Вы находитесь на странице: 1из 8

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA

CENTRO DE TECNOLOGIA
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS
ENGENHARIA BIOQUÍMICA
PROF DR MARCELO MUNIZ

UTILIZAÇÃO DO BIORREATOR AIRLIFT NA


PRÉ-FERMENTAÇÃO DO MOSTO DE UVA

ANNIE EVELYN SOUTO RAPOSO - 11211494


Vantagens do Biorreator Airlift

 Construção simples;
 Manutenção fácil e barata;
 Sem partes mecânicas para limpeza, logo fácil limpeza e esterilização;
 A injeção do gás serve para duas funções, aeração e agitação, eliminando o
gasto adicional de energia para a agitação e promovendo um aumento na
capacidade de transferência de massa e calor;
 O campo de cisalhamento no airlift é homogêneo, o qual é relativamente
constante através do reator. Além do mais, há total direcionalidade do
escoamento do líquido, mesmo que movimentos randômicos possam ser
sobrepostos no mesmo;
A circulação é um
efeito causado pela
diferença de gás
holdup entre o riser
e o downcomer. Por
sua vez, isto cria
uma diferença de
pressão entre a base
do riser e a base do
downcomer a qual
atua como força
motriz para a
circulação do fluido.
Materiais e Métodos

 O biorreator utilizado tem um volume de 6,5 litros e razões entre as áreas das
seções transversais entre o downcomer e o riser de 0,14 e comprimento da
conexão entre o riser e o downcomer de 0,20 m.
 O microrganismo utilizado foi a levedura Saccharomyces cerevisae e o meio
de cultura foi a própria biomassa da uva (mosto), ao qual foi adicionado um
composto pectinolítico enzimático.
 Após inoculação, os testes realizados tiveram duração de 6, 8, 9 e 24 horas,
com coleta de amostras a cada hora para a análise do desenvolvimento dos
microrganismos.
 A fase seguinte da fermentação alcoólica foi em regime anaeróbio com
acompanhamento constante através de análises químicas e físicas do produto
até o total desdobramento dos açúcares.
RESULTADOS

 Verificou-se, ao final do processo, que o uso do biorreator


airlift, diminui o tempo total do desdobramento dos açúcares
em aproximadamente 10 dias e que o produto final apresenta
açúcares residuais com teores menores que os do método
tradicional e com isto provoca uma melhora no fator de
conversão de substrato em álcool.
 Verificou-se também que no término da fermentação é
necessário uma adição mais elevada de anidrido sulfuroso, com
teores próximos aos do limite permitido pela Legislação
Brasileira, para evitar o desenvolvimento da acidez acética, o
que ocorre também em muitos casos com os métodos
tradicionais. A fermentação se manteve com mais atividade até
o final.
CONCLUSÃO

 Conclui-se que o biorreator, tipo airlift de circulação


externa, atende às necessidades microbiológicas das
leveduras, aumentando sua velocidade de crescimento e
pode ser utilizado na indústria vinícola na pré-
fermentação, e posterior incubação dos mostos de vinho
branco e tintos nas fermentações mantidas; em
recipientes fechados, e nos demais tipos de vinhos que se
quer iniciar com colônias de fermentos já desenvolvidas e
em plena atividade.
Bibliografia

 SCARTAZZINI, L. S. UTILIZAÇÃO DO BIORREATOR AIRLIFT NA PRÉ-FERMENTAÇÃO DO MOSTO DE


UVA. Dissertação apresentada à Universidade Federal de Santa Catarina para a obtenção do
título de Mestre em Engenharia Química. Florianópolis,Junho/2001. Disponível em:
<https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/81810/184518.pdf?sequence=1>