Вы находитесь на странице: 1из 31

Seminário Nacional “Revitalização de

Bacias Hidrográficas com Foco em Rios


Urbanos”.
Brasília 6 de março de 2018

Gestão Integrada de Águas Urbanas


Dr. Carlos E. M. Tucci
Rhama Consultoria Ambiental (rhama.com.br) e UFRGS
tucci@rhama.com.br
Impactos da falta de serviços
•Aumento da magnitude das vazões e da
frequência de inundações devido a urbanização
(limitada drenagem);
•Aumento da erosão, sedimentos e resíduos
sólidos (limitados serviços de resíduos e
drenagem);
•Contaminação dos rios e aquíferos urbanos (falta Ciclo de
de tratamento de efluentes); contaminação
•Contaminação de mananciais (sem drenagem,
resíduos e tratamento de efluentes);
•Impactos na Qualidade de vida com doenças e
falta de amenidades e impactos no meio
ambiente (somatório de falta de serviços)

2
Causas
Até 2050 a população mundial crescerá 3
•Desenvolvimento acelerado e
bilhões e a população urbana 3,6 bilhões
desordenado com ocupação de áreas de , chegando a 70 % da população
risco e áreas irregulares;
As cidades tendem a possuir 70% de áreas
•Aumento da áreas impermeáveis, impermeáveis que aumentam 6 vezes a
condutos e canalização; vazão pré-existente, aumentando
inundações na drenagem
•Falta de tratamento de efluentes de
esgoto sanitário, controle dos resíduos e
sedimentos e da qualidade da água na A cobertura de coleta e tratamento de
esgoto é baixa e quando existem são
drenagem; ineficientes
•Gestão fragmentada de um serviço que
deve ser integrado na cidade.
Serviços deficientes sem metas adequadas,
com baixo recuperação de custo e sem
fiscalização

3
•Ocupação irregular •Deterioração do ambiente
Impactos •Resíduos sólidos urbano e da qualidade da
integrados •Esgoto água;
•Inundações;
•Drenagem
•Doenças
•Falta de amenidades
Relações de Impactos na cidade
Contaminação dos rios e
Esgoto sem tratamento aquíferos
Falta de água segura
Doenças
Impermeabilização e Redução da recarga
inundações
canalização subterrânea Contaminação
Impactos econômicos
e sociais
Impactos ambientais
Consequências
Erosão do solo Redução da capacidade dos
sistemas de escoamento

Produção de resíduos
Aumento das áreas
degradadas

Causas Impactos
Cenário Brasileiro
•A lei de Saneamento prevê os quatro serviços: abastecimento, esgoto,
drenagem e resíduos sólidos; A lei de Recursos Hídricos prevê o
enquadramento, mas os dois sistemas não estão integrados
•A realidade é que os serviços de água possuem grande cobertura, mas
os serviços de esgoto possuem muito baixa cobertura que estão
comprometendo os mananciais que hoje usa esgoto não tratado para
misturar com águas dos rios para abastecer as cidades;
•São planejadas duas redes: pluvial e de esgoto e temos duas redes
mistas. A rede de esgoto não coleta e o tratamento quando existe é
muito ineficiente.
•As cidades estão perdendo os mananciais, a demanda de água é
avaliada de forma errada, pois não considera a diluição do esgoto;
•Não existe serviço de drenagem (tinham duas cidades com prestador
de serviço e Porto Alegre fechou um dos prestadores mais antigos do
Qual é a real demanda de água urbana?
Indicadores do SNIS
•Q1=Vazão consumida pela população =
Setor Indicador Valor
0,2 q, onde q é a vazão fornecida para a
Abasteciment Perdas na rede de distribuição (%) 36,7
cidade; somado da o de água
•Q2 = Vazão usada para diluir o esgoto não
Abasteciment Consumo médio por pessoa 162
tratado da parcela 0,8 q, chamado de o de água L/habitante/dia
vazão de subsídio Abasteciment Proporção do volume consumido 80 a 85
•A verdadeira demanda é Q = Q1+Q2 oe que deve ser tratado1 (%)
•Calculando Q2 com base no nível de esgotamento
coleta e tratamento de esgoto é possível sanitário
determinar a vazão de subsídio de uma Esgotamento Cobertura de coleta e tratamento do 40,8
cidade. sanitário total gerado (%)
Esgotamento Nível de redução de DBO do esgoto Desconhecido
Resultado para o bruto
Sanitário Brasilnoconsiderando
tratamento (%)DBO e meta de classe 2
Consumo = 32,4 L/dia/pessoa
Subsídio = 9042 L/dia/pessoa
Total = 9074,4L/dia/pessoa
Q2 = 279 Q1
Indicador de Sustentabilidade Hídrica
Cenários do Brasil
•Ish = Demanda de
água/disponibilidade de água Cenár
ios
Descrição Qs
m3/h
ISHi Redução
1 (%)
•Usando a demanda total Q2 + Q1 e abitan
considerando que a disponibilidade te/dia

necessita de uma bacia hidrográfica A Atual 9,042 200,8


B Aumento de cobertura 2,279 51,1 74,5
com uma determinada área para de saneamento para
atender a demanda total, obteve-se 95% +85% tratamento
•Ish = a relação entre a área C Redução de 10% da 2,050 46,0 77,0
demanda
necessária para atender a cidade na
D Cenário C +Aumento do 1,922 43,4 78,4
sua demanda hídrica pela área de reuso em 5%
ocupação da população. E Cenário D + aumento do 1,40 35,9 84,1
tratamento para 90% da
carga
Resumo

•Tendência a perda dos mananciais urbanos por falta de tratamento de


esgoto e contaminação dos pluviais e resíduos sólidos.
•Problema n.1 é a falta de tratamento de efluentes domésticos e redes
que não funcionam. Serviço sem meta objetiva que é reduzir a carga
dos rios;
•Drenagem urbana produz aumento dos impactos levando ao colapso
devido a urbanização. A área impermeável aumenta a vazão em 700% e
a contaminação da lavagem das ruas e erosão dos rios. Não existem
serviços e nem gestão de controle dos impactos!!!!
•A geração de resíduos que é levado pela drenagem não é nem
conhecida e reduz a capacidade da rede de drenagem e contamina os
mananciais;
•Resultados : serviços muito deficientes sem integração, que não
Gestão Integrada de Águas Urbanas
Planejamento Urbano
•Planejamento Urbano-
drive das mudanças
•Institucional – prestador de
serviço, regulação e
Sódios
recuperação de custo Qualidade de Vida e
Legislação e
•Serviços de Saneamento gestão da Abastecimento Esgoto Conservação
sanitário Ambiental
Básico: Abastecimento, cidade
Drenagem
Esgotamento Sanitário, urbana

Drenagem e Resíduos Saneamento Básico


Sólidos
•Metas: qualidade de vida e
meio ambiente
Sustentabilidade Interrelação entre Serviços
Uso do solo:

Zoneamento do uso Zoneamento Condicionantes de

•Uso do solo: Redução da população do solo: Condições


de Parcelamento,
ambiental: áreas de
preservação e
infra-estrutura de
transporte, água e
zoneamento do solo, conservação, faixas saneamento,
irregular, evitar ocupar áreas de risco e índices de ocupação ribeirinhas e etc drenagem e resíduo
e aproveitamento. sólido,etc
incentivos a sustentabilidade
•Água e Esgoto: proteção dos mananciais,
redução de perdas, alta cobertura de água e Águas servidas

esgoto; Mananciais:
proteção de
Águas Pluviais

•Drenagem: regulação e incentivos a mananciais quanto


a ocupação e
contaminação
Inundações
ribeirinhas:

medidas na fonte, detenções e integração com ocupação de área de


risco

amenidades; Resíduo sólido:


coleta, limpeza
•Sólidos: evitar área degradada, controle dos
Abastecimento:
e na drenagem.
adução,
reservação, Drenagem Urbana:
resíduos na drenagem, reuso tratamento e
distribuição
escoamento na

•Soluções integradas por espaços –


micro e
macrodrenagem de
bacias urbanas
reurbanização. Esgotamento
sanitário: coleta,
tratamento e
disposição.
Histórico dos Países Desenvolvidos
Período Nome Descrição das ações Resultados
até 1970 Higienísta •Abastecimento Seguro •Contaminação dos rios;
•Esgoto sem tratamento •Inundações
•Drenagem com condutos e canais •doenças

1970-1990 Corretivo •Tratamento de esgoto •Novas legislações


•Amortecimento na drenagem •Investimentos em
•Zoneamento nas inundações esgoto
ribeirinhas •Controle da drenagem
1990* - ? Sustentável •Controle da poluição difusa •Prestador de serviço de
•Infiltração drenagem
•Planejamento integrado da cidade •Melhorias urbanas
•Reurbanização •Melhorias ambientais e
•Cerntificação ambiental qualidade de vida

12
Mecanismos usados nos países
desenvolvidos
•Estados Unidos :
a)Clean Water Act dos anos 70 e investimento US$ 300 bilhões nos
anos 70 e 80;
(b) Início da década de 90 EPA cobrava dos municípios os BMPs (Best
Managements practices) para controle da poluição difusa e criação de
prestador de serviço
•Europa
Padrões definidos pela Comunidade Européia para esgoto e depois
para poluição difusa
•Mecanismos privados para a sustentabilidade como certificação de
construções
Medidas na Fonte
Custo de soluções de drenagem integrada

•Planejamento antes do desenvolvimento (reserve de espaço público)


US$ 200 - 400 mil/ km2
•Uso de detenção em áreas desenvolvidas
US$ 2 a 3 mihões/km2
•Controle por Condutos e canais de áreas bem desenvolvidas
US$ 6 a 7 million/km2
Ex. São Paulo gastou US$ 50 milhões/km de canal, Belo Horizonte US$ 25
milhões/km de canal para aumentarem as inundações
Níveis de
Desenvolvimento
•Em nível privado: Green Building,
Low Impact Development são
iniciativas da tendência de
melhoria dos empreendimentos na
origem
•Em nível do Estado: a recuperação
urbana com gestão integrada;
cidade verde com melhorias
distribuídas na cidade
•A inundação deixa de ser um
problema para ser uma
oportunidade para transformar a
cidade.
Recuperação urbana
integrada Transformar os espaços degradados em
espaços para a população

•Primeiro Estágio: recuperação da


infraestrutura: transporte, água e esgoto,
drenagem e resíduos sólidos, reassentamento,
etc;
•Segundo Estágio: Amenidades e ambiental:
aumento de áreas verdes e melhoria
ambiental, educação, recreação e aspectos
culturais
•Terceiro Estágio: Investimentos urbanos com
valoração de propriedades (centros medicos,
shippings & hotéis, etc), emprego e
transformação urbana com recuperação de
custos por impostos
SEUL, Coréia do Sul

•Recuperação do rio Cheonggecheon tributário


do rio Han (62 km2)
•Desde o século 14 a cidade Hanyang na
Dinastia Joeson o rio fazia parte do que é hoje
Seul. Principalmente no século 20 o rio foi
fechado e construído um viaduto com uma
autopista
•En 2001 o candidato a Prefeitura de Seul
Myung Bak Lee prometeu recuperar o rio.
•Quando foi eleito em 2002 desenvolveu os
projetos e as obras em 3 anos por 380 milhões
de dólares.
•O prefeito foi eleito presidente !!
20
Seul e a diferença de
temperatura

23
TERESINA, Brasil
•População da ordem de 800.000;
•Bairro de Lagoas de Norte tem 13
km2 e população de 100.000 pessoas;
•Inicialmente foi identificado que o
problema era a inundação da área
devido a: inundação recente, efeito
importante para parte da população
que usava a área.
•Impactos ambientais e de qualidade
de vida
Inundação de 1995
Flood 2008 Irregular occupation

Solids and pollution


Lack of
infrastructure
Principais características
•Confluência de dois grandes rios Paranaíba
Poty River
com bacia integrada de 300,000 River

km2;
•Dique para proteção de Dike for flood
inundação dos rios e lagoas control
internas;
•Lagoas formadas em função do
efeito dos rios e seus sedimentos;
•Ocupação de baixa renda;
•O prefeito foi eleito com a
promessa de proteger as lagoas
contra outro que prometia
aterrar.
Etapas do projeto (Banco Mundial)

•Etapa 1: controle das cheias, rede de


coleta e tratamento do esgoto; melhoria
de transporte e vias, serviços de lixo, Phase 2
parques, escolas e museu,
reassentamento e melhoria do emprego;
•Etapa 2: aumentar a área de
cobertura, arrranjo institucional e Phase 1
incentivos privados. developed
Soluções integradas
•Controle de cheias e drenagem;
•Esgotamento sanitário;
•Retirada de população de área de risco e reassentamento;
•Parques, vias, transporte, escola, atividades culturais como museos
Implementation of parks, streets and transport of the areas
•Oportunidade de trabalho.
Before

after
After
Outras oportunidades

•Novos investimentos
•A cidade é um centro regional medico e universitário
•Oportunidades turísticas no encontro dos rios e nas
áreas internas;
•Valorização das propriedades
Conclusões
•Este é um processo longo no tempo que necessita de ações
permanentes;
•O arranjo institucional deve convergir para instituições
permanentes e sustentáveis (política e econômica) como
condição necessária para que a estratégia possa ter sucesso;
•Necessita de Funcionários de Estado com Qualificação
técnica como base das instituições;
•Integração é a peça chave para obtenção de resultados
sustentáveis.

Похожие интересы