Вы находитесь на странице: 1из 4

AlfaCon Concursos Públicos

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
ÍNDICE
Inquérito Policial�������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Características do IP���������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Valor probatório do Inquérito Policial�����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������2
Vícios������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3
Prazos�����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3
Incomunicabilidade������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������3
Atribuição����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������4

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
1
AlfaCon Concursos Públicos

Inquérito Policial
Características do IP
DISPENSÁVEL: a existência do Inquérito Policial não é obrigatória e nem necessária para o desen-
cadeamento da ação penal. Há diversos dispositivos no Código de Processo Penal permitindo que a
denúncia ou queixa sejam apresentadas com base nas chamadas peças de informação que, em verdade,
podem ser quaisquer documentos que demonstrem a existência de indícios suficientes de autoria e de
materialidade da infração penal. Ex.: sindicâncias instauradas no âmbito da Administração Pública
para apurar infrações administrativas, em que acabam também sendo apurados ilícitos penais, de
modo que os documentos são encaminhados diretamente ao Ministério Público. Ora, como a finalida-
de do Inquérito é justamente colher indícios, torna-se desnecessária sua instauração quando o titular
da ação já possui peças que permitam sua imediata propositura.
O art. 28 do Código de Processo Penal expressamente menciona que o Ministério Público, se
entender que não há elementos para oferecer a denúncia, deverá requerer ao Juiz o arquivamento
do Inquérito Policial ou das peças de informação. Quanto às últimas, entretanto, se o Ministério
Público considerar que as provas contidas nas peças de informação são insuficientes, mas que novos
elementos de convicção podem ser obtidos pela autoridade policial em diligências, poderá requisitar
a instauração de Inquérito Policial, remetendo à autoridade as peças que estão em seu poder.
Da mesma maneira, o art. 39, § 4º do CPP prevê que o órgão do Ministério Público dispensará o Inqué-
rito, nos crimes de ação pública condicionada, se com a representação forem apresentados documentos
que habilitem o imediato desencadeamento da ação.
Por fim, o art. 40 do Código de Processo Penal prevê que os juízes e os tribunais encaminharão
cópias e documentos ao Ministério Público quando, nos autos ou papéis que conhecerem no desem-
penho da jurisdição, verificarem a ocorrência de crime de ação pública. O Ministério Público, ao
receber tais peças, poderá, de imediato, oferecer denúncia, ou, se entender que são necessárias dili-
gências complementares, requisitá-las diretamente ou requisitar a instauração de Inquérito Policial,
remetendo à autoridade as peças que se encontram em seu poder.

Valor probatório do Inquérito Policial


Tendo em vista a autoritariedade dada ao Delegado de Polícia no Inquérito Policial, esse proce-
dimento tem caráter relativo, pois não tem força para embasar, sozinho, uma condenação criminal.
Ora, sabe-se que o Inquérito não produz provas, mas elementos de informação. No processo, esses
elementos devem passar pelo filtro do contraditório e da ampla defesa para que sejam validados
como prova.
Ainda nesse sentido, o art. 155 do CPP salienta que o Juiz não pode condenar baseado

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
2
AlfaCon Concursos Públicos

exclusivamente nos elementos colhidos no Inquérito, e ainda excepciona 3 casos:


“O Juiz formará sua convicção pela livre apreciação da prova produzida em contraditório judicial,
não podendo fundamentar sua decisão exclusivamente nos elementos informativos colhidos na inves-
tigação, ressalvadas as provas cautelares, não repetíveis e antecipadas.”
Cumpre perceber que esse artigo diz que existem 3 elementos colhidos na Investigação Criminal
que podem embasar condenação, desde que transpassados pelo contraditório (contraditório diferido
ou postergado) e ampla defesa. São eles:
»» Provas Cautelares: são aqueles objetos colhidos para que futuramente seja apresentado em
juízo. Um exemplo aqui seria a Interceptação Telefônica.
»» Provas Não repetíveis: são diligências realizadas no Inquérito Policial que, por sua natureza,
não serão repetidas no Processo (como as Perícias).
»» Provas Antecipadas: são aquelas colhidas sempre que houver risco de não poderem ser reali-
zadas certas diligências futuramente. É o caso da oitiva de testemunhas com idade avançada
ou doente. Ele se instaura com a convocação do Juiz e com a presença das futuras partes, com
respeito ao contraditório e à ampla defesa.
Vícios
Os vícios do Inquérito Policial, isto é, erros ou informalidades ou até mesmo diligências, NÃO conta-
minam a ação penal, pois se trata de procedimento dispensável. O que pode acontecer é o MP requisitar
o suprimento daquele vício, ou apenas utilizar parte do Inquérito para embasar a Denúncia.

Prazos
Uma vez iniciado o Inquérito, a autoridade policial tem prazos para concluí-lo, mas estes prazos
dependem de estar o indiciado solto ou preso.

Incomunicabilidade
O art. 21, parágrafo único, do Código de Processo Penal prevê a possibilidade de o Juiz decretar
a incomunicabilidade do indiciado por prazo não superior a 3 dias, visando com isso evitar que
ele prejudique o andamento das investigações. Tal dispositivo, entretanto, apesar de não ter sido
revogado expressamente, tornou-se inaplicável em razão do disposto no art. 136, § 3º, IV, da Consti-
tuição Federal, que veda a incomunicabilidade, até mesmo quando decretado o estado de defesa. No
entanto, ainda nos dias atuais as bancas cobram algumas características da incomunicabilidade. São
elas:

Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
3
AlfaCon Concursos Públicos

Atribuição
Trata-se da delimitação legal de poder conferida à autoridade policial para investigar crimes. Por
essas regras, é possível definir dois tipos de atribuição:
1) Territorial: em regra, adota-se a teoria do resultado, ou seja, o local de consumação do ato
é o local que realiza o IP. No entanto, excepcionalmente é possível aplicar a teoria da atividade em
crimes tentados e homicídio doloso. Essa excepcionalidade foi determinada pelo STJ no intuito de
melhor apurar os vestígios do crime.
2) Material: é a atribuição definida pela natureza do crime, com a atuação de delegacias especia-
lizadas em procedimentos de ocorrência em crimes seletos, tais como a Delegacia da Mulher, Dele-
gacia de Homicídios etc.
Em regra, a atribuição material é subsidiária à territorial, tendo em vista que se deve descobrir a atri-
buição territorial primeiro, antes de verificar a existência de delegacia especializada.
EXERCÍCIOS
01. O IP é indispensável para o oferecimento da denúncia; o Promotor de Justiça não poderá de-
nunciar o réu sem esse procedimento investigatório prévio.
Certo ( ) Errado ( )
02. O IP, peça informativa do processo, oferece o suporte probatório mínimo para a denúncia e,
por isso, é indispensável à propositura da ação penal.
Certo ( ) Errado ( )
03. O prazo legal para o encerramento do IP é relevante, independentemente de o indiciado estar
solto ou preso, visto que a superação dos prazos de investigação tem o efeito de encerrar a per-
secução penal na esfera policial.
Certo ( ) Errado ( )
GABARITO
1 – Errado
2 – Errado
3 – Errado
Lei do Direito Autoral nº 9.610, de 19 de Fevereiro de 1998: Proíbe a reprodução total ou parcial desse material ou divulgação com
fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na Internet, sem autorização do AlfaCon Concursos Públicos.
4