Вы находитесь на странице: 1из 25

Faculdade de Ciências e Tecnologia

Engenharia Mecânica

Comportamento em Mecânica Auto I

curva/estabilidade em
curva
Orientador: Dr. Jakson Monteiro
Autores:
 Adérito Tavares
 Evandro Garcia;
 Fredilson Furtado;
 Hamilton Da Lomba;
 Sonia Monteiro
 Zezito Rodrigues.
Introdução

O estudo da dinâmica veicular inclui todo o comportamento do


veículo em serviço. Nesta apresentação aborda-se tópicos
importantes no estudo do comportamento do veículo numa curva.

Tratar desse tema, inclui também tratar das curvas a baixa e alta
velocidade, os efeitos de suspensão e os métodos.
Conteúdo

*Curva a baixa velocidade;

*Curva a alta velocidade;

*Forças de laterais nos pneus;

*Equações de esterçamento;

*Efeitos de Suspensão;

*Método de raio constante;

*Método de velocidade constante.


Comportamento em curva
•Curva
  a baixa velocidade:

Para uma geometria adequada na curva (assumindo pequenos


ângulos), os ângulos de direção são dados por:
 
O ângulo médio das rodas

  dianteiras (novamente assumindo


pequenos ângulos) é definido como
o ângulo de Ackerman:
 
- deslocamento das rodas traseiras.
Comportamento em curva
 
Curva a alta velocidade Forças de laterais nos pneus
• as equações de giro diferem; O ângulo entre a trajetória feita

• os pneus devem desenvolver pelo pneu e a trajetória que o

forças laterais e ângulos de veículo deveria fazer segundo a

escorregamento estarão viragem do volante, chama-se

presentes em cada roda; ângulo de escorregamento, .


Comportamento em curva

Rigidez na curva depende:


• Tamanho e tipo do pneu;
• Número de dobras;
• Ângulos do cordão;

Propriedades da força nas curvas dos pneus


• Largura da roda e passo;
 
A força nas curvas é descrita por:
,  
é conhecida como "rigidez nas curvas”
Comportamento em curva
• 
As propriedades de curva do pneu também podem ser descritas pelo
"coeficiente de curva", que é a rigidez da curva dividida pela carga.
Assim, o coeficiente de curva, , é dado por:

Equações de esterçamento
As equações nas curvas de estado estacionário são derivadas da
aplicação da Segunda Lei de Newton, juntamente com a equação que
descreve a geometria em curvas (modificada pelas condições do
ângulo de deslizamento necessárias nos pneus).
Comportamento em curva
Equações de esterçamento
 

 
Força lateral (em curva) no eixo
dianteiro;
Força lateral (em curva) no eixo
traseiro;
M - Massa do veículo;
V - Velocidade de avanço; Encurralamento de um modelo de bicicleta

R - Raio do turno.
Comportamento em curva
•Equações
  de esterçamento

Ângulo de direção nas rodas dianteiras (graus);


 
Wr - Carga no eixo traseiro (lb);
L - Distância entre eixos (pés);
Rigidez em curva dos pneus dianteiros (lby/deg);
R - Raio de volta (pés);
Rigidez dos pneus traseiros (lby/deg).
V - Velocidade de avanço (pés / s);

g - constante de aceleração gravitacional = 32,2


pés / s2 ;

Wf = carga no eixo dianteiro (lb);


Comportamento em curva
•Gradiente
  de Subviragem
Existem três possibilidades:
A equação é geralmente escrita em
uma forma abreviada da seguinte  
• Direção neutra:
maneira:
• Subviragem:

K - Gradiente de sub-inclinação (graus / • Sobreviragem:


g)
Aceleração lateral (g)
Comportamento em curva
• 
Velocidade característica
 
Ganho de velocidade de guinada

Velocidade Crítica

Ganho de aceleração lateral


Comportamento em curva

Ângulo de escorregamento lateral

Ângulo de escorregamento lateral em uma curva de


baixa velocidade
 

Ângulo de escorregamento lateral em uma curva de


  – ângulo de inclinação lateral alta velocidade
Comportamento em curva
•Efeitos
  de suspensão

Todas as suspensões são funcionalmente equivalentes às duas


molas.

A rigidez é dada por:

- Rigidez do rolo da suspensão;


- Taxa vertical de cada uma das molas esquerda e direita;
s - Distância lateral entre as molas.

Análise de força de um veículo simples nas curvas.


Comportamento em curva
• 

- carga lateral na roda externa na curva;


O momento sobre o eixo do rolo é:
- carga lateral na roda interna na curva ;
– força lateral = ;  
- altura do centro do rolo;
t - piso (largura da pista);
O ângulo de rotação sobre o eixo do rolo neste caso é:
- rigidez do rolo da suspensão;
∅ - ângulo de rotação do corpo.   𝐖𝐡1 𝐕 2 / ( 𝐑𝐠 )
∅=
𝐊 ∅ 𝐟 + 𝐊 ∅ 𝐫 −𝐖𝐡1
Comportamento em curva

 
O ângulo total da curvatura durante as
curvas será:

- Ângulo de curvatura em relação ao solo;


Mecanismos de mudança de curvatura à medida
que um veículo rola nas curvas. - Ângulo de curvatura da roda em relação ao corpo;

Ø - Ângulo de rotação do veículo.


Comportamento em curva
 
Método de raio constante
O método replica de perto a operação do veículo em muitas
situações de rodovia, como o raio constante nas rampas das
rodovias de acesso limitado.
Dado o raio de curva e alguma medida da velocidade do veículo, a
aceleração lateral pode ser calculada usando a relação:
Comportamento em curva
 
Método de velocidade constante
As medições por esse método duplicam de perto muitas situações
reais de direção.
O raio de virada é derivado das medições usando a forma
apropriada dos relacionamentos abaixo:
 
V - Velocidade de avanço (pés / s ou m / s)
- Aceleração lateral (ft / s2 ou m / s2)
r - taxa de guinada (radianos / s)
Conclusão

Resumindo e concluindo, o estudo da dinâmica veicular tem


aprimorado a análise de veículos em curvas, desenvolvendo
métodos que tragam estabilidade a estes, de modo a alcançar
desempenho eficiente.
Bibliografia

Gillespie, T. D. (s.d.). Fundamentals of Vehicle Dynamics.

Оценить