Вы находитесь на странице: 1из 7

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI

DIREITO ECONÔMICO
10ª Série

Sistemas Econômicos e
Modelos de Estados

Prof. Paulo Alves da Silva Paiva


papaiva@uninovafapi.edu.br
Ago/2019
1. Sistemas Econômicos

1. Conceito
Forma como determinada sociedade organiza e regulamenta as relações econômicas.

2. Objetivo
Bem estar social (bem comum)

3. Três questões fundamentais


1 - Que produzir
2 - Como produzir
3 - Para quem produzir
1. Sistemas Econômicos

4. Tipos de sistemas Sistema de Tradição

Sistema de Autoridade

Sistema de Autonomia
• Definidas conforme o grau de intervenção estatal na ordem econômica;
• Intervenção mínima no liberalismo clássico (economia de mercado);
• Intervenção máxima no regime socialista
• Intervenção variada nos estados socias ou intervencionistas e nos estados reguladores (dirigismo estatal).

4.1 Sistema de Tradição


- Sistema misto (autoridade e autonomia);
- Predominou na idades Antiga, Média e Moderna;
- Repetição de comportamentos e de padrões de consumo;
- Mudanças lentas;
- Sem prioridade para a atividade econômica e sem inovações tecnológicas;
- Decisões  autoridades não estatais (patriarcas, senhores feudais)
1. Sistemas Econômicos

Sistema de autoridade
- Socialismo;
- Centralização;
- Questões econômicas  Poder Político (Comitê Central/Plano Econômico);
- Dirigismo estatal (Estado determina preços e salários);
- Propriedade coletiva e não privada;
- Sem liberdade individual (livre iniciativa);
- Experiências reais no século XX (URSS, China, Cuba)
- Declínio 1989 (Queda muro Berlim/fim URSS).

Sistema de autonomia
- Capitalismo/liberalismo  sistema de economia de mercado;
- Separação entre os campos político (Estado) e econômico (Mercado);
- Ênfase no espírito hedonista e nas escolhas racionais;
- O bem individual equivale ao bem da coletividade;
- Admite variações para sua sobrevivência (Estado Social)
SOCIALISMO DE MERCADO: sistema de autoridade com práticas do capitalismo (empresas
privadas, exportação) adotado na Iugoslávia (1948/90) e na China (desde 1976).
CAPITALISMO DE ESTADO: sistema de autonomia com forte intervenção estatal.
2. Modelos de Estado

São definidos também pelo grau de intervenção na ordem econômica.

Estado Liberal Estado Social Estado Regulador


Neoliberal

Estado Liberal
 Influenciado por Adam Smith (A Riqueza das Nações - 1776);
 Direitos civis e políticos (direitos negativos  “não-agir”);
 Intervenção mínima na ordem econômica (absenteísmo/ “estado
gendarme”);
 Causas da crise: insatisfação do proletariado (pobreza/miséria e
desigualdade social).
 Principais contribuições:
 Liberdade  comércio, religiosa (tolerância) e de imprensa.
4. Modelos de Estados e Intervenção na Ordem Econômica

Estado Social

 Welfare state ou Estado do Bem-Estar Social;


 Influência de John Keynes;
 Direitos sociais e econômicos (trabalho, previdência,
educação, saúde, igualdade material);
 Forte intervencionismo  salários, moeda, preços, emprego,
moradia, produção, exportação, crédito;

Marcos históricos de sua origem:


 Constituição de Constituição Mexicana (1917)
 Constituição Alemã de Weimar (1919)
4. Modelos de Estados e Intervenção na Ordem Econômica

Estado Regulador ou Neoliberal


 Reação à crise do Estado Social;
 Retorno aos ideais liberais do século XIX;
 Influência de Adam Smith; do FMI e do Banco Mundial;
 Novo papel do Estado, com ênfase na intervenção indireta
(fiscalizar, fomentar e incentivar);
 Bases implantadas pelo Consenso de Washington (1989);
 Principais deliberações:
 (i) disciplina fiscal; (ii) redução de gastos públicos; (iii) abertura
comercial; (iv) reforma tributária; (v) juros e câmbio de
mercado; (vi) investimento estrangeiro direto e sem restrições;
(vii) privatização de estatais; (viii) desregulamentação
econômica e trabalhista.