Вы находитесь на странице: 1из 36

Universidade Regional Integrada do

Alto Uruguai e das Missões

AMPLIFICADOR OPERACIONAL

Henrique Tedesco
Tiago Andrei
Willian Izolan

Rua Universidade das Missões,464.Santo Ângelo-RS.


1. Introdução
• O amplificador modifica um sinal de entrada para
criar sinal de saída, enquanto minimiza a
distorção da onda. Amplificadores são utilizados
tanto para sinais elétricos e ópticos.
• Os primeiros amplicadores operacionais surgiram
em 1940, mas com o surgimento do transistor em
1950 pode-se evoluir o desenvolvimento do
mesmo. Mesmo assim, só em 1963 a
FAIRCHILD SEMICONDUCTOR lançou o
primeiro AOP no mercado.
1. Introdução
• Tipos de amplificadores:
▫ Amplificadores valvulados: Um amplificador valvulado geralmente
funciona sob altas tensões de alimentação e baixas correntes, o que
torna necessário o uso de transformadores de saída.
▫ Amplificadores transistorizados: Os amplificadores transistorizados têm
comportamento diferente dos valvulados, a distorção é diferente e não
necessitam de transformadores de saída.
▫ Amplificadores operacionais (ampops):são amplificadores diferenciais
DC de alto desempenho: alto ganho, alta impedância de entrada, baixa
impedância de saída e grande resposta em freqüência.
1. Introdução

Fig 1.2:Amplificador
Fig 1.1: Amplificador Transistorizado
Valvulado

Fig 1.3: Amplificador


Operacional
2. Objetivos
• 2.1 Objetivo geral:
▫ Incentivar os alunos na busca por novos
conhecimentos ou então esclarecimentos para
dúvidas existentes

• 2.2 Objetivo específico:


▫ Realizar uma pesquisa aprofundada sobre o
funcionamento e montagem de amplificadores,
com ênfase em amplificadores operacionais.
3. Amplificadores
• Os amplificadores são classificados em:
▫ Linear: Mantém a forma original do sinal
processado
▫ Não linear:Modifica a forma original do sinal
processado

Principio de funcionamento: O amplificador deve


aumentar de forma igualitária o módulo e o
ângulo de fase da composição das
componentes para que sua saída seja
equivalente a sua entrada.
3. Amplificadores
• Conceitos:
▫ Distorção:Modificação do sinal de entrada
▫ Amplificação: De acordo com a função abaixo

a amplificação acontece quando G>1


▫ Atenuação: a atenuação existe quando G<1
3.1 Amplificador linear ideal

Quando o sinal de entrada é proporcional ao de saída sem a necessidade


de uma fonte externa no amplificador
3.2 Amplificador linear real
• Na modelagem de um amplificador linear real
deve-se levar em consideração alguns efeitos
 Conservação da energia;
Saturação;
Faixa dinâmica;
Ganho dependente da frequência;
Impedância de entrada e de saída.
3.2 Amplificador linear real
• Conservação de energia
▫ Amplificador passivo:
 Potência de saída<Potência de entrada;
Se houver uma amplificação na tensão haverá uma
atenuação na corrente, e vice-versa;
Aplicação:transformadores e circuitos
multiplicadores de tensão a diodos.
3.2 Amplificador linear real
• Conservação de energia:
▫ Amplificador ativo:
Potência de saída>Potência entrada
3.2 Amplificador linear real
• Conservação de energia:
▫ Observação: Quando o amplificador mantém uma
propriedade constante recebe a nomenclatura:
Tensão constante= Polarizado em tensão
Corrente constante = Polarizado em corrente
3.2 Amplificador linear real
• Saturação
▫ Para um amplificador ativo os valores da saída são limitados
pelos valor que a fonte de alimentação pode fornecer

• Faixa dinâmica:
Faixa de tensão de entrada e saída na
qual o amplificador apresenta
comportamento linear.
2.2 Amplificador linear real
• Ganho dependente da freqüência:
O diagrama representa a resposta
em frequência de um amplificador
ideal.

Um amplificador real não possui


resposta em frequencia
infinita.Define-se para esses uma
largura de banda(bandwidth) como a
faixa onde um real se aproxima de
plana. (= distorção)
3. Amplificadores
• Classes de Amplificadores
Os amplificadores são classificados em
método de operação, eficiência, linearidade e
capacidade de potência de saída.
3. Amplificadores
Classe Descrição
A o dispositivo eletrônico de saída (válvula ou transistor)conduz durante
os 360 graus do sinal de entrada
B o dispositivo eletrônico de saída conduz durante apenas 180 graus do
sinal de entrada (apenas um semi-ciclo)
AB O dispositivo eletrônico de saída conduz entre 180° e 360° do sinal
de entrada
C o dispositivo eletrônico de saída (válvula ou transistor) conduz
durante menos do que 180 graus do sinal de entrada
D operam modulando o sinal de entrada na forma de pulsos (PWM,
"pulse width modulation"), controlando o dispositivo eletrônico de
saída (válvula ou transistor) através de dois níveis de tensão, os
quais fazem com que o dispositivo conduza ou entre em corte
F alta eficiência (idealmente 100%) e alta potência de saída. Usado
principalmente para aplicações de RF e microondas.
4. Amplificador Operacional

Figura 4.1: Representação simbólica de amplificador operacional.


4. Amplificador Operacional
• É um amplificador com entrada diferencial, cujas
características se aproximam de um
amplificador ideal.

• São amplificadores de acoplamento direto, de


alto ganho, que usam realimentação para
controle de suas características.
4. Amplificador Operacional
• Aplicações:
▫ Os amplificadores operacionais são usados em
amplificação, controle, geração de formas de
onda senoidais, elementos básicos dos
computadores analógicos, aplicações em
instrumentação, sistemas de controle, sistemas
de regulação de tensão e corrente,
processamento de sinais, etc.
4. Amplificador Operacional
• Principais características:
▫ Resistência de entrada infinita;
▫ Resistência de saída nula;
▫ Ganho de tensão infinito;
▫ Resposta de frequência infinita;
▫ Insensibilidade à temperatura.
4. Amplificador Operacional

• Amplificador Operacional Ideal;

• Amplificador Operacional Real.


4.1. Amplificador Operacional Ideal
• As propriedades de um circuito amplificador operacional
ideal são:
▫ Ganho de tensão diferencial infinito;
▫ Ganho de tensão de modo comum igual a zero;
▫ Tensão de saída nula para tensão de entrada igual a zero;
▫ Impedância de entrada infinita;
▫ Impedância de saída igual a zero;
▫ Faixa de passagem infinita;
▫ Deslocamento de fase igual a zero;
▫ Deriva nula da tensão de saída para variações de
temperatura.
4.2. Amplificador Operacional Real
• Características de um circuito amplificador
operacional real:
▫ Ganho de tensão;
▫ Tensão de offset;
▫ Corrente de offset;
▫ Faixas de passagem;
▫ Slew rate;
▫ Overshoot.
5. Montagem de um Amplificador
Operacional
5.1. Simbologia;
5.2. Modos de Operação;
5.3. Exercício Resolvido;
5.1. Simbologia

 V- - entrada inversora;
V+ - entrada não inversora;
A VPS+ - alimentação positiva;
VPS- - alimentação negativa;
Vo - saída;
A - ganho;
Figura 5.1.1 – Amp. Op.
Alimentado
5.1. Simbologia

Figura 5.1.2. – Equivalência entre símbolos para um Amp. Op.


Alimentado.
5.2. Modo de Operação
5.2.1. Sem Realimentação;
5.2.2. Realimentação Positiva;
5.2.3.Realimentação Negativa;
5.2.1. Sem Realimentação
• Conhecido com malha aberta;
• Ganho do operador estipulado pelo fabricante;
• Aplicado em circuitos comparador;
5.2.2. Realimentação Positiva
• Malha Fechada1;
• Desvantagem;
▫ Instabilidade do circuito.
• Aplicado em circuitos osciladores;
• Resposta não linear;
▫ Não trabalha com amplificador de sinais.

1- Malha Fechada - ganho é determinado por R1 e RF e pode ser controlado pelo projetista.
5.2.3. Realimentação Negativa
• Malha Fechada;
• Mais utilizado;
• Aplicações;
▫ Amplificador Inversor.
▫ Amplificador Não Inversor.
▫ Amplificador Somador.
▫ Amplificador Diferencial.
▫ Integrador.
▫ Filtros Ativos, etc.
5.2.3.3.1. Amplificador Inversor
5.2.3.3.2. Amplificador Não Inversor
5.3. Exercício Resolvido
• Considerando A=100.000;
• V0=-5 V
6. Conclusão
▫ Devido a falta de bibliografia presente na
instituição a pesquisa ficou restrita a pesquisa na
rede mundial de computadores. Porém o
resultado foi satisfatório
7. Bibliografia
• DE LA VEGA,Alexandre Santos. Apostila de
Teoria para Introdução aos Amplificadores
Operacionais. Rio de Janeiro:UFF,2004.
“Têmo domando! Têmo aprendendo!
Têmo ensinando!”

Mano Lima