Вы находитесь на странице: 1из 29

Aula 1 - Introdução 1-1

Algumas reflexões iniciais

Aula 1 - Introdução 1-2


Algumas reflexões iniciais

O que é valor?
a) é o quanto estou disposto a pagar
b) é por quanto consigo vender
c) é o resultado da geração de caixa
d) é o que está na tabela do automóvel do JT

Aula 1 - Introdução 1-3


Algumas reflexões iniciais

Afinal, estamos procurando o valor do que?

Dívida

Ativos

PL

Aula 1 - Introdução 1-4


Algumas reflexões iniciais

Os preços das empresas em bolsa tem algo a ver com o


seu “valor real”, aquele calculado pelos seus
fundamentos?...

… ou são determinados pelas percepções de compradores


e vendedores, e não por coisas tão prosaicas como fluxos
de caixa ou lucros?

Aula 1 - Introdução 1-5


Algumas reflexões iniciais

Percepções importam, mas não são tudo, principalmente


quando se trata de ativos financeiros.

Os preços dos ativos não podem ser justificados apenas


pela “teoria do grande bobo”.

A tarefa de valuation tem, como premissa básica, que os


ativos têm um valor intrínseco, que vai ser percebido,
mais cedo ou mais tarde, pelos agentes do mercado.

Aula 1 - Introdução 1-6


Alguns mitos

Mito 1: Uma vez que as técnicas de valuation são


quantitativas, sempre chegamos a um valor
objetivo do ativo.
Realidade 1.1: Os inputs deixam margem a um grande
grau de subjetividade

Realidade 1.2: Ao utilizar valuations de terceiros, é bom


saber quais são suas “pré-concepções”.

Aula 1 - Introdução 1-7


Alguns mitos

Mito 2: Um bom valuation fornece uma


estimativa precisa para o valor de um ativo.

Realidade 2.1: O valuation será tão bom quanto o forem


os seus inputs. Os inputs normalmente são imprecisos.

Realidade 2.2: O payoff de um valuation é tanto maior


quanto mais impreciso for o valuation (quanto maior o
risco, maior o retorno!)

Aula 1 - Introdução 1-8


Alguns mitos

Mito 3: Quanto mais quantitativo for um modelo,


melhor será o valuation.

Realidade 3.1: O correto entendimento de um modelo de


valuation é inversamente proporcional ao número de
inputs de que o modelo necessita.
Realidade 3.2: Quanto mais quantitativo um modelo for,
mais importante a lição de casa do analista. (a tentação
de deixar o modelo fazer tudo é grande...)

Aula 1 - Introdução 1-9


Modelos de Valuation

Valuation

DCF Múltiplos Opções

Aula 1 - Introdução 1-10


Fluxos de Caixa Descontados

valor da
empresa
hoje
valor
terminal
Fluxo de caixa ou dividendos
da empresa

Definição: O valor da empresa (PL) é o valor presente dos


fluxos futuros de caixa, mais o seu valor terminal.
Pressuposto: este modelo assume que todo ativo tem um
valor intrínseco, que pode ser calculado com base em
seus fundamentos financeiros.
Aula 1 - Introdução 1-11
Fluxos de Caixa Descontados

Inputs

Vida do ativo

Fluxo de DCF Valuation


caixa

Taxa de
desconto

Aula 1 - Introdução 1-12


Fluxos de Caixa Descontados

Vantagens
Menos exposto aos humores do mercado

Se os bons investidores compram negócios, mais do


que ações, o DCF é o approach correto

O DCF força o investidor a pensar nos fundamentos


da empresa. Porque você está pagando x por esta
ação?

Aula 1 - Introdução 1-13


Fluxos de Caixa Descontados

Desvantagens

Necessita de muito mais dados que qualquer outro


método

Estes dados não só são difíceis de serem obtidos, mas


podem ser “manipulados” para se chegar ao resultado
desejado

Não há garantia de que se vá descobrir ativos sub-


avaliados, o que é um problema para aqueles que
investem exclusivamente em ações
Aula 1 - Introdução 1-14
Fluxos de Caixa Descontados

Para que tipos de empresa este approach é melhor?

Empresas com fluxo de dividendos ou de caixa positivos

Empresas cujo fluxo pode ser projetado para o futuro


com certa confiabilidade

Quando alguma medida razoável de risco possa ser


usada como taxa de desconto

Aula 1 - Introdução 1-15


Fluxos de Caixa Descontados

Para que tipos de investidor este approach é melhor?

Para aqueles de longo prazo, que podem dar o tempo


necessário para que o mercado possa corrigir os preços
dos ativos na direção do seu valor “real”

Para aqueles que têm o poder de mover os preços, seja


um grande investidor, seja um potencial comprador do
negócio

Aula 1 - Introdução 1-16


Múltiplos

= =
Definição: O valor de qualquer ativo pode ser
“encontrado” pesquisando-se ativos similares no
mercado
Pressuposto: o valor intrínseco de um ativo é impossível
de ser calculado. O valor, na verdade, é aquilo que o
mercado está disposto a pagar
Aula 1 - Introdução 1-17
Múltiplos

Vantagens

Reflete a percepção do mercado. Isto é uma vantagem


quando se esta fazendo um IPO, ou quando se tem uma
estratégia de investimentos que privilegia o “momentum”

Sempre se encontrará ativos sub-avaliados

Requer muito menos dados

Aula 1 - Introdução 1-18


Múltiplos

Desvantagens

Assume que o mercado está correto no todo, mas erra


nos ativos particulares

Os dados fundamentais que o modelo não usa na


verdade estão lá, calculados pelo “mercado”. Se o
“mercado” estiver errado, tudo o mais estará

Aula 1 - Introdução 1-19


Múltiplos

Para que tipos de empresa este approach é melhor?

Quando há um grande número de ativos passíveis de


comparação

Quando estes ativos são precificados pelo mercado

Quando existem variáveis comuns que podem ser


usadas para padronizar a comparação (ex: vendas)

Aula 1 - Introdução 1-20


Múltiplos

Para que tipos de investidor este approach é melhor?

Para aqueles que têm horizonte de curto prazo

Que são medidos contra um determinado benchmark


(não importa se o mercado está caro ou barato, devo ser
melhor que o mercado)

Para investidores que podem arbitrar mercados

Aula 1 - Introdução 1-21


Opções

Seu preço deriva de um ativo subjacente

Somente tem valor se o preço de


exercício for atingido (call) ou não (put)

Tem um prazo de vencimento

Aula 1 - Introdução 1-22


Opções

Preço de
exercício

put Valor do
call ativo
subjacente

Aula 1 - Introdução 1-23


Opções

Para que tipos de ativos este approach é melhor?

Empresas pré-falimentares (call)

Reservas de recursos naturais (call)

Patentes de um determinado produto (call)

Prêmios de seguros (put)

Aula 1 - Introdução 1-24


Opções

Empresas pré-falimentares

Falência
(ativos < 0)

Ativos da
ação da empresa empresa

Aula 1 - Introdução 1-25


Opções

Reservas de recursos naturais

Preço economicamente
atrativo para extração

preço dos
valor das reservas recursos
no mercado

Aula 1 - Introdução 1-26


Opções

Patentes de um produto

Preço economicamente
atrativo para venda do produto

preço do
valor da patente produto
no mercado

Aula 1 - Introdução 1-27


Opções

Seguros em geral

Sinistro

valor do seguro Valor do


bem
segurado

Aula 1 - Introdução 1-28


Aula 1 - Introdução 1-29

Оценить