Вы находитесь на странице: 1из 18

Ana Raquel Silva

Ana Rita Costa


Felipa Guimarães
Joana Carmo
Madalena Cabral
Funções do osso
Estrutura do osso: anatomia
Componentes do tecido ósseo
Processos ósseos durante a vida
Massa e densidade óssea
Suporte e protecção de tecidos
Local de ligação dos músculos para possibilitar o
movimento
Reservatório mineral (cálcio e fósforo)
Formação de células sanguíneas (hematopoiese)
Epífise
Diáfise
Metáfise
Cartilagem articular para
absorção do choque e
fricção
Cavidade medular
Endósteo
Periósteo que cobre o osso
mas não a cartilagem
OSSO

67% 37% OSTEÓIDE

INORGÂNICO ORGÂNICO

28% 5%

Proteoglicanas e
HIDROXIAPATITE COLAGÉNIO
glicoproteínas,prote
TIPO I inas específicas do
Existe algum osso:osteocalcina,
fosfato de cálcio osteonectina e
amorfo sialoproteínas
•Dureza do osso: deve-se ao conteúdo mineral – hidroxiapatite (fosfato
de cálcio) e carbonato de cálcio.
•Fibras de colagénio: providenciam a flexibilidade óssea – força tensora
resiste à torção e ao estiramento
•Calcificação: é a deposição de cristais entre fibras de colagénio
•Osso não é completamente sólido: tem vasos e medula óssea vermelha
- osso esponjoso tem mais espaços
- osso compacto tem poucos espaços
Células osteogénicas progenitoras: células indiferenciadas
podem dividir-se e tornarem-se osteoblastos
encontradas na camada mais interna do periósteo e
endóstio

Osteoblastos: formação óssea, matriz e fibras de colagénio,


mineralização e activação dos osteoclastos.
Osteócitos: células maduras que não conseguem secretar
mais matriz.
Osteoclastos: células multinucleadas, com função na
reabsorção óssea, degradação de proteínas por enzimas e
acidificação degradando matriz óssea.
Crescimento ósseo

Formação óssea

Reabsorção óssea

Calcificação/mineralização
Níveis adequados de minerais e vitaminas:
Cálcio e fósforo para o crescimento do osso
Vitamina C para a formação do colagénio
Vitamina K e B12 para a síntese proteica
Vitamina D para a absorção do cálcio

Níveis suficientes de hormonas específicas:


•Durante a infância é necessário o factor de crescimento insulin-like que
promove a divisão celular no disco epifisário
•Durante a poberdade são necessários esteróides sexuais
- fecho dos discos epifisários
- estrogénios promovem mudanças femininas
Ocorre quando o osso é danificado

Requer uma dieta rica em proteínas, vitaminas C, D


e A, cálcio, fósforo, magnésio e manganésio

Fosfatase alcalina é essencial para a mineralização


do osso
CONTROLADA POR:
um mecanismo hormonal que mantém a homeostase do cálcio no
sangue.
Hormonas de
crescimento
Estrogénio
Factores de crescimento
Calcitonina
Vitamina D

•As forças mecânicas e gravitacionais que actuam no esqueleto


aumentam a ACTIVIDADE OSTEOCLÁTICA
ACTIVAÇÃO

REABSORÇÃO

REVERSO

FORMAÇÃO
Ciclo de deposição e absorção
99% cálcio
Controlado atraves de duas vias:

-Hormonas:

A concentração de cálcio no sangue é mantida


em equilíbrio com o conteúdo mineral ósseo
PTH
Calcitonina
Citoquinas
- Mecanicamente

AUMENTO DA ACTIVIDADE OSTEOCLÁSTICA


Osteoblastos maduros e osteoclastos envolvidos no processo:
Osteoblastos produzem factor OAF -> activam pré-
osteoclastos -> formação de osteoclastos maduros
Osteoclastos secretam localmente:
•Enzimas lisossomais como a catepsina que actuam no
colagénio a pH ácido e digerem a matriz orgânica
•Colagenase tipo IV
•Ácidos que transformam os sais de cálcio em formas
solúveis

•Zonas de reabsorção: depressões formadas pelos osteoclastos conforme


degradam matriz óssea
•Matriz dissolvida: sofre transcitose ao longo das células osteoclásticas no
fluído intersticial e depois no sangue
SINTOMAS: Espasmos musculares
Convulsões
Paragem respiratória
Edema da papila (na hipocalcémia de longa duração)
Irritabilidade, depressão, psicose.
Mal-absorção crónica
Prolongamento do intervalo QT no ECG
CAUSAS: PTH ausente (hipoparatiroidismo hereditário/adquirido,
hipomagnesiemia; PTH ineficaz (insufi´ciência renal crónica, carência de vit
D, malabsorção intestinal, pseudo-hipoparatiroidismo); PTH é ultrapassada
(hiperfosfatemia agúda grave da lise tumoral, insuficiência renal agúda).

TRATAMENTO: No caso de hipocalcemia sintomática - gluconato de


cálcio por via intravenosa; hipocalcemia crónica – cálcio oral+vit D; o
hipoparatiroidismo exige a administração de cálcio e vit D ou calcitriol.
SINTOMAS: Fadiga, depressão, confusão mental
Anorexia, náuseas, obstipação
Defeitos tubulares renais e poliúria
Intervalo QT curto e arritmias
Hipercalcémia grave – coma e paragem cardíaca
CAUSAS: a mioria dos casos deve-se a hiperparatiroidismo e neoplasia
maligna. Existem causas relaciondas com a vit D (intoxicação por vit D);
associadas a turn over ósseo elevado (hipertiroidismo); associadas a
insuficiência renal (hiperparatiroidismo secundário grave); entre outras
causas.

TRATAMENTO: para a hipercalcemia grave – hidratação com soro, diurese


forçada, pamidronato, zolendronato, calcitonina, glucocorticóides.
Hiperparatiroidismo primário grave – paratiroidectomia cirúrigica.

Похожие интересы