Вы находитесь на странице: 1из 39

Redes de

computadores

Uma rede de computadores consiste de 2 ou


mais computadores e outros dispositivos
conectados entre si de modo a poderem
compartilhar seus serviços, que podem ser:
dados, impressoras, mensagens (e-mails), etc.

www.professorfabricio.com
Classificação das Redes pela Distância
1m Pessoal PAN
10 m Sala
100m Prédio Redes Locais
1 Km Campus (LAN)
S/Fio (WLAN)
10 Km Cidade Redes Metropolitanas (MAN)
S/Fio (WMAN)
100 Km País Redes de Longa Distância
1000 Km Continente (WAN)
S/Fio (WWAN)
Topologias
 Topologia em barra, em barramento
ou encadeada: um único cabo passa por
todas as máquinas, fazendo a união física
entre elas. É uma topologia barata, porém
lenta e muito perigosa, pois qualquer
problema no cabo ou em uma das
máquinas compromete toda a rede.
 Topologia anel: um único cabo passa
por todas as máquinas, fazendo a união
física entre elas, estabelecendo, inclusive,
conexão entre a última e a primeira. É
uma topologia de médio custo e pouco
perigosa, porém lenta.
 Topologia estrela: cada máquina possui um
cabo que se une aos demais cabos num ponto
central. É uma topologia mais cara, porém
rápida e segura, pois qualquer problema em
uma das máquinas ou em um dos cabos
compromete apenas o respectivo segmento.
No ponto central poderá haver um servidor
com várias placas de rede, unindo toda a rede
ou um aparelho utilizado para esse fim,
chamado HUB ou Switch.
 Topologia malha: Esta topologia é muito
utilizada em várias configurações, pois facilita a
instalação e configuração de dispositivos em
redes mais simples. Todos os nós estão atados a
todos os outros nós, como se estivessem
entrelaçados. Já que são vários os caminhos
possíveis por onde a informação pode fluir da
origem até o destino. Neste tipo de rede, o tempo
de espera é reduzido e eventuais problemas não
interrompem o funcionamento da rede
 Topologia mista ou híbrida: ocorre
quando temos vários tipos de topologias
formando uma única rede.
Meios de transmissão
Cabo Coaxial (BNC)
O cabo coaxial foi um dos primeiros tipos de cabos usados
em rede. Ele possui um fio que transmite os dados, uma
camada de resina, uma malha que funciona como
blindagem contra interferências eletromagnético e envolto
por uma camada de PVC. O cabo coaxial mais utilizado,
chamado cabo coaxial fino ou 10Base2 utiliza em suas
extremidades conectores chamados BNC.
Velocidade: 10Mbps
Padrão: 10base2 (185 Mts) e
10base5 ( 500mts)
Cabo par trançado (UTP/STP)
O par trançado é o tipo de cabo mais usado atualmente. Existem
basicamente dois tipos de cabo par trançado: sem blindagem,
também chamado de UTP (Unshielded Twisted Pair), e com
blindagem, também chamado STP (Shielded Twisted Pair). A
diferença entre eles é justamente a existência de uma malha em
volta do cabo protegendo-o contra interferências eletromagnéticas.
O par trançado mais popular é o sem blindagem. Esse tipo de cabo
utiliza um conector chamado RJ-45. a maioria das redes hoje em dia
utiliza esse sistema de cabeamento.

Velocidades: 10, 100 ou 1000Mbps


Padrão: 10,100 ou 1000baseT

Distância: 100 Mts


Fibra óptica (FDDI)
A grande vantagem da fibra óptica não é nem o fato de ser uma mídia
rápida, mas sim o fato de ela ser totalmente imune a interferências
eletromagnéticas. Na instalação de redes em ambientes com muita
interferência (como em uma indústria, por exemplo), a melhor solução é
a utilização de fibra óptica. A fibra óptica, sob o aspecto construtivo, é
similar ao cabo coaxial sendo que o núcleo e a casca são feitos de sílica
dopada (uma espécie de vidro) ou até mesmo plástico, da espessura de
um fio de cabelo. No núcleo é injetado um sinal de luz proveniente de
um LED ou laser, modulado pelo sinal transmitido, que percorre a fibra
se refletindo na casca.

Velocidades: 100, 1000Mbps, 10Gbps


Padrão: 100baseF ( 2000Mts) ou 1000baseS (550 Mts) ou L (5000mts)...
Conectores: LC, SC, ST e MT-RJ
Ondas Eletromagnéticas

Uma rede sem fio se refere a uma rede de


computadores sem a necessidade do uso
de cabos – sejam eles telefônicos, coaxiais
ou ópticos – por meio de equipamentos
que usam radiofrequência (comunicação
via ondas de rádio) ou comunicação via
infravermelho, como em dispositivos
compatíveis com IrDA.
Bluetooth

Bluetooth é um padrão global de comunicação sem fio e


de baixo consumo de energia (802.15) que permite a
transmissão de dados entre até 8 dispositivos compatíveis
com a tecnologia. Para isso, uma combinação de hardware
e software é utilizada para permitir que essa comunicação
ocorra entre os mais diferentes tipos de aparelhos. A
transmissão de dados é feita através de radiofreqüência,
permitindo que um dispositivo detecte o outro
independente de suas posições, desde que estejam dentro
do limite de proximidade.
AD-HOC
É uma expressão que, também, pode expressar sem cabeça. Em
telecomunicações, o termo é empregado para designar o tipo de rede
que não possui um nó ou terminal especial para o qual todas as
comunicações convergem e que as encaminha para os respectivos
destinos (este terminal é geralmente designado por ponto de acesso).
Desta forma, uma Rede de computadores Ad-hoc é aquela na qual todos
os terminais funcionam como roteadores, encaminhando de forma
comunitária as comunicações advindas de seus terminais vizinhos. Um
dos protocolos usados para redes Ad-hoc sem fio é o OLSR
No modo Ad-Hoc o usuário se comunica diretamente com outro(s).
Pensado para conexões pontuais, só recentemente este modelo passou
a prover mecanismos robustos de segurança, por conta do fechamento
de padrões mais modernos (802.11i). Porém, estes novos padrões
exigem placas também mais modernas e que ainda não são a maioria no
mercado.
WI-FI
Wi-Fi é um conjunto de especificações para redes locais sem fio (WLAN -
Wireless Local Area Network) baseada no padrão IEEE 802.11. O nome Wi-Fi é
tido como uma abreviatura do termo inglês "Wireless Fidelity", embora a Wi-Fi
Alliance, entidade responsável principalmente pelo licenciamento de produtos
baseados na tecnologia, nunca tenha afirmado tal conclusão. É comum
encontrar o nome Wi-Fi escrito como WiFi, Wi-fi ou até mesmo wifi. Todas
essas denominações se referem à mesma tecnologia.
Com a tecnologia Wi-Fi, é possível implementar redes que conectam
computadores e outros dispositivos compatíveis (telefones celulares, consoles
de videogame, impressoras, etc) que estejam próximos geograficamente.
Essas redes não exigem o uso de cabos, já que efetuam a transmissão de
dados através de radiofreqüência. Esse esquema oferece várias vantagens:
permite ao usuário utilizar a rede em qualquer ponto dentro dos limites de
alcance da transmissão por não exigir que cada elemento conectado use um
cabo, permite a inserção rápida de outros computadores e dispositivos na rede,
evita que paredes sejam furadas ou adaptadas para a passagem de fios, entre
outros.
WI-MAX
Especifica uma interface sem fio para redes metropolitanas (WMAN). Foi atribuído a este
padrão, o nome WiMAX (Worldwide Interoperability for Microwave
Access/Interoperabilidade Mundial para Acesso de Micro-ondas). O termo WiMAX foi criado
por um grupo de indústrias conhecido como WiMAX Forum cujo objetivo é promover a
compatibilidade e inter-operabilidade entre equipamentos baseados no padrão IEEE
802.16. Este padrão é similar ao padrão Wi-Fi (IEEE 802.11), que já é bastante difundido,
porém agrega conhecimentos e recursos mais recentes, visando um melhor desempenho
de comunicação. As redes WiMAX funcionam de maneira semelhante à das redes
Bluetooth. As transmissões de dados podem chegar aos 1Gbps a uma distância de até
50Km (radial),com estudos científicos para se chegar a 10Gbps. O funcionamento é
parecido com o do Bluetooth e o Wi-Fi (no ponto de vista de ser transmissão e recepção de
ondas de rádio), usado para comunicação entre pequenos dispositivos de uso pessoal,
como PDAs, telefones celulares (telemóveis) de nova geração, computadores portáteis,
mas também é utilizado para a comunicação de periféricos, como impressoras, scanners,
etc.
- 802.1b : Gerência de Rede. LAN/MAN Managment; Normas IEEE 802
- 802.1k : Gerência de Rede. LAN/MAN Managment;
- 802.1d : Media Access Control (MAC) Bridges;
- 802.1e : System Load Protocol;
- 802.1f : Definições e procdimentos comuns para a informação de gerência do IEEE 802;
- 802.1g : Remote Media Access Control (MAC) Bridging;
- 802.1h : Prática recomendada para Controle de Acesso ao Meio, com ponte, do Ethernet
V2.0 no IEEE 802 LAN;
- 802.1q : Padrão para provimento de capacidade de LAN virtual em uma rede, usada em
cojunto com protocolos de LAN do IEEE, como Ethernet e Token Ring;
-802.1p : Padrão para fluxo com priorização por tempo crítico e filtragem de tráfego
multicast, para conter o tráfego na camada 2 das redes. O cabeçalho 802.1p inclui três bits
para priorização, permitindo oito níveis de prioridade a ser estabelecido;
-- 802.2 : Atua no LLC. Padrão de enlace de dados demarcando como a conectividade
básica de dados sobre cabo deverá ser feita. Usado com os padrões IEEE 802.3, 802.4 e
802.5;
- 802.3 : CSMA/CD, especifica a sintaxe e semântica MAC e também a camada Física;
- 802.4 : Especificações do método de acesso Token Bus da camada física;
- 802.5 : Especificações do método de acesso Token Ring da camada física;
- 802.6 : Especificações do método de acesso Dual Bus e de fila distribuída da camada
física;
- 802.7 : MANs de Banda larga;
- 802.8 : Fibra óptica;
- 802.9 : Integração de Redes Locais;
- 802.10 : Protocolo para provimento de segurança em uma MAN. Uma variante do 802.10
tem sido usado algumas vezes para prover serviço de LAN virtual em uma rede, embora
isto esteja sendo substituido pelo 802.1q;
- 802.11 : Também chamado de Wi-Fi define os padrões para funcionamento de redes sem
fios por meio de radiofrequencia. Sua arquitetura foi criada para funcionar como link final
entre o usuário, sem fio, e a rede, com fios, cabos, switches, roteadores etc. O acesso Wi-
Fi (Wireless 802.11) está se tornando cada vez mais comum e atualmente já existem
pontos de acesso Wi-Fi públicos, que são chamados de Hot-Spots. Trabalha com
frequencia de 2,4 GHz, taxas de transmissão de 1 ou 2 Mbps e usa FHSS ou
DSSS. Wireless LAN Medium Access Control (MAC) Sublayer and Physical Layer
Specifications. LANs sem fios;
- 802.11a : Frequencia de 5 GHz e taxa de 54 Mbps. Este padrão não foi muito bem aceito
no mercado pois não é compatível com os padrões 802.11b e b+;
- 802.11b : Taxas de transmissão de 11 e 5,5 Mbps;
- 802.11b+ : Taxas de transmissão de 22 Mbps;
- 802.11g : Frequencia de 2,4 GHz e taxas de transmissão de 54 Mbps;
- 802.11g+ : Frequencia de 2,4 GHz e taxas de transmissão de 108 Mbps;
- 802.12 : Especifica a prioridade de demanda MAC e Física;
- 802.15 : Especificações Wireless para camadas MAC e Física. Bluetooth entre outros;
- 802.16 : Interface padrão para faixas Broadband fixas de sistemas de acesso
Wireless. WiMax;
- 802.17 : Especificações do método de acesso do pacote do anel resilient e da camada
física;
- 802.20 : Mobile Wireless Access. Mobile-Fi.
Modos de transmissão
•A transferência de informação só
é feita num só sentido, de um
transmissor para um receptor. É o
mais simples, pois o papel de
cada dispositivo está definido ao
início e nunca se altera.
A transferência de informação pode-se
processar nos dois sentidos, mas
alternada. Este modo de operação
obriga a existência de mecanismos que
permitam a um dispositivo de rede
passar de transmissor a receptor e
vice-versa

A transferência de informação processa-se


nos dois sentidos, simultâneamente.
Hardwares de comunicação
Roteador (neologismo derivado da palavra router ou encaminhador)
é um equipamento usado para fazer a comutação de protocolos, a
comunicação entre diferentes redes de computadores provendo a
comunicação entre computadores distantes entre si.
Roteadores são dispositivos que operam na camada 3 do modelo OSI
de referência. A principal característica desses equipamentos é
selecionar a rota mais apropriada para repassar os pacotes recebidos.
Ou seja, encaminhar os pacotes para o melhor caminho disponível
para um determinado destino. Os roteadores iniciam e fazem a
manutenção de tabelas de rotas executando processos e protocolos
de atualização de rotas, especificando os endereços e domínios de
roteamento, atribuindo e controlando métricas de roteamento. O
administrador pode fazer a configuração estática das rotas para a
propagação dos pacotes ou através de processos dinâmicos
executando nas redes.
HUB (Concentrador)
HUB ou Concentrador, é a parte central de conexão de uma rede. Muito
usado no começo das redes de computadores ele é o dispositivo ativo que
concentra a ligação entre diversos computadores que estão em uma Rede
de área local ou LAN. Trabalha na camada física do modelo OSI, ou seja,
só consegue encaminhar bits. Apesar de sua topologia física ser em estrela,
a lógica é comparada a uma topologia em barramento por não conseguir
identificar os computadores em rede pelos endereços IP, não conseguindo
assim rotear a mensagem da origem para o destino. Neste caso o HUB é
indicado para redes com poucos terminais, pois o mesmo não comporta um
grande volume de informações passando por ele ao mesmo tempo devido
sua metodologia de trabalho por broadcast, que envia a mesma informação
dentro de uma rede para todas as máquinas interligadas. Devido a isto, sua
aplicação para uma rede maior é desaconselhada, pois geraria lentidão na
troca de informações pelo aumento do domínio de colisão.
Switch (comutador)
Um switch é um dispositivo utilizado em redes de computadores para
reencaminhar frames entre os diversos nós. Possuem diversas portas, assim
como os concentradores (hubs) e a principal diferença entre o comutador e o
concentrador é que o comutador segmenta a rede internamente, sendo que a
cada porta corresponde um segmento diferente, o que significa que não haverá
colisões entre pacotes de segmentos diferentes — ao contrário dos
concentradores, cujas portas partilham o mesmo domínio de colisão. Os
comutadores operam semelhantemente a um sistema telefônico com linhas
privadas. Nesse sistema, quando uma pessoa liga para outra a central
telefônica as conectará em uma linha dedicada, possibilitando um maior
número de conversações simultâneas. Um comutador opera na camada 2
(camada de enlace), encaminhando os pacotes de acordo com o endereço
MAC de destino, e é destinado a redes locais para segmentação. Porém,
existem atualmente comutadores que operam juntamente na camada 3
(camada de rede), herdando algumas propriedades dos roteadores (routers).
Pontes (Bridges)
Bridge ou ponte é o termo utilizado em informática para designar um
dispositivo que liga duas ou mais redes informáticas que usam protocolos
distintos ou iguais ou dois segmentos da mesma rede que usam o mesmo
protocolo, por exemplo, ethernet ou token ring. Bridges servem para
interligar duas redes, como por exemplo ligação de uma rede de um edificio
com outro. Uma bridge ignora os protocolos utilizados nos dois segmentos
que liga, já que opera a um nível muito baixo do modelo OSI (nível 2);
somente envia dados de acordo com o endereço do pacote. Este endereço
não é o endereço IP (internet protocol), mas o MAC (media access control)
que é único para cada placa de rede. Os únicos dados que são permitidos
atravessar uma bridge são dados destinados a endereços válidos no outro
lado da ponte. Desta forma é possível utilizar uma bridge para manter um
segmento da rede livre dos dados que pertencem a outro segmento.
Repetidores
Em informática, repetidor é um equipamento utilizado para
interligação de redes idênticas, pois eles amplificam e regeneram
eletricamente os sinais transmitidos no meio físico.
Os repetidores atuam na camada física (Modelo OSI), recebem
todos os pacotes de cada uma das redes que ele interliga e os
repete nas demais redes sem realizar qualquer tipo de tratamento
sobre os mesmos. Não se pode usar muitos deste dispositivo em
uma rede local, pois degeneram o sinal no domínio digital e causam
problemas de sincronismo entre as interfaces de rede.
Repetidores são utilizados para estender a transmissão de ondas de
rádio, por exemplo, redes wireless, wimax e telefonia celular.
Placa de rede
Uma placa de rede (também chamada adaptador de rede ou NIC) é um dispositivo
de hardware responsável pela comunicação entre os computadores em uma rede.
A placa de rede é o hardware que permite aos computadores conversarem entre si
através da rede. Sua função é controlar todo o envio e recebimento de dados
através da rede. Cada arquitetura de rede exige um tipo específico de placa de
rede; sendo as arquiteturas mais comuns a rede em anel Token Ring e a tipo
Ethernet. Além da arquitetura usada, as placas de rede à venda no mercado
diferenciam-se também pela taxa de transmissão, cabos de rede suportados e
barramento utilizado (On-Board, PCI, ISA ou Externa via USB). As placas de rede
para Notebooks podem ser on-board ou PCMCIA. Quanto à taxa de transmissão,
temos placas Ethernet de 10 Mbps / 100 Mbps / 1000 Mbps e placas Token Ring de
4 Mbps e 16 Mbps. Como vimos no trecho anterior, devemos utilizar cabos
adequados à velocidade da placa de rede. Usando placas Ethernet de 10 Mbps, por
exemplo, devemos utilizar cabos de par trançado de categoria 3 ou 5, ou então
cabos coaxiais. Usando uma placa de 100 Mbps o requisito mínimo a nível de
cabeamento são cabos de par trançado blindados nível 5. No caso de redes Token
Ring, os requisitos são cabos de par trançado categoria 2 (recomendável o uso de
cabos categoria 3) para placas de rede de 4 Mbps, e cabos de par trançado
blindado categoria 4 para placas de 16 Mbps. Devido às exigências de uma
topologia em estrela das redes Token Ring, nenhuma placa de rede Token Ring
suporta o uso de cabos coaxiais.
Camadas 7ª APLICAÇÃO
de
protocolos 6ª APRESENTAÇÃO

5ª SESSÃO

4ª TRANSPORTE
CAMADAS
DO 3ª REDE
MODELO
OSI 2ª ENLACE

1ª FÍSICA
CAMADAS DO TCP/IP

4ª APLICAÇÃO

3ª TRANSPORTE

2ª INTERNET

1ª REDE
TCP / IP OSI
APLICAÇÃO

APLICAÇÃO APRESENT AÇÃO

SESSÃO

T RANSPORT E T RANSPORT E

INT ERNET REDE

ENLACE
REDE
FÍSICA
Camada Protocolo

HTTP, SMTP, FTP, SSH, RTP,


Telnet, SIP, IRC, SNMP, NNTP,
5.Aplicação
POP3, IMAP, BitTorrent, DNS, Ping
...

4.Transporte
TCP, UDP, ...

3.Rede IP (IPv4, IPv6) , ARP, RARP, ICMP,


IPSec ...

Ethernet, 802.11 WiFi, IEEE


2.Enlace 802.1Q, 802.11g, HDLC, Token
ring, FDDI, PPP, Frame Relay,

1.Física
Modem, RS-232,Bluetooth, USB,
...
Protocolos e portas
Serviço TCP UDP Observações
Transferência de
FTP 21 21
arquivos

Protocolo de login
SSH 22 22
remoto encriptado

Protocolo de login
Telnet 23 23
remoto
Para envio de
SMTP 25 25
email
Resolução de
DNS 53 53
nomes para IP
HTTP 80 80 Para web browser
Para recepção de
POP3 110 110
Email
Para conversação
IRC 6667 6667
(chat)
TCP/UDP
UDP TCP
Serviço sem conexão; nenhuma Serviço orientado por conexão;
sessão é estabelecida entre os uma sessão é estabelecida entre os
hosts. hosts.
UDP não garante ou confirma a
TCP garante a entrega através do
entrega ou seqüência os dados.
uso de confirmações e entrega
seqüenciada dos dados.

Os programas que usam UDP são


Os programas que usam TCP têm
responsáveis por oferecer a
garantia de transporte confiável de
confiabilidade necessária ao
dados.
transporte de dados.

UDP é rápido, necessita de baixa TCP é mais lento, necessita de


sobrecarga e pode oferecer maior sobrecarga e pode oferecer
suporte à comunicação ponto a suporte apenas à comunicação
ponto e ponto a vários pontos. ponto a ponto.