Вы находитесь на странице: 1из 15

Curso: Engenharia Elétrica – Noturno

Turmas: EN9P01 - Eletrotécnica e EE9P01 - Eletrônica


Prof. Álvaro Martins
Disciplina: 1485– Eletrônica de Potência - Módulo 04

4. Refrigeração de Semicondutores.
4.1. Fontes de perdas;
4.2. Aquecimento e resistência térmica em regime;
4.3. Temperatura da junção;
4.4. Aquecimento em condição de transiente.

Ref. Bibl.: Lander,C.W. Eletrônica Industrial


1.1. Fontes de perdas

Perdas → aquecimento → aumento de temperatura


Calor da junção → base → perfuração → dissipador

1.1.1 Condução direta: queda de tensão direta (LF e MF > perdas);

1.1.2 Corrente de Fuga: corrente reversa em bloqueio;

1.1.3 Polarização do Gate: minimização pela utilização de impulsos;

1.1.4 Perdas no Chaveamento: dissipação de energia nas comutações


principalmente em freqüências de chaveamento altas (>
1Khz).
,
1.2 Dissipadores

1.2.1. Potência transferida:

P [W] T1 − T2
PT=e T [°C]
1

2

R [°C/W] Resistência Térmica


1.2.2. Fluxo de Calor:

junção → base → → dissipador → ambiente

ℜ ja = ℜ jb + ℜbd + ℜ da
1.2 Dissipadores

1.2.3. Dissipadores a ar e a água

1.2.4. Temperatura virtual da junção

Tvj = Ta + P.ℜ ja
Semindutor: baixa capacidade térmica de armazenamento
1.2 Dissipadores

1.2.5. Esquema de dissipação térmica (Tvj )

Em Regime:
Corrente, temperatura e
perdas constantes
1.2 Dissipadores
1.2.6. Transientes: perdas por sobrecarga ou falha
Balanço energético:
Perda de energia na entrada = ao incremento de energia térmica
armazenada + energia transferida para o ambiente

P∂t = A∂Θ + BΘ∂t


No limite:

P = A ∂Θ( ∂t
) + BΘ → p/t = 0 ⇒ Θ = 0 → Θ = Θ (1− e ) MAX
− t/T

Onde:
P – Potência perdida no dispositivo [W]; ΘMAX = P/B = temperatura final; e
A – Capacidade Térmica de T = A/B = Constante de tempo térmica
Armazenamento [ joule/°C ]; e
B – Potência dissipada por temperatura
[W/°C]
1.2 Dissipadores
1.2.7. Impedância Térmica
diferença de aumento de temperatura
Zth =
potência perdida no instante definido

1.2.8. Aumento de temperatura na junção em sobrecarga

Θ = ΘMAX (1 – e –t/T )
P/B = temperatura final; e
T = A/B = Constante de
tempo térmica
1.3 Exercícios
1.3.1. Um SCR, com 30W de perdas, resistência térmica entre
a junção e o dissipador de 0,7 °C/W. Qual o máximo valor da
resistência térmica do dissipador? Considerar temperatura
ambiente de 40 °C e temperatura máxima na junção de 125°C.

Determinação da Resistência Térmica Total


T1 − T2 T1 − T2 125 − 40
P= →ℜ= = = 2,83°C / W
ℜ P 30

Determinação da Resistência Térmica do Dissipador


ℜd = ℜ ja − ℜ jb = 2,83 − 0,7 = 2,13°C / W

Determinação da Temperatura da Base


Tb = Ta + P.ℜ d = 40 + 30.2,13 = 104°C
1.3 Exercícios
1.3.2. Um SCR de resistência térmica de 1,80 °C/W é montado
sobre um dissipador de resistência térmica de 2°C/W. Qual é a
máxima potência perdida no tiristor?Considerar temperatura
ambiente de 40 °C e temperatura máxima na junção de 125°C.

ℜ ja = ℜ jb + ℜbd = 1,8+ 2,0= 3,8°C/W

Tvj − Ta 125− 40
Tvj = Ta + P.ℜ ja → P = = = 22,4W
ℜ ja 3,8
1.3 Exercícios
1.3.3. Um SCR de capacidade térmica 0,1 J/°C e de resistência
térmica 0,9 °C/W. Calcular a potência de perda de forma que a
temperatura não ultrapasse 40 °C: a) 10ms; b)100ms; c) 1s.

A potência dissipada em 1°C de elevação é o inverso da


resistência térmica!

P = 1/Rjb = 1/0,9 = 1,11 W/°C


P – Potência perdida no dispositivo [W];
A – Capacidade Térmica de Armazenamento [ joule/°C ]; e
B – Potência dissipada por temperatura [W/°C]

ΘMAX = P/B = temperatura final; e


T = A/B = Constante de tempo térmica

T = 0,1 / 1,11 → T = 0,09 s


Θ = ΘMAX (1 – e –t/T ) →
1.3 Exercícios
1.3.4. Continuação da solução ΘMAX = Θ/ (1 – e –t/T ) e

a)Para t = 0,01s P = ΘMAX .B


( )
Θ MAX = 40 1 − e − 0,01/0,09 = Θ MAX = 380°C
P = Θ MAX .B = 380 × 1,11 = 422W

b)Para t = 0,1s
( )
Θ MAX = 40 1 − e − 0,1/0,09 = Θ MAX = 59,6°C
P = Θ MAX .B = 59,6 × 1,11 = 66.2W

b)Para t = 1s
( )
Θ MAX = 40 1 − e −1/0,09 = Θ MAX = 40°C
P = Θ MAX .B = 40 × 1,11 = 44,4W
1.3 Exercícios
1.3.5. Numa determinada configuração, durante a
condução a 40 °C, experiências mostraram que um SCR
dissipa 2.000 W em 10 ms. Calcular a temperatura da junção, dado
que a impedância térmica de transiente é 0,03 °C/W .

diferença de aumento de temperatura


Z th =
potência perdida no instante definido

Δ∂Θ = Z th × P = 0,03 × 2.000 = 60°C

Tj = Θ + Δ∂Θ = 40 + 60 = Tj = 100 °C
1.3 Exercícios
1.3.6. Um conjunto SCR e dissipador em regime possui resistência
térmica 0,2 °C/W. A 100 ms, um valor de 0,05°C/W. Qual a potência perdida
para 100 ms? Considerar que a temperatura máxima da junção é 125 °C;
temperatura ambiente 30 °C e potência de perda em regime de 300W.

Tvj = Ta + P.ℜ ja = 30 + 300 × 0,2 = 90°C

Durante os 100ms de sobrecarga


o aumento máximo de temperatura é dado por :
TjMax − Tj = 125 − 90 = 35°C

Potência Perdida Adicional :


Padicional = Δ Θ /Ζ th = 35/0,05 = 700W

Potencia Perdida Total :


P = Pregime + Padicional = 300 + 700 = 1.000W
1.3 Exercícios
1.3.7. Um SCR de capacidade térmica 0,1 J/°C e de resistência
térmica 0,8°C/W. Calcular a potência de perda de forma que a
temperatura não ultrapasse 35 °C: a) 10ms; b)100ms; c) 1s.

Dados:
P – Potência perdida no dispositivo [W];
A – Capacidade Térmica de
Armazenamento [ joule/°C ]; P10ms
B – Potência dissipada por temperatura
[W/°C] P100ms
ΘMAX = P/B = temperatura final;
P1s
T = A/B = Constante de tempo térmica;

Θ = ΘMAX (1 – e –t/T) →
ΘMAX = Θ/ (1 – e –t/T) e
P = ΘMAX .B
1.3 Exercícios
1.3.8. Um conjunto SCR e dissipador em regime possui resistência
térmica 0,4°C/W. A 100 ms, um valor de 0,06°C/W. Qual a potência perdida
para 100 ms? Considerar que a temperatura máxima da junção é 125 °C;
temperatura ambiente 40 °C e potência de perda em regime de 200W.
Dados:

Tvj = Ta + P.ℜ ja
Potência Perdida Adicional : Padicional = Δ Θ /ℜ th
Potência Perdida Total : P = Pregime + Padicional