Вы находитесь на странице: 1из 124

m   


m 
  
   
 

, MSc.  !"#m!"#, PhD


  ² Fundação Educacional de  ² Univ. Estadual Paulista
Barretos

² Faculdade de Tecnologia de Instituto de Biociências de Botucatu
Botucatu
  - Universidade Nove de
Julho
  $ 
PRINCIPAIS DIFERENÇAS DA MN
¢ Fonte interna
¢ Diversos tipos de fonte

¢ Imagem Funcional

¢ Baixa Resolução

¢ Equipamento não irradia


ISÃO GERAL
m 
 m 
  %   &
!'!(")!
EOLUÇÃO DOS EQUIPAMENTOS EM
MN
EOLUÇÃO DOS EQUIPAMENTOS EM
MN
m#!!"
EQUIPAMENTOS DE MN

Sophy-DST da SMV-
General Electric ± Serviço
de Radioisótopos -
InCor/HCFMUSP

2 detectores com cristal


de NaI(Tl) de 40 cm x 30
cm x 9,375 mm (3/8´)
EQUIPAMENTOS DE MN

ECAM da Siemens ±
Centro de Medicina
Nuclear (CMN) -
InRad/HCFMUSP

2 detectores com cristal


de NaI(Tl)
EXAMES DE MN
EXAMES DE MN
EXAMES DE MN
EXAMES DE MN
% m  &*
EQUIPAMENTOS DE MN

ECAM da Siemens ±
Centro de Medicina
Nuclear (CMN) -
InRad/HCFMUSP

2 detectores com cristal


de NaI(Tl)
ðCABEÇAµ
COLIMADOR
¢ Barra
( fótons primários de sentido não desejado
( fótons espalhados (secundários)
TIPOS DE COLIMADORES
PIN-HOLE (ðBURACO DE AGULHAµ)
¢ Imagem Invertida
¢ FO decai fortemente
com a distância fonte-
colimador
¢ S decai com distância
fonte-colimador.
¢ S aumenta com hole,
mas aumenta o blur.
COLIMADOR INFLUENCIA NA
SENSIBILIDADE
 
  
+
m,  - .
CÂMARA DE CINTILAÇÃO
CÂMARA DE CINTILAÇÃO
LEITURA
¢ A relação média entre
pulsos determina a
localização.

¢ Dos vários pulsos gerados


por um raio gama, dois
são gerados para
determinar H e  (x,y).
LEITURA

¢ Combinando todos os pulsos em um único pulso


que representa a energia média ou intensidade
da imagem - Pulse height analyser - PHA.

¢ Essas informações são usadas para gerar a


imagem em um monitor.
ESPECTROMETRIA
¢ Espalhamento
¢ Exames com dupla fonte ou
dupla energia
¢ Radiação de fundo ²
Background.
¢ Isto gera aumento da área
ðimageadaµ e diminuição na
precisão de medidas e
diagnóstico.
¢ Solução: PHA ² Seleciona pulsos
de fonte primária.
PULSO IDEAL DE FONTE MONO
ENERGÉTICA
FATORES QUE INFLUEM NO TAMANHO DO
PULSO

¢ Flutuações estatísticas

> FWHM ² Largura total da


metade dos máximos desvio a
meia largura da banda do
espectro.
> FWHM=10/70*100=14%
FATORES QUE INFLUEM NO
FWHM E QUALIDADE DA IMAGEM.
¢ Efeito Compton
FATORES QUE INFLUEM NO
FWHM E QUALIDADE DA IMAGEM.
¢ Raios-X

característico do
material do cristal
( Iodo,
principalmente.
( Z alto ' Efeito
fotoelétrico

¢ Background
ESPECTRO COMPOSTO
UM POUCO MAIS SOBRE PHA
SELEÇÃO DE JANELA POR FOTO PICO
OBSERANDO NA ðIMAGEMµ
¢ Influência
da radiação
espalhada
BLUR
BLUR ² INTRÍNSECO E DO COLIMADOR
TESTE LSF ² R=1/BLUR
¢ Blur X abertura do
colimador
SENSIBILIDADE X BLUR X
RESOLUÇÃO
BLUR X DISTÂNCIA DA COLIMADOR-
FONTE
 

SINGLE PHOTON EMISSION COMPUTED


TOMOGRAPHY
EXAMES DE MN
EXAMES DE MN
RECONSTRUÇÃO EM SPECT


EQUIPAMENTOS DE MN
PET
PET
PET
EXAMES DE MN
 m
m#!!"
MEDICINA NUCLEAR

¢ Fármaco: captado por determinado órgão ou


tecido biológico de interesse especial
¢ Radionuclídeo: nuclídeo emissor de radiação
eletromagnética com energia suficiente para
escapar do corpo do paciente e que possa ser
incorporado ao fármaco
¢ Equipamento de aquisição de imagens
RADIOFÁRMACOS

¢ Definição
Substâncias químicas que contêm átomos
radioativos em sua estrutura e são adequadas para
administração em seres humanos, para diagnóstico
ou tratamento de doenças.

São formulados em várias formas químicas e


físicas de modo a liberar a radioatividade para
determinados órgãos ou sistemas.
RADIONUCLÍDEO IDEAL

¢ Mínima emissão de partículas


¢ Fótons com energia entre 50 e 500 keV

¢ Meia-vida física > tempo necessário para


preparo da injeção
¢ Meia-vida efetiva > o tempo de exame

¢ Forma química e reatividade adequados

¢ Estabilidade do produto
RADIONUCLÍDEOS
¢ 99mTc

¢ Iodo: 131I; 123I

¢ Gálio: 67Ga

¢ Tálio: 201Tl

¢ Xenônio: 133Xe; 127Xe

¢ Índio: 111In; 113mIn

¢ Emissores de pósitrons: 11C; 13N; 15O; 18F


RADIONUCLÍDEOS
99MTC

¢ Característicasideais: 140 keV; 6 h m.v.


¢ Eluído como pertecnetato de sódio (Na99mTcO4-)

¢ Íon primariamente heptavalente, geralmente


reduzido de +7 para +4, para preparo de RF
¢ Semelhante ao íon iodeto

¢ Concentra em: gl. salivares, tireóide, plexo


coróide, mucosa gástrica, mama em
amamentação, na gravidez atravessa placenta
RADIONUCLÍDEOS
IODO

¢ 123I: ideal para imagem


( Meia-vida de 13,3 h; € 28 keV e 159 keV
( Produzido em cíclotron: muito caro

¢ 131I: Mais adequado para terapia


( Meia-vida de 8,06 dias; ȕ 192 keV; € predominante
364 keV
( Distribuição ~ pertecnetato; excreção renal (+) e fecal
( Alta reatividade química (usado para marcação)
RADIONUCLÍDEOS
GÁLIO

¢ 67Ga: metal com m.v. 78 h; € 93 keV, 184 keV, 296


keV e 388 keV
¢ Administrado como citrato de gálio e liga-se à
transferrina, lactoferrina e ferritina
¢ Localiza-de em fígado, baço, medula óssea,
esqueleto, neoplasias, locais com
infecção/inflamação
¢ Excreção renal (24 h) e fecal
RADIONUCLÍDEOS
TÁLIO

¢ 201Tl:
metal com m.v. 73,1 h; raios X
característicos de 68 a 80 keV
¢ Administrado como cloreto de tálio

¢ Análogo do potássio e distribui-se em todo


corpo, principalmente em músculos
RADIONUCLÍDEOS
XENÔNIO

¢ Gás inerte usado para estudos de ventilação


pulmonar
¢ 133Xe: m.v 5,3 dias; € 81 keV, ȕ 374 keV

¢ Meia-vida biológica (nl) 30 s


RADIONUCLÍDEOS
ÍNDIO

¢ Metal, análogo do ferro e ~ gálio


¢ 111In: m.v. 67 h; € 173 keV e 247 keV

¢ Como quelato (DTPA), utilizado para


cisternocintilografia
¢ Usado para marcação de leucócitos, plaquetas,
anticorpos monoclonais e peptídeos
RADIOFÁRMACOS

¢ Acoplamento de um radionuclídeo com compostos


estáveis que se localizam em órgãos ou em locais
com doença:

¢ MDP 99mTc: imagem de esqueleto


¢ DTPA
99mTc: imagem sistema urinário

¢ DISIDA
99mTc: imagem hepato-biliar

¢ PYP
99mTc: imagem de infarto do miocárdio
RADIOFÁRMACOS

¢ "Kits" preparados em larga escala:


( Fármaco
( Agente redutor: cloreto estanoso
( Ácido ascórbico: antioxidante

¢ Marcação:
( Adiciona-se pertecnetato "fresco" ao frasco com o
fármaco, na ausência de oxigênio
( Espera-se o tempo da reação (a "quente" ou a frio)
Classificação dos radiofármacos
 
    
 /m
CONTROLE DE QUALIDADE RF

¢ Pureza radionuclídica (gerador)


Fração da radioatividade total que está
presente em uma fonte na forma do
radionuclídeo desejado (%)

( Molibdênio
( Alumínio
CONTROLE DE QUALIDADE RF
¢ Pureza radioquímica
Fração da radioatividade total que está presente
em uma fonte na forma química desejada (%)
( Eficiência de marcação
¢ Esterilidade
¢ Apirogenicidade
$    
SISTEMAS GERADORES DE RADIONUCLÍDEOS

¢ Radionuclídeo "pai" firmemente afixado em uma


coluna trocadora de íons
¢ Radionuclídeo "pai" deve ter meia-vida
relativamente longa
¢ Radionuclídeo "pai" decai para um radionuclídeo
"filho", um elemento diferente com meia-vida
menor
¢ Radionuclídeo "filho" está fracamente ligado à
coluna e pode ser removido com eluição líquida
GERADOR DE 99MTC


 

h 
 

SISTEMA GERADOR DE 99MTC

Eluição com salina 0,9%:


Pertecnetato de Sódio
SISTEMA GERADOR DE 99MTC
FÁRMACOS
RADIOFÁRMACOS
ðSALA QUENTEµ
ðSALA QUENTEµ
CALIBRADOR DE DOSE

Calibrador de dose é
uma câmara de
ionização de gás na
forma de poço e é
utilizado para medir a
atividade de
radionuclídeos e
radiofármacos.
CALIBRADOR DE DOSE

Medir a atividade dos


radiofármacos antes
da administração ao
paciente.
131I

¢ t1/2 = 8,03d;
¢ E€ = 364ke;

¢ emissor u-

¢ ² diagnóstico e terapia de tireóide

¢ MIBG ² feocromocitoma e neuroblastoma

¢ marcadores p/ receptores cerebrais


CICLOTRON

!'"012 313"##14"'5""(#1
("4"6' 4"4"#7!"5#1#)!!8!#8'"
1!"!#4"#'#11!'!#4"'5uÈ 4'"#
1 '""3!'
9: +4.9:
ë 

 

  h 
 




 



h 

 
 

PRINCÍPIOS DE FÍSICA NUCLEAR:
99MTC

99 Mo
42
T1/2 = 66h

ur

99m Tc
T1/2 = 6h
43

€ (140keV)

99 Tc
43

Estado fundamental
¢ Características

( emite somente g de 140ke


( meia vida de 6h
( facilmente incorporado a compostos utilizados pelo
organismo
GERADOR
   

 ;