Вы находитесь на странице: 1из 58



| || | 


 |  |   
 

| 
 |
|  | 
|
  |  |
  |

VITOR HUGO ENUMO DE SOUZA


`  

   
|    

   Grécia - primeiro registro como plantas consideradas plantas,


pois não se compreendia ainda sua anatomia e fisiologia.

 ! - como Lineu (1707-1778) e Lamark (1744-1829) - zoophyta


(animais-plantas).

"#$ - Robert Edmond Grant (1793-1874) - criou o nome Porifera

Início do % &'( !! - A posição de filo foi aceita.

)&'*++, - dados de biologia molecular também confirmaram essa


posição acima - genes envolvidos no processo de morfogênese, células
de adesão e colágeno

Fonte: Ciência Hoje. V. 43, No 258, Abril de 2009.


   |
|| | - Latim: `  > poro;  > possuir

- Ediacarano (630 milhões e 542 milhões de anos atrás)

- Parazoários

- ³Diblásticos´

- Sésseis, exceção larva natante

- ~10.000 espécies marinhas e 150 dulcícolas

- Tamanho: 1mm a 2m de diâmetro

- Maioria assimétricos

- Crescimento: depende das correntes de água, disponibilidade de


espaço, natureza e inclinação do substrato

- Coloração variável
 
  -

- COANODERME

- MESOGLÉIA

- PINACODERME
  ||

- Pinacócitos
| . | /0 (&|  

- ~ tecido conjuntivo dos metazoários


- Amebócitos:
Esclerócitos  espículas
Arqueócitos  células totipotentes
Colêncitos  colágeno
Miócitos  células ³contráteis´
  ||

- COANÓCITOS - alimentação
| 

 |!

- Brotamento

m


- Gemulação
`
 m
| 

|!
- maioria hermafroditas
- coanócitos/arqueócitos  gametas
- fecundação externa
- desenvolvimento externo e indireto

Anfiblástula
Parenquímula
|   |  1
  ||  1

    | 
  

V primitiva, menor, menos comum

Trajeto água:

Poro  espongiocele - Ósculo


 

Dobramento da parede do corpo e


diminuição do espongioloce

Trajeto da água:
Poro  canal inalante  prosópila -
Canal exalante  apópila 
espongiocelo - ósculo
| 

V evoluída e maiores
Câmaras flagelas e diminuição
do espongiocelo (maioria)

Trajeto da água:
Poros  canais incorrentes 
prosópila - câmaras flageladas 
apópila  canal escorrente -
ósculo
| 

(Nielsen, 2001)

4 grandes grupos:

- Calcarea

- Demospongiae

- Hexactinellida

- Sclerospongiae*
|

- Ascon, Sicon e Leucon

- Espículas calcáreas

- cores pálidas

- menores de 15 cm

- águas rasas

÷ 

|! | 

- Sicon

- Espículas silicosas

- Cores pálidas

- Tamanho variável

- Águas profundas

- Esponjas de vidro | 


 
|   |

- Leucon

- Espículas silicosas

- Cores fortes e brilhantes

- Maiores esponjas

- 90% das espécies

- Todos os mares

Y  

|   |

- Leucon

- Esponjas coralinas

- Espículas silicosas

- Esqueleto de aragonita

- até 1 metro

à  
   h

  
|| | -Grego:   > urtiga

- Pré-cambriano e cambriano

- primeiros eumetazoários

- Diploblásticos (epiderme e gastroderme)

- Cavidade interna para digestão

- Sistema nervoso difuso

- solitários ou coloniais

- sésseis ou natantes

- simetria radial

- 2 tipos estruturais: pólipo e medusa


|   
 
  -

- EPIDERME

- GASTRODERME
| ||

- Célula epitélio-muscular
- Célula intersticial
- Célula receptora nervosa
- Cnidócito
  ||

- Célula epitélio-digestiva
- Célula glandular
- Célula flagelada
| 0||

Córneo, CaCO3 ou ausente


,%'( 2,3)(+(% 3*+45*(%

6'*7(% alguns são fixos e outros podem se deslocar (ex:


hidra - cambalhota)
,+&%% 8 jatopropulsão - os bordos do corpo se
contraem e a água acumulada na face oral é expulsa em
jato, provocando o deslocamento do animal no sentido
oposto.
,75(+&9:(

- sexuada e assexuada

%%,;&+-

,%)5(<*'*=9:(
<5()2,3)(
,;&+

- fecundação interna ou externa e direta; desenvolvimento


externo, direto ou indireto (larva plânula)

Desenvolvimento direto:
Desenvolvimento indireto - alternância de gerações.
 | -

> ?   ? 

> ?   ? 
 | |!| |  

@+5(=( Hidra, caravela- medusóide/polipóide


portuguesa, (predomínio); única
u  classe que possui
indivíduos de água doce.
@7A(=( Água-viva Predomínio da forma de
medusa

3)A(=( Anêmona-do- Existência apenas de


mar pólipo

&<(=( Vespa-do-mar Existência apenas de


medusa
> ? 

- Mesogléia acelular
- Gônadas epidérmicas
- Cavidade gastrocelular sem nematocistos
- alimentação: microcrustáceos e larvas de insetos
- digestão extracelular e intracelular

á 
sp

u  sp
> ? 

- Marinhos
- 2 cm a 2m/diâmetro
- mesogléia abundante
- alimentação: partículas em suspensão, invertebrados e
peixes
- digestão extracelular na cavidade gastro-vascular e
intracelular nos canais radiais
 ? 
à    

  ||!  
- anêmona-do-mar
- solitários ou coloniais
- esqueleto externo ou ausente
- faringe
- sifonoglife
- septos
- óstios
- acôncios
- cnidócitos
- espirocistos

- alimentação: moluscos, crustáceos, peixes


  |    

- 8 tentáculos peniformes
- coloniais
- pólipos aderidos à mesogléia perfurada por tubos
gastrodérmicos, que entram em contato com a cavidade
gastrovascular dos pólipos
m   sp
 ? 

- Poucas espécies

- Vespas do mar

- Oceano Pacífico

- Predadores ativos à 

 
- 24 olhos agrupados em conjuntos
de seis e dispostos nas quatro faces que compõem o sifão

- zonas de elevada densidade de nervos junto aos conjuntos


de olhos, que podem ser centros de processamento de
informação

 `  
|| | - i
    > Pente, `   > Possuir

- 80 espécies

- Apenas uma espécie de ctenóforos possui cnidócitos.

- Desenvolveram-se provavelmente a partir dos cnidários ou, pelo


menos, os dois filos têm um ancestral comum.

- 8 faixas de placas ciliadas meridionais, com extremidade oral para


frente.

- Predadores de pequenos invertebrados

- Dois tentáculos retráteis ramificados apresentam tentílios e


coloblastos.

- Alguns ctenóforos capturam a presa diretamente com a boca.


- Maioria hermafrodita

- Maioria possui bioeluminescência

- Poros anais na região aboral

- Ausência de mitocôndrias

`  

R   sp  
*B,5,39% ,3)5, ),3(B(5(% , 3*+5*(%:

‡ Organismos triploblásticos;

‡ Simetria birradial;

‡ Não possuem Cnidas; (ressalva)

‡ Se locomovem através de cílios;

‡ Se locomovem com a boca voltada para


frente
,75(+&9:(

- Assexuada (clonal)

- Maioria faz reprodução cruzada;

- Estimulados pela luz, os organismos liberam os gametas na


água (fertilização externa);

- Desenvolvimento indireto (larva cidipídio);


 | -

| 

à 
 

`  
 

  
|| | -

- O termo conulário, foi por muito tempo, aplicado para um número


expressivo de fósseis, com teca relativamente simples, de formato
piramidal, cônico ou tubular, de composição mineralógica variada.

- ³ lixeira taxonômica´

- Atual: cnidários marinhos extintos, bentônicos, com teca fosfática,


piramidal e alongada, e na maioria das vezes, com 4 faces (LEMES,
2004).

- Neocambriano ao Triássico

- Solitários (maioria) ou coloniais


p  
        
  
       p        
          
|
|/ 

MORAES, J.L. Análise cladística de à    (Neoproterozóico-


Triássico): caracterizando e definindo um grupo de cnidários extintos. USP.
Tese de doutorado. ,( *C3 *%. 2006.

NIELSEN, C. 3*2' |D('&)*(3: interrelationships of the living phyla. 2 ed.


Oxford University Press. 2001.

OLIVEIRA, O.M.P. Chave para os ctenóforos brasileiros. *() ,()5(7* ,


Vol.7 (n.3): 2007; p. 341-350.

Rodrigues, S.C., Leme, J.M., Simões, M.G. Significado paleobiológico de


agrupamentos (coloniais/gregários) de à      Ulrich, 1890
(Cnidaria), Formação Ponta Grossa, Devoniano (Pragiano-Emsiano), Bacia do
Paraná, Brasil. 2,EA*3*3 v.43 n.2 Buenos Aires abr./jun. 2006.
Estudo observa portadores da síndrome de Laron e conclui que a baixa
atividade do hormônio do crescimento diminui o risco dessas doenças. A
pesquisa pode ajudar no desenvolvimento de novos medicamentos para
prevenir as enfermidadesï
à   á     
- Acompanhamento da população por 22 anos, onde percebeu-se que os
portadores da síndrome de Laron são resistentes ao câncer e diabetes.

- 1.600 pessoas foram analisadas (99 com síndrome de Laron)


Com a síndrome  0 diabetes e 1 câncer não letal
Sem síndrome  5% diabetes e 17% câncer

- Pesquisas com camundongos demonstraram que a inibição do


hormônio do crescimento estava relacionada à diminuição do risco de
câncer e a uma vida mais longa.

- Células dos portadores de nanismo não crescem tanto, elas investem


sua energia na autoproteção.
, *B,%+, (5*%-
- Ambiente ideal para o desenvolvimento de fauna e flora
- Localidades de alta produtividade biológica
biológica;;
- São as mais ricas comunidades em biodiversidade entre as
de águas rasas tropicais
tropicais;;
- Existe nesses locais forte movimentação de água água::
permanente migração e imigração de micro e macro fauna e
flora, nutrientes e elementos, da plataforma continental para o
recife, e vice
vice--versa
versa.

Похожие интересы