Вы находитесь на странице: 1из 38

Capacidade do Transporte Coletivo

Dimensionamento de frota

Planejamento e controle operacional

Disciplina: Planejamento e Operações de Transportes Públicos

Ano/semestre letivo: 2019/1

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes


Sumário

• Demanda

• Desempenho operacional dos


• Programação da operação ao longo do dia
veículos
• Estratégias operacionais alternativas
• Movimento entre dois terminais
• Parâmetros quantificadores de operação
• Dimensionamento da oferta
• Capacidade de transporte em um corredor
horária

• Intervalo entre veículos sucessivos

• Capacidade de transporte

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Demanda

2500

 Demanda de passageiros
2000

Demanda (pass/hora)
1500

 Distribuição da demanda ao longo de uma linha 1000

500
 Dependente da variação horária de uma linha
0

 Variação da demanda nas horas de pico 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24


Hora do dia
Bairro - Centro Centro - bairro

Bairro Centro

300 120 100 130 80 100 85 385

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Demanda

 Distribuição da demanda ao longo de uma linha

Fator de renovação (ideia de rotatividade de passageiros na linha)

FR ≈ 1 (viagens têm praticamente mesma origem-destino);

FR > 1 (mais de um polo de atração importante na faixa de influência da linha).

𝑉 𝑉- volume total de passageiros transportados na viagem (pass.);


𝐹𝑅 =
𝑃 𝑃- volume de passageiros na seção crítica da viagem (pass.)
𝐹𝑅 – Fator de renovação
Bairro Centro

300 120 100 130 80 100 85 385

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Desempenho operacional dos veículos
25
a= 0

Velocidade operação (km/h)


20

 Movimento entre duas paradas 15

10

5
Estação P. Parada
0
0 10 20 30 40 50 60 70
Tempo percorrido entre paradas (s)

400

350

300

Distância (m)
250

200

150

100

50

0
0 10 20 30 40 50 60 70
Tempo decorrido entre paradas (s)

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Desempenho operacional dos veículos

 Movimento entre várias paradas

Cidade de Braunschweig, Nylund et al. 2011 Pelkmans et al. 2001

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Desempenho operacional dos veículos

 Movimento entre várias paradas

Cidade de Braunschweig, Nylund et al. 2011


Cidade de Madrid, Grijalva and Martínez 2019

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Desempenho operacional dos veículos

 Tempo de permanência nas paradas


𝑡0 - tempo de abertura e fechamento + tempo de partida (s)
𝑡𝑒 ; 𝑡𝑑 - tempo de embarque e desembarque respectivamente (s)
 Tempo de desembarque/embarque;
𝑛𝑒 ; 𝑛𝑑 - n° de passageiros que embarcam e desembarcam
 Tempo de abertura e fechamento das portas;
𝑡0 - 5 – 15 s.

 Tempo de partida do coletivo. 𝑡𝑒 ; 𝑡𝑑 - 0,5 – 5 s.

 Operação de embarque/desembarque por portas distintas

𝑡 = 𝑡0 + 𝑚𝑎𝑖𝑜𝑟 𝑒𝑛𝑡𝑟𝑒 [ 𝑡𝑑 ∙ 𝑛𝑑 ; 𝑡𝑒 ∙ 𝑛𝑒 ]

 Operação de embarque/desembarque por mesma porta

𝑡 = 𝑡0 + 𝑡𝑑 ∙ 𝑛𝑑 + 𝑡𝑒 ∙ 𝑛𝑒

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Movimentos entre dois terminais
𝐷𝐴𝐵
𝑇𝐴𝐵
𝑇𝐴 𝑇𝐵
𝐷𝐵𝐴 𝑇𝑒 = 𝑇𝐴 +𝑇𝐵
𝑇𝑐𝑖𝑐𝑙𝑜 = 𝑇𝑒 +𝑇𝑣𝑖𝑎
𝑇𝐵𝐴 𝑇𝑣𝑖𝑎 = 𝑇𝐴𝐵 +𝑇𝐵𝐴
𝐷
𝑇𝐴 𝐷 = 𝐷𝐴𝐵 +𝐷𝐵𝐴

𝐷𝐵𝐴
𝑇𝐵𝐴

𝐷𝐴𝐵 𝑇𝐵
𝑇- tempo decorrido total (tempo de ciclo, min. / s)

𝑇𝐴𝐵 𝑇𝑒 ; 𝑇𝑣𝑖𝑎 - tempo na estação e tempo de viagem na via (min. / s)


𝑇
D – distância percorrida entre os terminais num ciclo total (m)

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Movimentos entre dois terminais

 Velocidade operacional (𝑉0 )

 Velocidade média considerando as paradas nos terminais ou

velocidade comercial (𝑉𝐶 )

 Eficiência operacional de uma linha (𝐺𝐸 )

 Índice de eficiência (𝐼𝐼 )


𝐷𝐴𝐵 = 3000 𝑚
𝐷 𝑇𝑣𝑖𝑎
𝑉0 = 𝑇𝐴𝐵 = 15 𝑚𝑖𝑛.
𝑇𝑣𝑖𝑎 𝐺𝐸 =
𝑇𝑐𝑖𝑐𝑙𝑜 5 𝑚𝑖𝑛. = 𝑇𝐴 𝑇𝐵 = 2 min.
𝐷 𝑇𝑒 𝐷𝐵𝐴 = 4000 𝑚
𝑉𝐶 = 𝐼𝐼 =
𝑇𝑐𝑖𝑙𝑐𝑜 𝑇𝑐𝑖𝑐𝑙𝑜
𝑇𝐵𝐴 = 18 𝑚𝑖𝑛.

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Movimentos entre dois terminais

 Índice de eficiência (𝐼𝐼 )

Tempo de Tempo de terminal (min.) Índice de ineficiência (%)


ciclo (min.) Ideal Máximo Ideal Máximo
30 6 10 20 33
40 6 10 15 25
50 7 10 14 20
60 7 12 12 20
75 8 12 11 16
90 10 15 11 16
120 15 20 12 16

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Dimensionamento da oferta horária

 Fluxo de Viagem (viagem/hora) (𝑓); 𝐶𝑣𝑒í𝑐𝑢𝑙𝑜 - capacidade do veículo (pass/carro);


𝑃- volume de passageiros na seção crítica da viagem (pass.);
 Intervalo entre viagens (min./veíc.) (𝐻); 𝑓 – fluxo de viagens (vig./hora);
ℎ – Headway;
 Número de Veículos necessários na frota (F); 𝑇 – Tempo total de ciclo (viagem + terminal);
𝑛 – n° de carros no comboio;
 Número de partidas por período (PP);
FR – fator de renovação;
 Capacidade do comboio (passag./comboio) (𝐶𝑐𝑜𝑚𝑏. ). V – volume total de passageiros transportados por período/sentido.

𝑃 60
𝑓= ℎ=
𝑉 𝐶𝑣𝑒í𝑐𝑢𝑙𝑜 𝑓
𝑃𝑃 =
𝐹𝑅 ∙ 𝐶𝑣𝑒í𝑐.
𝑇𝑐𝑖𝑐𝑙𝑜
𝐹= 𝐶𝑐𝑜𝑚𝑏. = 𝑛 ∙ 𝐶𝑣𝑒í𝑐𝑢𝑙𝑜

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Intervalo entre veículos sucessivos

 Distância de parada (evitar colisões) + distância de segurança


∆𝐸𝑐 = 𝜏𝐹𝑑
m 𝑣 𝑘𝑚ൗℎ 𝑚 ∙ 𝑣²
𝐷1 = v ∙ t = 2,5 ∙ v = 2,5 ∙ = 0,7 ∙ 𝑣 𝑘𝑚ൗℎ = 𝑃 ∙ 𝑓 ∙ 𝐷2 = 𝑚 ∙ 𝑔 ∙ 𝑓 ∙ 𝐷2
s 3,6 2
𝐷𝑠 − 𝑑𝑒 𝑎𝑐𝑜𝑟𝑑𝑜 𝑐𝑜𝑚 𝑟𝑒𝑐𝑜𝑚𝑒𝑛𝑑𝑎çõ𝑒𝑠 2
𝑣ൗ
𝑣² 3,6 𝑣² 𝑘𝑚ൗ
𝐷2 = ou → 𝐷2 = = ℎ
2∙𝑔∙𝑓 2 ∙ 9,81 ∙ 𝑓 255 ∙ 𝑓
𝑉2
𝐷𝑝 = 0,7 ∙ 𝑉 + + 𝐷𝑠
255 ∗ 𝑓 + 𝑖

𝐷𝑝
𝑡𝑝𝑚𝑖𝑛. =
𝑉

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

 Capacidade da linha

𝑝𝑎𝑠𝑠𝑎𝑔𝑒𝑖𝑟𝑜𝑠 𝑉𝑒í𝑐𝑢𝑙𝑜𝑠 𝑃𝑎𝑠𝑠𝑎𝑔𝑒𝑖𝑟𝑜


𝐶 = ∙
ℎ. 𝑠𝑒𝑛𝑡𝑖𝑑𝑜 ℎ𝑜𝑟𝑎 𝑉𝑒í𝑐𝑢𝑙𝑜

𝑝𝑎𝑠𝑠𝑎𝑔𝑒𝑖𝑟𝑜𝑠
𝐶 = 𝑓 ∙ 𝐶𝑣𝑒í𝑐. ∴ 𝐶 = 𝐶𝑣𝑖𝑎 𝑜𝑢 𝑒𝑠𝑡𝑎çã𝑜 ∙ 𝐶𝑣𝑒í𝑐.
ℎ. 𝑠𝑒𝑛𝑡𝑖𝑑𝑜

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

 Headway
Trata-se do tempo entre veículos sucessivos, traseira a traseira ou dianteira a dianteira.

𝑡
ℎ 𝑠ൗ𝑣𝑒í𝑐. =
𝑣𝑒í𝑐𝑢𝑙𝑜𝑠 𝑠𝑢𝑐𝑒𝑠𝑠𝑖𝑣𝑜𝑠

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

 Frequência
Trata-se da quantidade de veículos por hora, sendo relacionável com o headway.

1 1
𝑓= ⋯ ⋯ 𝑓 𝑣𝑒í𝑐.ൗℎ = 3600 ∙
𝑇 ℎ

 Capacidade do veículo
É expressa pela relação entre quantidade de lugares disponíveis e o n° total de veículos

𝑛° 𝑑𝑒 𝑙𝑢𝑔𝑎𝑟𝑒𝑠
𝐶𝑣𝑒í𝑐. =
𝑐𝑎𝑟𝑟𝑜 (𝑣𝑒í𝑐. )

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

 Capacidade da linha
𝑝𝑎𝑠𝑠𝑎𝑔𝑒𝑖𝑟𝑜𝑠 3600 ∙ 𝐶𝑣𝑒í𝑐.
𝐶 = 𝑓𝑚á𝑥 ∙ 𝐶𝑣𝑒í𝑐. ∴ 𝐶 =
ℎ. 𝑠𝑒𝑛𝑡𝑖𝑑𝑜 ℎ𝑚í𝑛.

ℎ𝑚í𝑛. = 𝑚á𝑥(ℎ𝑣𝑖𝑎 𝑚𝑖𝑛. ∴ ℎ𝑒𝑠𝑡𝑎çã𝑜 𝑚𝑖𝑛. )


ℎ𝑣𝑖𝑎 - tempo de deslocamento seguro entre estações
ℎ𝑒𝑠𝑡𝑎çã𝑜 - tempo de parada desaceleração, embarque/desembarque

ℎ𝑒 𝑚𝑖𝑛.1
ℎ𝑒 𝑚𝑖𝑛.3

Estação P. Parada Estação


ℎ𝑣 𝑚𝑖𝑛.1 ℎ𝑣 𝑚𝑖𝑛.2
Bairro ℎ𝑒 𝑚𝑖𝑛.2 Centro

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

 Capacidade da via

3600 ∙ 𝐶𝑣𝑒í𝑐.
𝐶𝑣𝑖𝑎 =
ℎ𝑣𝑖𝑎

𝑉𝑒𝑙𝑜𝑐𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 (𝑚/𝑠)
ℎ𝑣𝑖𝑎

𝑇𝑒𝑚𝑝𝑜 (𝑠)

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

 Capacidade da via

𝑉𝑒𝑙𝑜𝑐𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 (𝑚/𝑠)
𝑉𝑒𝑙𝑜𝑐𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 (𝑚/𝑠)

𝑉 𝑣2 𝑙
ℎ𝑣𝑖𝑎 = 𝑣Ԧ = 𝑐𝑡𝑒
𝑓 ℎ𝑣𝑖𝑎 = +
𝑙 𝑓2 𝑣2

𝑣2 𝑙
ℎ𝑣𝑖𝑎 = + + 𝑡𝑠
𝑓2 𝑣2

𝑣2 𝑙
ℎ𝑣𝑖𝑎 = + + 𝑡𝑠 + 𝑡𝑟
𝑓2 𝑣2
𝑣Ԧ = 0

𝑇𝑒𝑚𝑝𝑜 (𝑠) 𝑇𝑒𝑚𝑝𝑜 (𝑠)


𝑙 𝑙 𝑋0 𝑙
𝑣2 𝑡𝑙 = − tempo devido ao comprimento do veículo 1
𝑡𝑓 = − tempo de desaceleração 𝑣2
𝑓2
𝑋0
𝑡𝑠 = − tempo devido a dist. de segurança
𝑣2
𝑡𝑟 − tempo de reação

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

Capacidade da via
Headway com veíc. 1 parado, V2= V, V1 =0.

𝑉𝑒𝑙𝑜𝑐𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 (𝑚/𝑠)
𝑣Ԧ = 𝑐𝑡𝑒
𝑙

𝑙 + 𝑋0 𝑣2
ℎ𝑣𝑖𝑎 = + 𝑡𝑟 +
𝑣2 𝑓2

𝑇𝑒𝑚𝑝𝑜 (𝑠)
𝑙 𝑋0 𝑙
𝑡𝑓 = − tempo devido ao comprimento do veículo 1
𝑣2
𝑋0
𝑡𝑠 = − tempo devido a dist. de segurança
𝑣2
𝑡𝑟 − tempo de reação

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

Capacidade da via
Headway com veíc. 1 em movimento, V1 = V2= V

𝑉𝑒𝑙𝑜𝑐𝑖𝑑𝑎𝑑𝑒 (𝑚/𝑠)
𝑣Ԧ = 𝑐𝑡𝑒
𝑙 + 𝑋0 1 1 𝑙
ℎ𝑣𝑖𝑎 = + 𝑡𝑟 + 𝑣 −
𝑣 𝑓2 𝑓1

tr= 2,0 s

Xo= 15 m l=12 m

f1 = 1,0 m/s² 𝑇𝑒𝑚𝑝𝑜 (𝑠)


𝑙 𝑋0 𝑙
𝑡𝑓 = − tempo devido ao comprimento do veículo 1
𝑣2
f2 = 0,8 m/s²
𝑋0
𝑡𝑠 = − tempo devido a dist. de segurança
𝑣2
Calcular o headway para V {10, 20, 30 km/h} 𝑡𝑟 − tempo de reação

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

Capacidade da estação 500

400
3600 ∙ 𝐶𝑣𝑒í𝑐.
𝐶𝑒𝑠𝑡𝑎çã𝑜 =

Distância (m)
𝑙 𝑙
ℎ𝑒𝑠𝑡𝑎çã𝑜 300
400
𝑡𝑝 𝑡𝑎1 𝑡𝑓2
350 200
𝑡𝑟
300
ℎ𝑒
Distância (m)

100
250

200 0
0 20 40 60 80 100 120 140
150 Tempo decorrido entre paradas (s)

100 Veículo 1 Veículo 2

50 ℎ𝑒 = 𝑡𝑝 + 𝑡𝑎1 + 𝑡𝑟 + 𝑡𝑓2
0
0 10 20 30 40 50 60 70
ℎ𝑒 = 𝑡𝑝 + 2𝑙/𝑎1 + 𝑡𝑟 + 𝑉/𝑓2
Tempo decorrido entre paradas (s)

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade
500

Capacidade da estação
400

Dados:

Distância (m)
40 𝑙 𝑙
35 300
30 y = 0.2778x + 27.977 𝑡𝑝 𝑡𝑎1 𝑡𝑓2
tp= 20 s R² = 1
Headway (s)

25
200
20 𝑡𝑟
tr = 2,5 s 15
10 ℎ𝑒
100
5

a1 = 0,8 m/s² 0
0 10 20 30 40 0
Velocidade (km/h) 0 20 40 60 80 100 120 140
f2 = 1,0 m/s² Tempo decorrido entre paradas (s)

Veículo 1 Veículo 2
Calcular o headway para V {15, 25, 35 km/h}
ℎ𝑒 = 𝑡𝑝 + 𝑡𝑎1 + 𝑡𝑟 + 𝑡𝑓2

ℎ𝑒 = 𝑡𝑝 + 2𝑙/𝑎1 + 𝑡𝑟 + 𝑉/𝑓2

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

Capacidade do veículo
 Dimensões (largura, comprimento);

 Arranjo interno: sentados, em pé, usuários

de cadeira de rodas e pessoas com mobilidade

reduzida;

• Assentos: 0,3 – 0,5 m²/ lugar

• Em pé: 4 pass/ m² ≈ 0,25 m² /lugar


Mercedes Benz
6 pass/ m² ≈ 0,15 m² /lugar
Brasil
8 pass/ m² ≈ 0,12 m² /lugar

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

Capacidade do veículo

Ford

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

Para um headway teórico mínimo de 60 s para transp. público, qual a capacidade de transporte?

frequência
Veiculo de transporte 𝐶𝑣𝑒í𝑐. (lugar/veíc.) Headway (s) 𝐶𝑙𝑖𝑛ℎ𝑎 (pass/h-s)
(veíc./hora)
Moto na cidade
1,2 2,5
(2 motos por faixa)
Veículo
individualiz Automóvel na cidade (por faixa) 1,2 6
ado Automóvel via expressa 1,2 1,8
Automóvel compartilhado 4,0 6
Microônibus (6/8 m) 20
Padrão 12 m 80
Ônibus
(em pé 6 Padrão 15 m 90
pass/m²)
Articulado (18 m) 130
60
Biarticulado 150
Metrô
(em pé 6
6 carros 900
pass/m²)

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade

Capacidade máxima Sentido Dergo (pass/h-sent.)

headway
Veiculo de transporte 𝐶𝑣𝑒í𝑐. (lugar/veíc.) f 𝐶𝑙𝑖𝑛ℎ𝑎 (lugar/veíc.)
médio (s)
1 faixa exclusiva ônibus
60
articulado
2 Faixas para carro p/
5
sentido
Total

headway
Veiculo de transporte 𝐶𝑣𝑒í𝑐. (lugar/veíc.) f 𝐶𝑙𝑖𝑛ℎ𝑎 (lugar/veíc.)
médio (s)
1 faixa exclusiva ônibus
60
articulado
2 Faixas para carro p/
10
sentido
2 Faixas para ônibus padrão
90
12 m
Total

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Programação da operação ao longo do dia

Definição dos níveis de oferta

Nível 2 (demanda intermediária)


2500

2000
Demanda (pass/hora)

Nível 3 (maior demanda)


1500

1000

500 Nível 1 (menor demanda)

0
6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24
Hora do dia
Bairro - Centro Centro - bairro

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Programação da operação ao longo do dia

Dimensionamento da frota

Se Tc ≤ Tp: 𝑇𝑐𝑖𝑐𝑙𝑜
𝐹𝑝𝑖𝑐𝑜 =
𝐻𝑝𝑖𝑐𝑜

Se Tc > Tp:

𝑇𝑐𝑖𝑐𝑙𝑜 (𝑇𝑐𝑖𝑐𝑙𝑜 − 𝑇𝑝𝑖𝑐𝑜 )


𝐹𝑝𝑖𝑐𝑜 = +
𝐻𝑝𝑖𝑐𝑜 𝐻𝑛𝑜𝑟𝑚𝑎𝑙

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Programação da operação ao longo do dia

Programação das horários

Elaboração do diagrama da programação horária

Ponto de
Garagem

controle

Garagem
Terminal
/ Centro
Terminal
/ Bairro
1
Percurso entre
4:00
terminais te1
10
Tempo parado 2
tida1
no terminal 20
3
30 Tciclo
Percurso entre te2
terminais sem
parada 40
tvolta1
Período de 50
refeições
5:00
Fim das refeições e
descanso, retorno
10
do coletivo
20

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Estratégias operacionais alternativas

Controle dos horários de partida em terminais ou bases de operação

• Fiscal do terminal ou despachante controla a saída dos veículos no horário.

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Estratégias operacionais alternativas

Operações com aproveitamento máximo da frota

• Troca das equipes nos períodos de descanso (tempo mínimo de parada);

Otimização das operações em linhas

• Retorno vazio, sem paradas de alguns carros no sentido de menor movimento, quando a demanda for muito maior

no sentido oposto;

• Pares de veículos operando juntos, com pontos de parada alternados na região de captação da demanda;

• Utilização de linhas expressas em apoio a linhas regulares (principalmente em troncais);

• Utilização de carros apenas nos trechos de linhas mais carregadas.

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Estratégias operacionais alternativas

Otimização das operações em linhas

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Parâmetros quantificadores da operação

Parâmetro PQ (passageiro.km) Índice IPK (pass./km)

𝑉
𝑃𝑄 = ෍ 𝑃𝑖 ∙ 𝑄𝑖 𝐼𝑃𝐾 =
𝑄
𝑖

Parâmetro LQ (lugares.km) Fator de Carga (pass./lug.)

𝑃𝑄
𝐿𝑄 = ෍ 𝐶𝑖 ∙ 𝑄𝑖 𝐹𝐶 =
𝐿𝑄
𝑖

𝑄𝑖 - extensão do segmento i (pass/carro); 𝑉- número total de passageiros transportados (pass)


𝑃𝑖 – volume de passageiros transp. (lotação) no trecho i; 𝑄 – quilometragem total percorrida (km);
𝐶𝑖 - capacidade do veículo i (pass/carro);

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Parâmetros quantificadores da operação

Cálculo do passageiro equivalente (Pass equiv.)

$ 𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 Tipo de passageiro Quantidade Tarifa Custo total (R$)


𝑃𝑒𝑞𝑢𝑖𝑣. = ෍
$𝑏á𝑠𝑖𝑐𝑎 Tarifa cheia 202.829 3,20 649.052,80
𝑖
Meia entrada 78.453 1,60 125.524,80
Integração 25.111 1,60 40.177,60
Gratuidade 58.962 - 0
Tarifa social 48.259 1,60 77.214,4
Total 413.614 891.969,6

$𝑡𝑜𝑡𝑎𝑙 - renda total arrecadada (R$) $𝑏á𝑠𝑖𝑐𝑎 – tarifa básica (R$)

891.969,6
𝑃𝑒𝑞𝑢𝑖𝑣. = ≈ 278.740,5 𝑝𝑎𝑠𝑠𝑎𝑔𝑒𝑖𝑟𝑜𝑠
3,20

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Parâmetros quantificadores
Evolução do superávitda operação
primário, em
Gastos em bilhões de reais % do PIB (FMI, 2018)

Industria da transformação (IBGE, 2019)

Meta inflacionária
Câmbio flutuante

Média entre as cidades de São Paulo, Goiânia, Belo Horizonte, Porto Alegre, Superávit primário positivo
Rio de Janeiro, Curitiba, Fortaleza, Recife e Salvador (NTU, 2019)

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade de transporte em um corredor

Parada de um comboio por vez em todas as parada

De acordo com o HCM (2000), a capacidade (número de comboios que podem passar) em uma faixa de

tráfego é dada pela expressão:

𝑔
3600 ∙ ൗ𝑐
𝐶𝑐𝑜𝑚𝑏𝑜𝑖𝑜 = 𝑔
𝑑 + ൗ𝑐 ∙ 𝑡 + 𝑧 ∙ 𝑣 ∙ 𝑡

𝐶𝑐𝑜𝑚𝑏. - capacidade do comboio (comb./h-sentido);


t – tempo de permanência no local de parada crítico (s, min. – entre 15 – 90 s);
d – tempo entre para-choque traseiro e dianteiro de véic. sucessivos (s, min. – Onib. > 15 s e trens > 60 s);
g/c – relação entre o tempo de verde para a via onde circulamos coletivos e o ciclo crítico do semáforo (g/c = 1, vias segregadas);
v – coeficiente de variação dos tempos de permanência no local de parada crítico (s, min. – normalmente varia entre 0,4 – 0,8);
z – valor estatístico associado à probabilidade de formação de fila no local de parada crítico (variável entre 1,440 – 1,960)

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com


Capacidade de transporte em um corredor

Parada de um comboio por vez em todas as baias

Baias com entradas e saídas independentes Baias dispostas em forma linear (saída dependente)

𝐶𝑡 = 𝑏 ∙ 𝐶𝑏𝑎𝑖𝑎 𝐶𝑡 = 𝑏 ∙ 𝐶𝑏𝑎𝑖𝑎 ∙ 𝑟

𝐶𝑡 - capacidade total
b - número de baias;
𝐶𝑏𝑎𝑖𝑎 - capacidade de uma baia;
r – fator de redução (0,92 para 2 baias, 0,82 para 3 baias, 0,66 para 4 baias e 0,55 para 5 baias)

Prof. Eng. Msc. Igor Amorim Menezes – email: igorabeja@hotmail.com