas:
• Proposição
• Invocação das Tágides
• Dedicatória ao Rei D. Sebastião
EPISÓDIOS
PRINCIPAIS
Inês de Castro (Canto
III)
Passada esta tão próspera vitória,
Tornado Afonso à Lusitana Terra,
A se lograr da paz com tanta glória
Quanta soube ganhar na dura guerra,
O caso triste e dino da memória,
Que do sepulcro os homens desenterra,
Aconteceu da mísera e mesquinha
Que despois de ser morta foi Rainha.
(Canto III, 118)
O velho de Restelo
(Canto IV)
Converte-se-me a carne em terra dura;
Em penedos os ossos se fizeram;
Estes membros que vês e esta figura
Por estas longas águas se estenderam;
Enfim, minha grandíssima estatura
Neste remoto Cabo converteram
Os Deuses; e, por mais dobradas mágoas,
Me anda Tétis cercando destas águas.
(Canto V, 59)
Ilha dos Amores (canto IX,
estrofes 68 a 95)
Oh, que famintos beijos na floresta,
E que mimoso choro que soava!
Que afagos tão suaves! Que ira honesta,
Que em risinhos alegres se tornava!
O que mais passam na manhã e na sesta,
Que Vénus com prazeres inflamava,
Milhor é exprimentá-lo que julgá-lo;
Mas julgue-o quem não pode exprimentá-lo.
(Canto IX, 83)