Вы находитесь на странице: 1из 17

| 


 
 





E.B. Salgueiro Maia

Docente: Carla Susana Mendes Santana Costa


Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca
Escolar no Contexto
Escola/Agrupamento
ï|
 
  

 
 


  


  




  

 
  

 

  

  





 

  




 
 





 

  



 

 

  





 
!" #
$%%&'
ï (
  
)
)

 (


  
*


  #


 





#

#


  #



 


 

 +




  

 


 
!,-.|/01 23#
&444'
ï 
 

 

  
   


 
  
!5 '

 
  



* 
 #
)
*



 
 

 

 


*

)
 
 


#
   6 
 


   (


)

5



   #





 

 
ï
!75 #$%%4'

ï 


 



 8



 
 

 
!  *

 '
|
 

 



  

 

9 

 

 Ò São as
áreas em que a Biblioteca Escolar e avaliada
em relação ao 


da sua acção e o seu 

 

  ;

É avaliado 

 

 .

A avaliação está completa ao fim de )


 .
9 

  :

|
| 

9  
2
A.1. Articulação curricular da BE com as estruturas pedagógicas e
os docentes A.2. Desenvolvimento da literacia da informação
5
.

.
2
;  #
;

|  
.


|


2   
C.1.Apoio a actividades livres, extracurriculares e de
enriquecimento curricular
C.2. Projectos e parcerias
9
< 

5 
 
D.1. Articulação da BE com a Escola/Agrupamento. Acesso e
serviços prestados pela BE
D.2. Condições humanas e materiais para a prestação dos
serviços
D.3.Gestão da colecção
3
 /


 :
¬ ,  
Ò as zonas nucleares de
intervenção em cada domínio onde se realizará a
apreciação sobre a qualidade da BE;
¬ - 


 Ò situações,
ocorrências e acções que concretizam o
respectivo indicador;
¬ 7 *

 + que irão servir de
suporte à avaliação;
¬ |=


*  Ò sugestões de acções
a desenvolver para melhorar o desempenho da
Biblioteca Escolar em determinados campos.
;

 * :

DivideÒse em >
 que avaliam o desempenho em cada
domínio/subdomínio
± 9  
± Descrevem a acção da BE em cada um dos
níveis.
> Ò A BE desenvolve um trabalho ?, de grande
qualidade e um impacto muito positivo neste domínio.
@ Ò A BE desenvolve um trabalho com qualidade neste 5 
domínio mas poderá melhorar em alguns aspectos.
$ Ò A BE começou a desenvolve rum trabalho   neste
domínio, mas necessita melhorar o desempenho para que o
seu impacto seja mais eficaz.
&Ò A BE desenvolve   ou nenhum trabalho neste domínio, o
seu impacto é  /muito reduzido, necessitando intervir com
urgência nesta área.
|  ± 20% do número de alunos
± 10% do número de professores

Recolhe três tipos de informação:

± 2 ? Ò o meio sociocultural da Escola e o próprio


funcionamento da Escola
± A
± evidências mensuráveis
± A ± a qualidade dos recursos e das acções e o seu
impacto no processo de ensino/ aprendizagem.

7 *

 + : organização dos espaços da BE,
horário, horário da equipa, número de computadores, número
material livro e não livro; Materiais produzidos pela BE em
articulação curricular com as turmas, planificações de trabalho,
trabalhos realizados pelos alunos; Documentos que regulam a
actividade da Escola: PEE, PCT, e da BE:PAA, Regulamento,
Regimento, Instrumentos elaborados para recolha de
informação: grelhas, entrevistas, questionários, «
3





| 


5

É um instrumento pedagógico de avaliação contínua que permite:


ÒContribuir para a afirmação e reconhecimento do papel da BE
na Escola (Noção de Valor);
ÒVerificar a contribuição das BEs para a execução dos objectivos
de escola e agrupamento.
ÒDemonstrar a contribuição da BE no Processo de Ensino
/Aprendizagem dos alunos e no seu sucesso;
Ò Avaliar a qualidade da Biblioteca Escolar (Eficácia);
Ò Melhorar os serviços;
Ò Reflectir sobre o trabalho desenvolvido que permite identificar
pontos fracos e desenvolver planos de melhoria;
Ò Implementar/desenvolver boas práticas;
Ò Adaptar a BE à realidade da Escola (Flexibilidade).
Ò Modelo está Integrado nas práticas habituais da BE
(Exequibilidade).
3
; 

,


 (

 

  / 

1º Fase da etapa de aplicação do Modelo:


l Sensibilização da comunidade educativa dos objectivos e
finalidade da avaliação;
l Escolha de um domínio que será avaliado e fundamentação
da escolha;
l Adequação do modelo à realidade da escola e/ou
agrupamento;
l Calendarização do processo;
l Escolha da amostra;
l Recolha de evidências.
2ª Fase

l Interpretação da recolha de dados;


l Definição dos perfis de desempenho para cada domínio ou sub
domínio;
l Realização de um relatório assinalado pontos fortes e pontos
fracos;
l Definição de um plano de melhoria;
l Apresentação de um relatório aos órgãos de gestão e ao Conselho
Pedagógico;
l Divulgação dos resultados à comunidade educativa
|
)


  
 ( deve estar informada e
preparada para implementar o processo e redefinir práticas

|
   
   (alunos, professores, enc. educação)
deverá ter um papel colaborativo nas acções de melhoria e
fornecer dados através de inquéritos ou outros meios;

3
 

  deverÒseÒão envolver no processo de
avaliação, ³ser líder coadjuvante no processo de aglutinar
vontades e acções´

3
2  *
;    deve analisar o relatório de avaliação e
propor acções de melhoria
|

 

 



De modo a que a implementação do Modelo de


autoavaliação seja bem sucedida devem se respeitar os
seguintes factores:
Ò Articular prioridades e objectivos com a escola;
Ò professor bibliotecário tem que ter um papel de
intervenção face aos problemas identificados;
Ò Gerir as evidencias recolhidas para comunicar o valor da
Biblioteca escolar e colmatar dificuldades;
Ò ³Articular, colaborar e comunicar permanentemente com os
vários intervenientes´ (EISENBERG/MILLER,2002)
|
 



Após se obter o resultado da avaliação é elaborado um


relatório final, que define pontos fortes, pontos fracos e as
acções de melhoria a implementar.
relatório da avaliação deve ser discutido e aprovado em
Conselho Pedagógico assim como o plano de melhoria que
vier a ser delineado.
É definido um plano de acção para a BE de acordo com os
resultados da avaliação e os objectivos da escola e
agrupamento. Poderá haver mudança de práticas
perspectivandoÒse a melhoria.
|
 

 


 

  

Do relatório de avaliação da Biblioteca Escolar deverá


sair um resumo para integrar o relatório de avaliação
global da escola.

Ao avaliar a escola a inspecção da avaliação externa


³medirá´ o impacto da Biblioteca Escolar, referindoÒo
num relatório final.