Вы находитесь на странице: 1из 24

A construção de imagem e sons na

paisagem urbana: o bumba meu boi na


região metropolitana do Maranhão
Orientandos: André Lucas, Alzivan Lisboa, Marlon Roberth,
Mikaelly Ferreira e Washinton Luís
Orientador: José Arilson Xavier
Introdução
Este trabalho discute algumas mudanças que vêm ocorrendo na
paisagem de São Luís por causa do evento do Bumba-meu-boi ocasionado,
entre outros fatores, pelo crescimento do turismo cultural na região
metropolitana. Trata-se de um estudo de pesquisa, realizado a partir de
observação participante, entrevistas e questionários , que busca apresentar
e refletir sobre as mudanças na paisagem.

A observação pessoalmente realizada como modo de operação foi


decisiva, além de ter uma visão privilegiada do estudo do caso por fazer
parte dela e impor técnicas e métodos para realizá-la a pesquisa
• O Bumba-Meu-Boi é a festa mais marcante da cultura popular da região
maranhense. Em homenagem ao protetor do São João, a festa acontece
principalmente entre os meses de junho e julho.

• A tradição surgiu no século XVIII e ainda hoje envolve a população de São


Luís que, durante as festividades, ocupa todas as partes da cidade, da
periferia aos shoppings. Grupos de todo o estado se reúnem, dançando e
cantando noite adentro.

• O enredo do Bumba-meu-boi conta a história de Pai Francisco, um


escravo que, para saciar o desejo de sua esposa grávida por uma língua
de boi, mata o gado de estimação do senhor da fazenda. Percebendo a
morte do boi, o senhor convoca pajés e curandeiras para ressuscitar o
animal. O boi volta à vida e a comunidade festeja. A lenda, dessa
maneira, está associada ao conceito de milagre do catolicismo ao trazer
de volta o animal.
• O Festejo se divide em quatro etapas. Ainda na preparação começa o
primeiro estágio e os ensaios e eles se iniciam no sábado de aleluia e
terminam dia 13 de junho.

• A segunda fase é o batismo, quando o boi recebe todas as bênçãos do


padroeiro da festa. A celebração com brincadeiras em arraiais durante
todo o período de festa junina é a terceira etapa. A quarta e última etapa é
a morte do boi

• Na noite de São Pedro, do dia 28 ao 29. Pra quem é forte e festeiro, tem
Boi até o dia 30, quando acontece o Encontro dos Batalhões de Bumba
Meu Boi, na Avenida São Marçal.
Os cinco sotaques mais famosos

Matraca
• Vindo de São Luís, tem como principal instrumento a matraca, dois
pedaços de madeira que são batidos um no outro, e o pandeiro
rústico, feito de couro de cabra. O sotaque de Matraca tem um ritmo
bem acelerado, embalado por dezenas de matraqueiros.
ZABUMBA
• Forte na região de Guimarães e arredores, tem como puxadores o
ritmo africano das zabumbas, tambores bem grandes socados por
uma maceta. Pandeirinhos e matracas também participam, mas
somente como complementos O figurino é bem rico. Os brincantes
usam roupas aveludadas, saias amplas bordadas e chapéus cheios
de fitas que quase cobrem seu rosto.
ORQUESTRA
• Tem origem na região de Munim, seu ritmo é festivo e de muita alegria.
Seu destaque é uma banda com instrumentos de sopro e corda. Os
participantes também têm trajes de veludo com ricos bordados e
miçangas e dançam ao som de saxofones, banjos e clarinetas.
BAIXADA
• Tem o som mais leve e lento, apesar de também usar pandeiros e
matracas. Na verdade, é o toque ritmado que dá o tom suave. A roupa
vem com penas e bordados em bases de veludo e chapéus suntuosos. O
Cazumba, bicho e homem são personagens características desse
sotaque.
COSTA DE MÃO
• Surgido na região de Cururupu, esse sotaque vem embalado por um ritmo
cadenciado ao som de pandeiros tocados com as costas da mão, caixas e
maracás. As roupas também têm bordados em calças e casacos e seus
chapéus em cogumelo funil são adornados com flores.
Objetivo Geral
• Analisar as modificações paisagísticas da cidade na cultura do bumba
meu boi na região metropolitana no Maranhão
Objetivo Especifico
• Comparar as modificações ocorrentes por meio do boi
• Identificar as dinâmicas socioeconômicas em torno do boi
• Destacar os fixos atuantes no movimento cultural bumba meu boi
Métodos e abordagens na pesquisa

• Segundo Japiassu e Marcondes (1990), a palavra método é do grego


por meta (por, através de) e hodos (caminho).
• Segundo os autores o método “É aquele através do qual se constrói
uma teoria que formula hipóteses a partir das quais os resultados
obtidos podem ser deduzidos, e com base nas quais se podem fazer
previsões que, por sua vez, podem ser confirmadas ou refutadas”.
• O método hipotético- dedutivo tem suas raízes no pensamento de
René Descartes (1596-1650)
Paisagem

• Santos(2014) É“ o domínio do visível, aquilo que a vista abarca. É


formada não apenas de volumes mas também de cores, movimentos,
odores, sons etc.

• (SAUER, 1963 apud Name) defini a paisagem cultural como “a visão


geográfica da economia de grupo, como se sustenta com comida, abrigo,
mobiliário, ferramentas e transporte”
Paisagem

• Name( 2010) O ponto de vista de onde se observa uma paisagem


(localização) torna-se importante nas análises e se confunde com o
homônimo ponto de vista de quem expressa sua opinião (ideologia).
Paisagem

Acervo do autor 2019


Alternâncias da Paisagem Público e Privado

Praça Nauro Machado Shopping da Ilha

Acervo do autor 2019


Resultados e Discussões

Pergunta 1°
10%

90%

SIM NÃO

Fonte: Elaboração própria


Diferentes lugares, diferentes transformações

2° Pergunta

13%

87%

sim não
Fonte: Elaboração própria
Nova cara da cidade

3° Pergunta

3%

34%

63%

ludovicenses turista ambos

Fonte: Elaboração própria


Mais transformações

4° Pergunta
10%

SIM
90% NÃO

Fonte: Elaboração própria


Mudando as características

5° Pergunta

43%

57%

sim não

Fonte: Elaboração própria


Acervo do autor 2019
Acervo do autor 2019
Resultados e Discussões
Dados de pesquisa realizada em Bacabeira
50

45

40

35

30

25

20

15

10

0
pergunta 1 pergunta 2 pergunta 4 pergunta5
Não sim

Fonte: Elaboração própria


Resultados e Discussões

Dados de pesquisa realizada em Bacabeira

30
25
20
15
10
5
0
Turistas Bacabeirenses Ambos

Fonte: Elaboração própria


Arraial de Bacabeira

Acervo do autora 2019


Referencias
• SPOSITO, Eliseu Savério. Geografia e filosofia: contribuição para o
ensino do pensamento geográfico. São Paulo: UNESP, 2004.

Похожие интересы